Brigada Militar manda ciclista sair da ciclovia para deixar carros passarem

Usuário da ciclovia relatou o ocorrido pelas redes sociais

Usuário da ciclovia relatou o ocorrido pelas redes sociais

Um usuário da ciclovia da Rua João Telles relatou pelas redes sociais uma situação em que foi intimidado pela Brigada Militar a sair da ciclovia para deixar passar carros particulares que usavam a faixa exclusiva para bicicletas ilegalmente. O fato teria acontecido no sábado, 29 de novembro, às 19h35.

Confira o relato na íntegra:

“19:35 -Rua general João Teles -Porto Alegre/RS

O dia em que quase fui preso por andar na ciclovia.

Estava eu como de costume fazendo minha volta de rotina sobre duas rodas, quando entro na rua João Teles na qual existe uma ciclovia, devido ao ecesso de maquinas a gasolina na via de mão dupla muitos dos carros entram pela ciclovia em uma maneira de burlar o tempo de espera na via. Eu como estava correto em andar na faixa vermelha destinada a ciclistas não quis dar passagem para o carro que acomapnhava mais 3 em sua cola. Parei na frete deles,talvez em um acesso de loucura ou de pura raiva já que não é a primeira ocorrência deste fato comigo. Quando paro em frente o carro, o dono justifica sua manobra dizendo que o outros carros e que estavam fazendo o errado e que ele simplesmente fez aquilo porque não tinha outra opção, eu justifico minha manobra alertando que estava na minha via e que não poderia fazer nada, visto que, ele que estava errado. Passado 3 minutos muito dos carros e pedestres me xingam dizendo que eu estava errado e que deveria ser mais ”dobravel’ ”menos vagabundo”’ e etc(não lembro tantos adjetivos que me impuseram) e que eu estava errado em fazer aquilo.
Passado +-6 minutos avisto um policial de moto e imagino que ele iria me ajudar, pura ilusão, quando ele abre o dialogo já percebo que ele não estava ali para me ajudar mas sim para dar razão a todo o discurso dos Motorista e morados educados ditos classe A/B do bom fim.
O policial mandou eu sair da via e se não fosse acidente deveria continuar o seu caminho, tento o dialogo e explico que eu estava fazendo o correto e que se ninguém fizesse aquilo os carros continuariam passando na ciclovia e não entendendo o real motivo daquela faixa vermelha.
O policial simplesmente não ouve meus argumentos e rebate eles simplesmente afirmando que eu estava errado e que se não saísse seria pior para todos. Naquele momento eu me senti acuado, todos estavam contra mim e ninguém se quer pensou que aquela atitude erra a errada, ninguém questionou o pq de ter o transito, todos achavam que eu estava criando o transito.
Naquele momento pensei em ir embora mas quando achei que tudo estava acabado um casal de ciclista que se juntaram a mim, naquele momento percebi que não estava sozinho e que poderia mudar aquela situação. Quando surgio mais pessoas o policial se assustou e chamou reforço pelo rádio neste momento fiquei mais nervoso mas manti o prumo e continuei em frente ao carro sem pestanejar e tentando o dialogo com todos mesmo que me xingassem de vagabundo, bixa entre diversos nomes e coisas. Passado mais 3 ou 4 minutos(O tempo passou muito devagar não lembro ao certo) o casal desistiu de me ajudar e foi embora, minhas esperanças ali se esvaeceram, sozinho contra todos não seria ninguém, foi neste momento em que um acesso de loucura ou de medo, não sei ao certo, decidi ir embora no meio dos xingamentos. Parti com raiva, com medo e com sensação de que fazer o certo é uma merda, queria poder conversar com todos, dialogar com brigadiano e tentar mostrar os benefícios de andar de bike. Mas ninguém queria saber de nada, todos estavam inertes em suas egocentricidades, não pensavam no coletivo, eles queriam passar mesmo que isso custasse fazer o errado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.

12 respostas para Brigada Militar manda ciclista sair da ciclovia para deixar carros passarem

  1. phrayres disse:

    Sem tirar a razão da pessoa que sofreu um constrangimento moral e ilegal, deixo aqui meus dois centavos sobre esse tipo de situação:

    – Essas ciclovias desnecessárias acabam virando zonas de conflito. Sim, desnecessárias. Não há porque enfiar ciclovias em todas ruazinhas, apenas para constar nas estatísticas, e recorrentemente em “áreas nobres”. Tem ciclovia na Juca Batista? Na Edgar Pires de Castro? Na Baltazar? Pois é.

    – A polícia, acreditem, existe para manter o status quo, não para defender o cidadão.

    Agora, se me permitem o conselho, menos redes sociais e mais ação: registre um boletim de ocorrência, se possível identifique o policial e vá na ouvidoria. É trabalhoso, cansativo, mas mais efetivo.

    Não sou anti-ciclovia, mas considero que a lei deveria mudar e não forçar o ciclista a utilizá-las. Elas podem ser uma boa opção em diversas ocasiões, mas de maneira nenhuma deveriam ser obrigatórias. Se estou num veículo, por que diabos devo ser obrigatoriamente segregado?

  2. Felipe X disse:

    A João Teles é aquela rua estreita com estacionamento, mão dupla e ciclovia? Se for aquilo é uma enjambração, tem que tirar um destes logo dali.

    Sobre não respeitarem nem fiscalizarem isso infelizmente é a triste normalidade. Permitem carros até nas calçadas, imagina se vão cuidar das ciclovias. Mas acho que cabia chamar a EPTC mesmo.

  3. João disse:

    Um dos maiores problemas do trânsito, que talvez seja da sociedade como um todo, é a falta de bom senso de praticamente TODOS os envolvidos.

    • phrayres disse:

      É João, a diferença crucial é que dentre estes TODOS, alguns tem um potencial de dano muito maior. Mesmo sendo um exemplo de má educação, um sujeito andando na Rua da Praia vai criar incômodos diversos, mas não matar-mutilar-lesionar as pessoas em volta. Passou da hora de proibir o acesso a esses sociopatas terem uma licença para dirigir.

  4. Olavo Ludwig disse:

    Estas porcarias de ciclofaixas e ciclovias só são um pouco úteis mesmo, justamente nestes horários de rush, quando as vias estão tão entupidas que n~
    ao tem espaço nem pra bicicleta.
    Que tal combinarmos vários de nós ciclistas irem nesta cilocoisa da João Teles na sexta que vem bem nesse horário e ficarmos por ali? Só pra não deixar passar uma coisa dessas em branco!!!!!

  5. Pablo disse:

    Revoltante… Dá vontade trancar tudo até respeitarem.

  6. calos lamarca disse:

    topo ir num sabado. trancar tudo ate respeitarem.

  7. Adriano disse:

    Essa ciclovia é foda, ninguém respeita! É carro estacionado, é carro na contramão, é carro passando. E convenhamos, tem pouco fluxo de bicis. Eu sempre passei pela João Telles (que é duas mãos, o que torna tudo pior, porque fica um espaço muito pequeno para todo) antes da ciclovia e nunca precisei. Acho ela totalmente desnecessária. E sábado, dia do ocorrido, é o pior de todos, pois a Vasco da Gama fica fechada em razão da feira que fazem ali.

    • Felipe X disse:

      Essa rua é muito bizarra do jeito que está. Carros em duas mãos, vagas de estacionamento e a ciclovia em uma rua estreita. Um dos elementos tinha que sair.

      Mas claro, não justifica o PM liberar trânsito de veículos na ciclovia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s