Eduardo Jorge fala sobre Mobilidade Urbana, Bicicletas, Poluição

O candidato à Presidência, Eduardo Jorge (PV) falando sobre mobilidade urbana e poluição ao Bike é Legal:

Alguém tem alguma informação sobre o posicionamento dos demais candidatos sobre combustíveis fósseis, mobilidade e poluição?

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

15 respostas para Eduardo Jorge fala sobre Mobilidade Urbana, Bicicletas, Poluição

  1. Pablo disse:

    As coisas que Eduardo Jorge fala são muito corretas e muito coerentes. Quanto a mobilidade urbana, considero Eduardo Jorge como a nossa melhor opção.

    Entretanto eu não votaria nele por causa das propostas dele em outras áreas. Há mudanças que devem ser feitas de forma lenta e gradual. Coisas como maconha ou aborto não são temas que um administrador público deve tomar partido e forçar mudanças. Nesses temas o administrador público deve sim é fornecer meios de informar a todos sobre as consequências de um posicionamento ou outro e permitir que cada pessoa tome a sua decisão livremente, em plena consciência.

    • Felipe X disse:

      O que ele falou que seria “forçar” a mudança em relação a maconha ou aborto?

      • Pablo disse:

        No debate da Band, Eduardo Jorge foi bem enfático em relação a liberação de todas as drogas psicoativas. Isso não existe em nenhum lugar do mundo. Não existe um lugar onde o crack é liberado.

      • Felipe X disse:

        Bem, isso é opinião dele, mas forçar? Alguém no executivo tem esse poder?

      • Pablo disse:

        Poxa Felipe, claro que tem! Todo esse jogo de cargos, rateio de estatais e coligação partidária é para comprar (ou forçar) apoio!

      • Pablo disse:

        Na teoria é tudo muito bonito, uns fazem as leis, outros julgam e o terceiro executa, mas na prática não é assim que funciona. Como é que perdemos os 20% para as ciclovias? O executivo municipal forçou e forçou bem forçado!

      • Felipe X disse:

        Bem, o jogo político é asism mesmo. A população inclusive votou contra o desarmamento e foi desarmada😛

      • Felipe X disse:

        Brincadeiras a parte, acho complicada essa história de forçar. Muita gente é “forçada a pedalar” por causa das ciclovias, e assim por diante.

        Convenhamos, pouquíssimos correriam o risco de legalizar o crack (usando teu exemplo) e se queimar com quase toda base eleitoral. Os 20% perdemos por causa desse jogo político sim mas também por que a maioria da população não tava nem aí para o assunto.

    • Marcelo disse:

      Defender a descriminalização do aborto e das drogas não é forçar nada, pelo contrário. O Estado atualmente que força as mulheres que não querem levar uma gravidez adiante a apelarem para a clandestinidade e arriscar suas próprias vidas. Atualmente, mulheres de todas classes e esferas sociais abortam. Ou seja, não há mudança nenhuma a ser “forçada” tu apenas vai descriminalizar algo que já ocorre e garantir que essas pessoas tenham tratamento médico de qualidade.

      Mesma coisa com as drogas, a “mudança” proposta pelo Eduardo Jorge, não é mudança nenhuma. Qualquer pessoa que quer drogas psicoativas pode comprar, não precisa nem procurar muito. O ser humano sempre usou substâncias psicoativas, em toda sua existência. A diferença é que há uns anos atrás passaram a criminalizar a prática, e não deu certo, continuam usando.

      Qual é a grande mudança a ser “forçada”? Não entendi. Tu acha que vão forçar as pessoas a abortar e usar drogas?

      De qualquer maneira, quem decide sobre as leis não é o presidente, mas o Congresso. E mesmo que o Eduardo Jorge se elegesse, o que é muuuuuuuito difícil, ele nunca teria a maioria no Congresso para aprovar uma única lei.

      • Pablo disse:

        Todo esse teu texto é para defender tuas ideias e não tem absolutamente nada a ver com o que eu coloquei.

        A minha opinião é que um gestor público deve antes de defender ou condenar, qualquer coisa que seja, instruir e principalmente ouvir a população. Mujica fez isso e não há sinais que Eduardo Jorge faria. É só isso. Não vou entrar em discussões prós e contra.

      • Pablo disse:

        Já escrevi acima como o executivo força as coisas, se não quiser entender, paciência.

      • Felipe X disse:

        Pablo, por que tens tanta certeza que o Mujica ouviu a população?

        http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=515007

        Complementando o que disse acima, nem sempre o executivo consegue. Vide regularização da mídia no governo atual ou o que aconteceu com o Collor.

      • Felipe X disse:

        Eu me impressiono um pouco com a imagem imaculada que foi criada em cima do Mujica.

      • Pablo disse:

        Também não gosto quando tentam transformar o Mujica em herói, afinal heróis não existem, o que existem são pessoas. Não sabia que rejeição à liberação tinha aumentado após a promulgação da lei. Eu me referia a um pronunciamento do Mujica em que ele diz que “não iria votar uma lei só porque tinha a maioria do parlamento (FORÇAR) e que a maioria deveria estar nas ruas”.

  2. Pingback: Os candidados e a mobilidade, Parte 2 – Levy Fidelix – “Bicicleta é só pra passeio” | Vá de Bici

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s