A EPTC está presa no Século XX.

Em um grupo chamado Ativismo Pedestre Poa no Facebook, uma pessoa postou sua reclamação à EPTC pelo prolongado tempo de espera em um específico semáforo para pedestres na Avenida Padre Cacique. A EPTC simplesmente respondeu que aumentar o tempo de travessia para pedestres prejudicaria o fluxo de automóveis acumulando mais veículos no semáforo e também induziria o motorista a desobedecer o sinal, passando no vermelho.

Captura de tela de 2013-10-07 11:31:32

E fazer o pedestre esperar vários minutos para atravessar a rua, também não o incita a atravessar a rua no vermelho ou atravessar fora do local indicado? Mas por que parece tão mais fácil pra EPTC reprimir o pedestre, instalando gradis que o forçam a atravessar nos semáforos – mesmo que estejam a dezenas de metros de distância e tenha-se que esperar por diversos minutos – do que reprimir os motoristas, multando aqueles que não respeitam a sinalização e as leis? Por onde andam os caetanos, aqueles dispositivos que fotografavam a placa de quem furasse o sinal? Por que não há mais deles?

Todas as soluções que a EPTC encontra para resolver conflitos entre os diferentes modais acabam invariavelmente punindo o pedestre. O carros não param na faixa de segurança? Faça o pedestre estender a mão. Mesmo assim não adiantou? Faça o pedestre apertar um botão e esperar. Mesmo assim os carros passam no vermelho? Diminua o tempo de travessia para o pedestre. Os carros dobram a esquina muito rápido? Afaste a faixa de segurança da esquina – mas certifique-se de colocar gradis para forçar o pedestre a caminhar até lá!

Em uma reunião na qual participei com a EPTC uma técnica da EPTC tentou justificar os novos investimentos da atual administração municipal que privilegiam o automóvel – como duplicações de vias e construção de viadutos – alegando que é preciso “manter o equilíbrio entre os modais”. Mas em que mundo essa pessoa vive que ela não enxerga que a balança já está pendendo (e muito) para o lado do automóvel particular? Se realmente quiséssemos algum tipo de equilíbrio entre os diferentes modais, precisaríamos passar os próximos 10 ou 20 anos investindo unicamente no transporte público, em bicicletas e no pedestre.

Mas isso apenas ilustra mas marcas características da EPTC: o foco e priorização do fluxo veículo motorizado e a condescendência com o condutor infrator. Na verdade o foco no fluxo de motorizados é apenas um reflexo da mentalidade retrógrada dos muitos dos técnicos (há exceções) e dirigentes da empresa. De um lado temos a mentalidade que perdurou por quase todo século XX, de que o fluxo de automóveis deve ser priorizado e que necessita de mais espaço, e de outro lado temos as novas tendências do século XXI, que tem prioridades justamente opostas, onde se afirma que a vida de um bairro deve ter prioridade sobre quem apenas passa por ele, que mais espaço para os automóveis não irá reduzir os congestionamentos, mas limitar a sua circulação e investir e dar mais espaço exclusivo para a trindade pedestre-bicicleta-transporte público sim.

Cidades como Londres, Nova Iorque, Paris (só para citar as mais ilustres) e centenas de outras já perceberam que investir em mais espaço para o automóvel não irá resolver o problema do trânsito e o carro é que é o grande vilão responsável pela degradação dos espaços urbanos e estão fazendo o oposto de Porto Alegre: quem oferece riscos e problemas é o carro? Restrinja a circulação do carro, mas não dificulte a vida do pedestre – como vêm sendo feito em por aqui.

Medidas de traffic calming: calçadas mais largas nos cruzamentos forçam os condutores a reduzir a velocidade, dão mais segurança à travessia de pedestres e impede que carros fiquem estacionados na esquina ou sobre a faixa.

Medidas de traffic calming: calçadas mais largas nos cruzamentos forçam os condutores a reduzir a velocidade, dão mais segurança à travessia de pedestres e impede que carros fiquem estacionados na esquina ou sobre a faixa.

