Resposta aberta ao editorial do Estado de S. Paulo

“O país com mais carros per capita do mundo é Mônaco. Para efeitos de comparação, São Paulo está na marca dos 0,4. Mas São Paulo tem níveis de congestionamento muito maiores porque o uso dos carros aqui é irracional.”

Leia o artigo completo no Cidade para as Pessoas.

Anúncios
Esse post foi publicado em mobilidade, na imprensa, políticas públicas, São Paulo. Bookmark o link permanente.

8 respostas para Resposta aberta ao editorial do Estado de S. Paulo

  1. Siri disse:

    A população de Mônaco é de pouco mais de 37.000 pessoas, logo, o índice de carros per capita não é tão relevante, pois seu uso fica limitado pela população habilitada, que é menor que a de muitas cidades pequenas do Brasil.
    Por aqui, além do uso irracional, há o agravante da densidade populacional. É uma “combinação que não combina”.

    • Felipe X disse:

      Concordo contigo: é a mistura perigosa de alta densidade e todo mundo querendo usar transporte individual nesta área compacta.

      Alta densidade não só na média dos habitantes por km, mas relacionada a nossas cidades serem grandes (grandes áreas de alta densidade).

    • Pablo disse:

      Muito bem colocado. Junta-se a isso um transporte coletivo péssimo e caro, o resultado não poderia ser diferente.

    • Adriano disse:

      “carrocrata azedo”.

      depois reclamam que não são levados à sério ou são estigmatizados também com outros adjetivos carinhosos.

      esse tipo de coisa só gera atrito entre aqueles que deveriam co-existir de forma natural.

      desserviço à sociedade.

      • José Antonio Martinez disse:

        Adriano, meu caro e sempre presente crítico, fico estarrecido a tua constante presença e patrulha, no nosso blog de ciclistas, para trazer a tua visão “carrocrática azeda”; Mas posso te dizer se leres a resposta ao editorial do Estado de São Paulo ficarias mais insatisfeito ainda; fica lá meu velho no blog do “Eu corto, eu cuido” que fica melhor aos teus interesses. Aqui só dá bicicleta e sem “co-existência” de forma alguma. Saúde a todos os que deixam o carro em casa e vão à labuta de bike.

      • Felipe X disse:

        Para ter se incomodado com a expressão ele deve ser um carrocrata azedo. Note que a matéria não diz que todos motoristas são carrocratas azedos, e não são mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s