Parque do Gasômetro: Acordo proposto pelo Ministério Público viola o Plano Diretor

antes-do-parqueO acordo proposto pela promotora Ana Maria Marchezan, do Ministério Público, para resolver o impasse entre a duplicação da avenida Beira-rio e a criação do Parque do Gasômetro viola o Plano Diretor da cidade. Embora a promotora esteja correta em exigir uma garantia para o rebaixamento da via, ela se equivoca ao dar um prazo de 15 anos para a obra ser realizada. O Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (PDDUA) é bem claro quando trata das estratégias de mobilidade para a cidade:

Art. 6º A Estratégia de Mobilidade Urbana tem como objetivo geral qualificar a circulação e o transporte urbano, proporcionando os deslocamentos na cidade e atendendo às distintas necessidades da população, através de:

I – prioridade ao transporte coletivo, aos pedestres e às bicicletas;

Permitir que a via seja alargada sem garantir imediatamente — para usar as palavras da própria promotora — “o fluxo pleno de pedestres” e, mais importante, a sua segurança, para simplesmente dar mais espaço ao automóvel particular é uma inversão total dos valores propostos pelo PDDUA. Em primeiro lugar pois a duplicação da via privilegia apenas os automóveis particulares — são poucas as linhas de ônibus que passam no local, e uma faixa exclusiva no horário de pico, resolveria o fluxo de ônibus — em detrimento do fluxo de pedestres, que terão a travessia da via dificultada pelos próximos 15 anos, se a vontade da promotora prevalecer. Depois porque existem outras maneiras de resolver os possíveis problemas de trânsito na região, que, além de serem mais baratas, não apenas não prejudicam os pedestres, mas os beneficiam, rehumanizando a região.

A intenção da promotora é boa, por tentar garantir a criação do Parque do Gasômetro, mas é inaceitável que os pedestres sejam prejudicados por uma década e meia

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Parque do Gasômetro: Acordo proposto pelo Ministério Público viola o Plano Diretor

  1. Felipe X disse:

    E no final qual o problema do plano diretor? Esse rebaixamento de pista não dá maior fluidez ao trânsito. Para o modal automotivo se faz trincheiras, viadutos e que tais sem questionamento mas o pedestre que se dane!

    Fiquei na dúvida se esse assunto é para o vá de bici ou para o porto a pé 😛

  2. Felipe X disse:

    E considerando que todos prazos estabelecidos no plano diretor para este parque foram completamente descumpridos (e eram curtos), imagina 15 anos… até lá bobear vão fazer passarelas por cima da pista e apresentar um projeto de lei para tirar estes trechos “inconvenientes” do plano. https://vadebici.wordpress.com/2013/02/15/o-parque-do-gasometro/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s