Existem toda uma nova política lá fora que está demorando para chegar por aqui  – na verdade os ativistas já conhecem há anos, os planejadores urbanos é que relutam em aceitá-la – que traz toda uma nova gama de conceitos para alguns dos quais ainda não há termos respectivos em português: zonas 30 (onde a velocidade máxima é 30km/h), traffic calming (acalmia de tráfego), road diet (dieta de rua), ruas de uso compartilhado onde a prioridade é do pedestre, etc.

O que os técnicos e políticos da EPTC parecem ignorar é que não há espaço físico suficiente na cidade para que todos andem de carro sem que hajam congestionamentos, que precisamos definir prioridades para o uso do nosso espaço público. Queremos dar todo o nosso espaço público para os automóveis ou queremos utilizar parte dele sabiamente para meios de locomoção mais eficientes e usar o resto como zona de convívio e lazer?

Até mesmo veículos conservadores, como o blog Porto Imagem, já apresentam o aumento das calçadas e a priorização do pedestre como solução para a melhoria do ambiente urbano. Entretanto, nos últimos anos, toda obra de (i)mobilidade que afeta o pedestre de alguma maneira realizada em Porto Alegre, o afeta negativamente: redução de calçadas, instalação de gradis, remoção da área de praças e parques, aumento das distâncias a serem percorridas. Enquanto existem sete projetos de novos viadutos e diversas duplicações de vias em andamento, não me ocorre uma única obra significativa que tenha tido como propósito facilitar a vida do pedestre.

Para termos o progresso da mobilidade urbana e para a qualificação dos espaços públicos em Porto Alegre ocorra, umas dessas duas coisas tem que acontecer: ou a EPTC acorda e vem pro século XXI ou a gente acaba com a EPTC e criamos um novo órgão que tenha como prioridade a qualidade de vida e mobilidade focada em transportes eficientes.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

18 respostas para A EPTC está presa no Século XX.

  1. Felipe X disse:

    E quando o pedestre é atropelado, a culpa é dele por se por em risco, a sinaleira demorada, calçadas indecentes, etc nada é justificativa.

    EPTC, invertendo o código de trânsito e protegendo o mais forte em vez de o mais fraco.

  2. Murilo disse:

    este mesmo problema acontece na avenida ipiranga, em frente ao zaffari. quando se consegue atravessar uma via, o outro sentido fecha o sinal e é preciso esperar mais dois minutos para poder atravessar. é ridículo. basta atrasar um dos dois sentidos

  3. André disse:

    Nível de demência da EPTC surreal ! Vou tomar uma caixa de Lexotan !
    Matéria do Metro reproduzida no Portoimagem : http://portoimagem.wordpress.com/2013/10/07/obras-travam-a-cidade-e-reduzem-as-multas/#comments

    Indagado sobre a diminuição no número de multas , Carrolari saiu-se com essa : “Um dos fatores q pode ter contribuído é a melhora no comportamento dos motoristas “

  4. Olavo Ludwig disse:

    Isso dá uma raiva, mas uma raiva, que eu preciso me controlar muito para não infartar!!!! Depois o cara enxerga o Capellari na rua, ou o Fortunatti e enche eles de porrada, ainda vai preso por ser violento…violência é o que esses canalhas fazem com as pessoas obrigando-as a correr risco de vida diariamente, simplesmente por não cumprirem a lei. CANALHAS, BANDIDOS, ORDINÁRIOS.

    • Adriano disse:

      Tá precisando de ajuda heim cara,quanta raiva num corpo só.

      • Olavo Ludwig disse:

        Com certeza, e a ajuda principal deveria vir dos nossos administradores, eu sinceramente não sei como uma pessoa normal, pode ler as respostas idiotas enviadas pela EPTC, ver as barbaridades que são feitas na cidade e não ficar indignado, pelo menos de vez em quando, só se for quase um monge budista ou então um totalmente sem noção, o que realmente tem muito, né Adriano.

    • Olavo Ludwig disse:

      É difícil relaxar por 10min. respirando fumaça, não conseguindo ouvir nem os pensamentos de tanto barulho e com carros caminhos e ônibus passando em alta velocidade a menos de 1 metro do teu corpo, e mesmo quando o sinal abre para o pedestre sempre tem os malucos que não param, ou seja, mesmo esperando parado na estreita e detonada calçada a gente fica correndo risco de vida sim!

