A Cidade da Bicicleta não precisa da Shell, precisa de você!

22nd may 2012 protests at shell AGM at barbican

A Cidade da Bicicleta recebeu da Shell uma oferta de apoio para a nossa campanha de financiamento coletivo na última terça-feira. A Shell se ofereceu para ajudar na divulgação de nossa campanha através de “banners de divulgação” que seriam veiculados através dos canais de mídia da Shell (redes sociais e site institucional). Em troca teríamos que ceder nossas fotos e vídeos para a Shell utilizar em um novo vídeo institucional da campanha #váatéofim. Mas nós não queremos nos aliar à Shell e a tudo de ruim que ela representa, nós queremos que nossa projeto seja concretizado com a sua ajuda!

Apoie nosso projeto de financiamento coletivo!

Segundo a Shell nosso projeto foi selecionado porque estaria entre as iniciativas que “se alinham com os valores da marca”. Abaixo nossa carta em resposta à oferta da Shell:

    

Shell, não te queremos!

Shell, não queremos o seu “apoio” pois o mundo com qual sonhamos é o oposto do mundo que vocês vêm construindo há mais de um século. Vocês perpetuam o mundo de devastação ambiental e injustiças sociais contra o qual nós lutamos.

Nossa iniciativa não se alinha em nada com os valores da Shell, muito pelo contrário, as nossas duas visões de mundo são antagônicas. Enquanto a Shell existe para dar lucro aos seus acionistas à custa de degradação ambiental, a Cidade da Bicicleta existe para compartilhar conhecimentos e recursos de forma livre, sem exigência de pagamento, fomentando a autonomia dos indivíduos, com o objetivo de promover um meio de transporte de baixíssimo impacto ambiental.

A Shell não quer apoiar a Cidade da Bicicleta, a Shell quer se promover às custas da Cidade da Bicicleta. A Shell não quer que as pessoas deixem seus carros em casa e passem a usar a bicicleta e o transporte público, pois sua existência depende do consumo cada vez maior de combustíveis fósseis. A Shell não quer mudanças significativas na sociedade, justiça ambiental e social, ela quer que as coisas continuem como estão, desde que o lucro de seus acionistas esteja garantido. A Shell quer se aproveitar da nossa imagem para continuar explorando petróleo, sem ao menos tirar um mísero tostão do seu bolso para apoiar verdadeiramente a Cidade da Bicicleta e outros projetos. Uma empresa bilionária como a Shell oferecer “banners de divulgação” em seus perfis nas redes sociais e no site institucional como apoio a um projeto no qual diz acreditar chega a ser ofensivo. É uma tentativa medíocre de comprar nossa integridade com migalhas que ela ia jogar fora de qualquer jeito.

A Shell tenta através da campanha #váateofim vincular-se aos desejos e anseios dos jovens associando-se a projetos de iniciativa popular que visam o bem coletivo, como é o caso da Cidade da Bicicleta. E ainda querem fazer isso apenas oferecendo publicidade a esses projetos – publicidade da qual eles também se beneficiam, é claro. Na verdade a Shell só quer é poder associar sua imagem a estas iniciativas, para passar uma falsa imagem positiva. Se a Shell realmente estivesse preocupada em fazer deste mundo um lugar melhor, poderia começar diminuindo a sua produção de petróleo e incentivar a economia dos recursos naturais, a autonomia energética através de fontes renováveis, cessaria a exploração em locais onde ameaça a pouca natureza intocada que nos resta – como no Ártico, tentaria reparar a degradação ambiental e as injustiças que impôs ao povo Ogoni, da Nigéria, extinguiria práticas ambientalmente nocivas como o “fracking”, incentivaria a redução do consumo de combustíveis e o uso inteligente dos recursos naturais. Se os valores da Shell realmente estão alinhados com os nossos, então eles deveriam abrir mão do lucro em prol do bem coletivo.

Shell, não queremos o seu dinheiro sujo de fuligem, petróleo e sangue. Queremos que nosso projeto seja financiado por pessoas que realmente acreditam no que acreditamos: em um mundo solidário, igualitário, justo e ambientalmente sustentável. Se a Shell realmente acredita nisso e quer apoiar a Cidade da Bicicleta, pode fazer uma doação, inclusive anônima (porque quem acredita não quer nada em troca), para a nossa campanha de financiamento coletivo, como qualquer outra pessoa ou empresa, e a Shell precisa, antes de tudo, refletir esses valores nas suas práticas diárias.

Para saber mais sobre a Shell visite:

Confira na íntegra a carta enviada em nome da Shell à Cidade da Bicicleta:

Olá , tudo bem?

Meu nome é Bruna, estou intermediando um diálogo entre a agência de publicidade J.Walter Thompson – em atendimento a empresa a Shell – e projetos que estão na plataforma Catarse.

A Shell está buscando apoiar e incentivar pessoas e projetos que dão movimento ao mundo, tirando as ideias do papel e fazendo acontecer, iniciativas que se alinham com os valores da marca.

Após um estudo dos projetos no Catarse, alguns foram pré-selecionados por ter o potencial transformador, multiplicador e inspirador e *Cidade da Bicicleta** é um deles.

A proposta de apoio é, a partir de imagens dos próprios projetos, criar banners de divulgação dos mesmos e incentivar as pessoas a contribuírem. As peças publicitárias serão veiculadas nos canais de mídia da Shell (Facebook, Youtube, site instituciona)l e outras mídias pagas – que estão em negociação.

