Quantas mortes mais serão necessárias?

Enquanto a prefeitura não investir pesado em educação no trânsito e fiscalização e continuar investindo na construção de ruas mais velozes e hostis, ela é cúmplice de todas mortes em atropelamentos que acontecem na cidade. A lei do Plano Diretor Cicloviário, em vigor desde 2008,  já prevê que 20% do que a prefeitura arrecada em multas seja destinado a construção de ciclovias e para a educação no trânsito. Além nunca ter cumprido essa lei e do número de fiscais nas ruas estar diminuindo a prefeitura quer agora acabar com essa lei. A morte das duas meninas atropeladas por ônibus dias atrás gerou muita comoção que culminou com uma Massa Crítica histórica e linda onde centenas de pessoas pedalaram da Cidade Baixa até o Rubem Berta e de volta (quase 40km) para homenagear as vítimas. Existe uma movimentação grande das pessoas para mudar essa situação mas a administração da cidade é uma grande força antagônica que parece servir apenas as grandes construtoras e empresas de ônibus.

Talvez se essa lei dos 20% tivesse sido cumprida e tivesse havido uma campanha de educação com os motoristas de ônibus e taxistas alguns anos atrás essas mortes e muitas outras não teriam acontecido. Se houvesse mais fiscalização a ponto de tornar inviável para as empresas de ônibus permitir que seus motoristas corram provavelmente a história seria outra. Pelo contrário, eles são pressionados pelas empresas a correr e a cumprir horário, não importa a lei e a segurança das pessoas. As mortes são só externalidades.

As mortes de ‘ciclistas’ chamam mais a atenção mas a morte de pedestres é tão frequente e rotineira que nem é mais notícia. E o que está sendo feito? Entre todas as obras feitas nas ruas nos últimos anos e todas que estão em andamento existe alguma que beneficie a circulação e a segurança dos pedestres? Algum alargamento de calçada, alguma redução de travessia, alguma medida de traffic calming? Que eu saiba não. Pelo contrário, cada uma dessas obras promete deixar o trânsito mais hostil para todos, pedestres, ciclistas e motoristas. E o nosso secretário de transporte afirma que a maioria dos atropelamentos resultam da imprudência dos pedestres idosos.

Isso é pior que negligência. O prefeito tem o sangue nas mãos e não parece ter nenhum remorso. Vamos todos na audiência pública hoje pressionar a Câmara de Vereadores a não aprovarem a proposta da prefeitura de mutilar o plano cicloviário. Pela Patrícia e pela Daíse. Por todos que morrem no trânsito da cidade, a pé, de bicicleta e de carro.

Audiência Pública na Câmara de Vereadores para tratar do projeto de lei que revoga a obrigatoriedade do governo investir 20% do dinheiro arrecadado com multas de trânsito na educação para o trânsito e para a construção de ciclovias. Segunda 31/03/14 às 19h
https://www.facebook.com/events/683921048329147/

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s