      • Ricardo disse:

        Pior que caminhar pela cidade está realmente caótico.Tu chega em qualquer grande avenida de POA e já quer ir embora o mais rápido possível.Estamos sendo hostilizados dentro da nossa própria cidade.É um absurdo!

        Fora Fortunati!Fora Capellari!

    • Olavo Ludwig disse:

      E mais eu me estresso, me irrito, fico com raiva, mas depois de pedalar uns 5 min. passa tudo isso e já estou feliz da vida! 🙂 O que não passa, e realmente não deve passar despercebido e cair no esquecimento é a canalhice dessa gente.

    • Olavo Ludwig disse:

      Diego, troca tua senha urgente que eu apago estes dois comentários.

      • Diego Canto Macedo disse:

        Che
        Deve ser bug no blog, pois eu posto comentários sem logar. Já me aconteceu de eu tentar colocar um comentário e aparecer o nome de outra pessoa. Só apaga.

  5. Olavo Ludwig disse:

    Também acontece na Bento Gonçalves em frente ao 1515, nas sinaleiras do corredor em frente a Euclydes da Cunha, e também próximo a Veríssimo Rosa, que tem um cruzamento quase grudado em uma sinaleira exclusiva para pedestre, mas adivinhem a sinaleira para pedestres não é sincronizada com a do cruzamento, e quando abre é apenas 10s e não da tempo de pegar aberta a do outro lado do corredor, que é sincronizada com a do cruzamento, uma vergonha. E ainda tem motorista que passa o sinal fechado voando nessa sinaleira, tornando os 10 s menos tempo ainda!!!! RAIVA.

    • André Gomide disse:

      Grande Olavo…haja paciência mesmo.
      Bom, sou réu primário…acho que uns tapas em alguns geraria no máximo umas cestas básicas a alguma instituição de caridade(pagaria com todo prazer). KKKKK…depois viro um “Black Gordo” aí vão ter que me aturar…heheheheeh

  6. Zé Pedestre disse:

    Tudo pode ser pior do que a gente imagina. Quem sabe se o problema maior não é que eles sejam incompetentes senão que tem as prioridades da agenda de quem bancou suas campanhas. Fazer com que a impunidade e o descaso tome conta da cidade acaba ajudando a desestimular a participação popular e fomenta o “desamparo aprendido”, que tem sido definido como a dificuldade de aprendizagem apresentada por indivíduos que tiveram experiência prévia com estímulos aversivos incontroláveis. Assim, eles estariam aprofundando um sentimento desmobilizador -o clássico “não adianta”-, para que as reclamações devidamente elaboradas e protocoladas diminuam. No final desse dantesco processo, muitas pessoas acabam fazendo justiça com a próprias mãos quando se defrontam com uma situação que acham injusta e que receiam que ficará por isso mesmo sem sua intervenção. Ai, infelizmente, o foco muda de lugar e o novo inimigo não é mais o poder público, mas o vizinho que desrespeita nosso espaço porque foi empurrado pela falta de soluçoes. Temos que dar a volta por cima dessa cilada psicológica!

  7. Jean Waghetti disse:

    Em todo canto aqui por Porto Alegre existem casos assim. Infelizmente. E o pior é quando o sinal não é respeitado: aí o tempo “que já é difícil atravessar” diminui para o tempo “quase impossível de atravessar”.

  8. airesbecker disse:

    Já te deu conta que a única diferença no ganho de fluxo da trincheira da Anita, é a redução do tempo para a travessia dos pedestres, travessia esta que é feita principalmente para o acesso às paradas de ônibus.
    Pois mesmo com a trincheira ainda vai ter semáforo cruzando a Av. Carlos Gomes para a travessia de pedestres e acesso às paradas de ônibus, só a única diferença é que agora o semáforo é com o tempo dividido com o fluxo da Anita Garibaldi, e depois da trincheira o semáforo vai ficar só para pedestres e aí vai ficar ddddeeeemmmmoooorrrraaaadddddddddooooooooooooo…..
    O único ganho de fluxo que ocorre no tráfego da Av. Carlos Gomes será o tempo de travessia que vai ser diminuído dos pedestres e usuários do transporte coletivo!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s