Todos os textos de divulgação serão acompanhados pelo endereço da página do *Cidade da Bicicleta* no Catarse e a hashtag #váatéofim. Após os projetos apoiados serem 100% financiados, uma nova versão do filme institucional da Shell será criada ( https://www.youtube.com/watch?v=PsCvWP6LgiY ) com o mesmo texto porém com imagens do projetos que estão saindo do papel. Essa nova versão, para internet, será interativa: ao clicar em uma determinada cena, o usuário continua assistindo ao filme seguindo o ponto de vista do personagem em questão.

Em contrapartida, para veicular as peças, a agência precisa receber os materiais de divulgação (foto, vídeo, apresentações, etc) e um termo de cessão de imagem e nome (termo a ser enviado – *está em validação com o jurídico)

Segue anexa a apresentação com alguns detalhes da proposta. (aberta a futuras alterações)

Fica aqui o convite para construirmos essa parceria e, como é um projeto em desenvolvimento, estamos abertos para aprofundar a conversa.

Se você topar, iremos criar as peças e começar a veiculação o mais rápido possível. O ideal é termos um retorno até o final dessa semana

Qualquer dúvida estou a disposição no telefone

Obrigada,

Apresentação Shell – Catarse.pdf

Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para A Cidade da Bicicleta não precisa da Shell, precisa de você!

  1. Pedro Ayres disse:

    O mesmo vale para bancos. #issomudaomundo #sqn

  2. Ivo disse:

    Vale também para partidos políticos, seja ele do Pt ou do Pmdb. A sede da antiga cidade das biciletas foi sedida por um deputado do Pt.

  3. Pablo disse:

    Minha opinião de não querer o apoio da Shell por ser a Shell, uma petrolífera, acho uma tremenda bobagem. A Shell é uma empresa e faz o que dá dinheiro. Se amanhã ninguém comprar gasolina ou lubrificantes Shell ela fará outra coisa, até mesmo bicicletas fixas, se isso der mais dinheiro que petróleo. Ingenuidade achar que é uma “empresa do mal”. Aliás, achei a resposta bastante infantil.

    De qualquer forma as imagens e vídeos da Cidade da Bicicleta valem muito mais que banners espaços nos canais da Shell. A Shell que pague os valores justos por esse material. Esse “apoio” sai de graça para a Shell e essa iria receber o rosto e a emoção das pessoas através das imagens que seriam vinculadas à marca. Isso vale muito mais do que a Shell está oferecendo!

    • Marcelo disse:

      O fato de tu achar que não quisemos o apoio da Shell apenas por ser uma petrolífera, mostra que tu não entendeu NADA do texto. Tenta de novo.

      • Pablo disse:

        Serviu o chapéu?

      • Marcelo disse:

        Desculpa, Pablo, mas tu faltou o respeito com o coletivo da Cidade da Bici ao se referir a nossa opinião como bobagem e infantil. Como não serviria o chapéu se tu estás ofendendo a opinião de um coletivo no qual participo? O pior de tudo é fazer isso sem se esforçar para compreender nosso ponto-de-vista.

        Sim, a Shell é uma empresa, ou melhor, uma corporação, e como tal faz de tudo para garantir o lucro de seus acionistas e com certeza faria bicicletas fixas se isso desse mais lucro que seu ramo atual, nunca dissemos que isso não era assim. A Cidade da Bici se opõe a essa visão de forma geral, para nós visar o lucro sem se importar com as conseqüências é inadmissível. Não aceitamos o apoio da Shell, assim como não aceitaríamos o apoio de uma montadora de automóveis, de um banco, da Coca-cola, ou de qualquer outra corporação. Nisso uma corporação se diferencia de uma pequena empresa familiar, onde os proprietários ainda têm o poder de tomar decisões éticas – numa corporação, isso simplesmente não existe.

        Infantilidade é dizer que uma opinião que você não entendeu é “bobagem” e utilizar recursos – esses sim infantis – como “serviu o chapéu?”.

      • Pablo disse:

        Essa é minha opinião. A minha opinião é que vocês tem uma visão infantil de como as coisas funcionam. Não gostou, se ofendeu, é irrelevante a informação? Beleza, não é problema meu.

        Não sei de onde vocês imaginam que venha o dinheiro ou os materiais para qualquer coisa que vocês queiram fazer. Aço, ferramentas, usinagem, tintas, instrumentação, esse computador… é tudo fruto de corporações malvadas que só se importam com o lucro sem se importar com as consequências. Todas as coisas que te rodeiam dependem de uma longa cadeia produtiva.

        Quando aparece o triangulo vermelho do Youtube em um post do teu blog você está doando parte das imagens, das opiniões, do conteúdo para uma empresa que usa a publicidade para vender produtos e serviços. Além disso, os vídeos mais assistidos, comentados ou que receberam mais likes são usados para direcionar esforços do marketing de vendas.

        Daí o cara vem me dizer que não aceita o apoio de corporações… Isso é uma bobagem e uma infantilidade, me desculpe essa é minha opinião.

        De qualquer forma, como escrevi lá no começo. O que a Shell ofereceu em troco desse apoio foi muito pouco…

      • Marcelo disse:

        Como sempre, nós fazemos o possível, o que está ao nosso alcance. Não, no mundo atual não é possível se isolar do poder das corporações, mas isso não quer dizer que não devamos e não possamos lutar contra elas sempre que possível. Não é porque hoje em dia é praticamente impossível se comunicar (ou mesmo viver) sem contar com o produto ou serviço de alguma corporação que vamos ativamente ajudar a limpar a imagem da Shell.

        Não sou ingênuo como tu tens a presunção de achar. Mas também não acho que é porque não sou capaz de fazer tudo, que não devo fazer nada. Isso me parece uma desculpa para o conformismo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s