Treino: motoristas de ônibus assumem condição de ciclistas

Iniciativa envolverá mais de 300 profissionais do transporte coletivo

Foto: Rodrigo Mauat Hoff/Divulgação PMPA

Iniciativa envolverá mais de 300 profissionais do transporte coletivo

O primeiro passo foi a realização de palestras e apresentação de vídeos de educação para o trânsito, pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), para uma plateia de motoristas e cobradores dos consórcios de ônibus. O foco central foi a necessidade de atenção e respeito na relação com os ciclistas. Agora, a prática entrou em campo. Desde março, a Sudeste, do Consórcio Unibus, realiza ações internas envolvendo os futuros motoristas da empresa e também os atuais. Nas atividades, os condutores assumem temporariamente a condição de ciclistas. A ideia é transmitir, principalmente aos condutores dos ônibus, as dificuldades enfrentadas pelos ciclistas na ocupação dos espaços com os veículos mais pesados, para uma mudança de cultura, com menos riscos de acidentes.

Marcelo Madruga, da equipe de educação para o trânsito da EPTC, um dos coordenadores do projeto junto aos consórcios, ao lado do agente Eduardo Steinmetz, ressalta o trabalho pioneiro desenvolvido na empresa Sudeste, com apoio da Cycle Sport. “Além da parte teórica, com a participação nas nossas palestras, abordando também questões jurídicas, os rodoviários já desenvolvem ações práticas na Sudeste, assumindo a condição e o papel de ciclistas. Eles sentem a realidade de um ciclista dividindo espaço com os veículos pesados, e o risco de acidentes quando o código de trânsito não é respeitado”.

O gerente de Recursos Humanos da Sudeste, Rodrigo Teixeira, afirma que o projeto tem total aceitação dos funcionários da empresa. “A questão da segurança é uma das prioridades da empresa. Muitos dos nossos motoristas e cobradores são também ciclistas. Essa mudança de papel, num espaço criado aqui dentro da empresa, com o motorista na condição de ciclista, circulando ao lado de um ônibus, certamente qualificará o trânsito na cidade e ajudará na redução da acidentalidade”.

Simulação – No treinamento inicial, realizado em março, participaram 15 funcionários da empresa, que brevemente assumirão a condição de motoristas. As próximas ações envolverão os atuais 300 condutores. Na atividade, realizada em área interna da empresa, com duração de cerca de duas horas, o motorista fica posicionado em uma bicicleta fixa, de costas para um ônibus em movimento, com passagem do veículo ao seu lado, na distância de 1m50cm. “Eles sentem a realidade enfrentada pelos ciclistas no dia-a-dia do trânsito”, diz Teixeira.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), Art. 201, os veículos devem respeitar a distância mínima de 1m50cm dos ciclistas, para evitar acidentes. No primeiro trimestre deste ano, mesmo com a redução de acidentes na relação com o mesmo período do ano passado, houve 57 acidentes envolvendo ciclistas, com duas vítimas fatais.

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Treino: motoristas de ônibus assumem condição de ciclistas

  1. rodineiporto disse:

    “Simulação – No treinamento inicial, realizado em março, participaram 15 funcionários da empresa, que brevemente assumirão a condição de motoristas. As próximas ações envolverão os atuais 300 condutores. Na atividade, realizada em área interna da empresa, com duração de cerca de duas horas, o motorista fica posicionado em uma bicicleta fixa, de costas para um ônibus em movimento, com passagem do veículo ao seu lado, na distância de 1m50cm. “Eles sentem a realidade enfrentada pelos ciclistas no dia-a-dia do trânsito”, diz Teixeira.”

    Este treinamento ajuda mas não resolve o problema, pois como cita a sima não simula a realidade, pois no dia a dia os ônibus passam a menos de 1,50 m dos ciclistas, na grande maioria das vezes. Já que este treinamento é dentro das dependências da empresa, ele poderia ser muito mais abrangente e além de simular o ideal que seria os ônibus passando a 1,50 m dos ciclistas, também simular a realidade passando com os coletivos a 1,00 m, a 0,80 m e até a 0,20 m. Para estes motoristas sentirem na pele o banditismo que eles fazem com os ciclistas no dia a dia no trânsito de Porto Alegre.
    Portanto este treinamento têm dois problemas: um é não simular a distância real que os coletivos passam dos ciclistas; outro é não colocar os motoristas a pedalarem nas ruas para sentir como é o comportamento dos outros colegas de profissão ao volante diariamente, onde costumam se aproximar perigosamente dos ciclistas.
    Aí sim, acredito que haverá mais conscientização por parte desse profissionais, já que a grande maioria deles não é ciclista e não sofre esta violência diária.

    • fabricio disse:

      Não há como conscientizar alguém agindo contra a lei… E além disso, os rodoviários podem processar a empresa e os ativistas por tortura ou algo parecido..

  2. João disse:

    Que absurdo! Em vez de banir o risco das ruas, eliminar as bicicletas no meio do trânsito, agora os coitados dos motoristas ainda tem que desviar deste tipo de obstáculo suicida!

  3. valmir disse:

    João tu é um sujeito provido de cérebro com capacidade de racíocinio, põe ele pra funcionar!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s