AtroPelados pela violência no trânsito em Porto Alegre

atropelobus

(Foto: Matheus Schuch / Agência RBS)

Nesta quinta-feira (26/02) duas pessoas foram atropeladas por motoristas profissionais que conduziam veículos coletivos em Porto Alegre. Ambas na Avenida Padre Cacique, entre 17h30 e 20h. A primeira vítima, Ademir Lima, foi fatal e morreu no HPS. Já o homem identificado como Júlio César Marques Mendes foi socorrido com vida, mas em estado grave.

pedaladapelada

(Foto: Carolina Marquis/G1)

Enquanto isso um grupo de pessoas se mobilizava para um encontro sem roupas e com bicicletas no Largo Zumbi dos Palmares, de onde saiu mais uma edição do evento Pedalada Pelada – parte da programação de protestos na semana que se completaram quatro anos do atropelamento cometido por Ricardo Neis sobre a Massa Crítica Porto Alegre.

O que esses fatos tem em comum? Resultam da violência no trânsito. Os primeiros foram conseqüência direta de imprudências, irresponsabilidades, falta de atenção e cuidado com a vida… Já a pedalar sem roupas é (mais) uma reação ao crime de Ricardo Neis (que segue livre) e também a outros crimes, especialmente contra pedestres e ciclistas. Tentamos mostrar a inversão de valores na sociedade do carrocentrismo.

Pois discordamos que seja aceitável toda a hostilidade que se pode observar diariamente nas ruas enquanto as pessoas se deslocam de um ponto a outro. Impaciência, egoísmo, estresse – todos sintomas do trânsito na cidade. Que acabam por gerar sofrimento, dor, morte.

Escolhendo a bicicleta, muitos de nós estão escolhendo também mudar estes padrões negativos.

Hoje tem Massa Crítica saindo às 19h do Largo Zumbi. Traga sua bicicleta, cartazes, ideias de trajeto e vontade de transformar.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para AtroPelados pela violência no trânsito em Porto Alegre

  1. …! =(
    Aqui em casa somos 4 pessoas e 2 de nós quase fomos atropelados nos últimos dois dias – por um motoboy que não respeita pedestres na faixa e por um motorista que só considera o fluxo de carros na avenida com ciclovia. Ainda temos muito trabalho pela frente, mas é tremendamente doloroso que ainda tenha pessoas pagando com a vida pela atitude medonha dos outros.

  2. André Gomide disse:

    http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=188960#
    Ótima matéria…fala sobre diversos modais….critica o metrô em POA, considera as ciclovias como parte de uma solução.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s