EPTC promete mais 4,6km de ciclovias para setembro.

Av. Juscelino Kubitschek, Av. Chuí, Vasco da Gama, Irmão José Otão e Ipiranga receberão mais espaços exclusivos para bicicletas. Resta saber a qualidade com que o serviço será feito. Continuarão pintando as ciclovias mesmo que isso comprometa a segurança dos usuários? Continuarão construindo mais ciclovias que vão, mas não voltam, como a da Icaraí?  Continuarão instalando botoeiras com enorme tempo de espera em cruzamentos? Continuarão sendo feitas ciclovias em zigue e zague como na Ipiranga? Com postes no meio? Sobre calçadas onde não há calçada?
Vão continuar sem dialogar com a comunidade?
Confira abaixo matéria na íntegra divulgada no site da Prefeitura.

Capital terá mais 4,6 quilômetros de ciclovias em setembro

Foto: Anselmo Cunha/PMPA
Somando-se aos 15,7 já existentes, serão 20,3 quilômetros de cicloviasSomando-se aos 15,7 já existentes, serão 20,3 quilômetros de ciclovias

Além dos 15,7 quilômetros de ciclovias já existentes em Porto Alegre, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) pretende entregar mais 4,6 quilômetros até o final de setembro, totalizando 20,3 quilômetros. Estão previstas ciclovias na av. Juscelino Kubitschek, Jardim Leopoldina, Zona Norte, 1,1 quilômetro entre a Manoel Elias e a Dr. Vargas Neto; av. Chuí, Cristal, 880 metros entre a Icaraí e a Diário de Notícias; Vasco da Gama/Irmão José Otão, 1,7 quilômetro entre a Miguel Tostes e a Barros Cassal; além de mais 1 quilômetro na av. Ipiranga, entre a Azenha e a Silva Só. “Estamos avançando cada vez mais na construção de espaços para o deslocamento de ciclistas. É um ganho para a população, com a valorização deste veículo que traz tantos benefícios à saúde, não polui o meio ambiente e diminui os congestionamentos, melhorando a mobilidade”, afirma o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

Ciclovias existentes:
– Ciclovia da av. Ipiranga – 1,8km entre a av. Azenha e Edvaldo Pereira Paiva.
– Ciclovia da Restinga – 4,6km de extensão. São 3km na avenida João Antônio da Silveira, entre as avenidas Edgar Pires de Castro e Ignês Fagundes. Outros 500 metros conduzem até as proximidades do Parque Industrial e 1,1km na Nilo Wulff, entre a avenida João Antônio da Silveira e o terminal de ônibus.
– Avenida Diário de Notícias – 2,1km de extensão ao longo da av. Diário de Notícias, entre Wenceslau Escobar e Chuí.
– Ciclovia de Ipanema – 1,2km de extensão. Começa na Cel. Marcos com Dea Cofal, segue pela Dea Cofal e avenida Guaíba, encerrando na Osvaldo Cruz.
– Avenida Icaraí – 1,7km entre as avenidas Chuí e Wenceslau Escobar, no sentido bairro-Centro. Localizada ao lado direito da pista, junto ao meio-fio e segregada por tachões.
– Rua Sete de Setembro (Centro) – 585m. É dividida em dois trechos, o primeiro, de 185m, da Borges de Medeiros até a General Câmara; o segundo, de 400m, da Caldas Jr. até a Padre Tomé.
– Avenida Adda Mascarenhas (bairro Jardim Itu-Sabará, Zona Norte) – 1,2km nos dois sentidos da avenida, entre as ruas Karl Iwers e Vitório Francisco Giordani
– José do Patrocínio (bairro Cidade Baixa) – 880 metros de extensão, ligando as avenidas Loureiro da Silva e Venâncio Aires.
– Estrada das Três Meninas (Zona Sul) – 1,6km de extensão ao longo da via, nas proximidades do condomínio Alphaville.
Próximas ciclovias:
– Av. Juscelino Kubitschek, Jardim Leopoldina, Zona Norte, 1,1km entre a Manoel Elias e a Dr. Vargas Neto (até o final de setembro).
– Ipiranga, previsão de 9,4km entre a Edvaldo e a Antônio de Carvalho (contrapartida Zaffari e Praia de Belas). Primeiro trecho concluído (cerca de 1,8km entre as avenidas Azenha e Edvaldo Pereira Paiva) e o restante em fase de construção / 1km entre a Azenha e a Silva Só (até o final de setembro).
– Avenida Chuí (Cristal): 650m entre as avenidas Icaraí e Diário de Notícias (acrescentando mais um espaço para ciclistas à rede já existente), até o final de setembro.
– Vasco da Gama/Irmão José Otão – 1,1km de extensão entre as ruas Miguel Tostes e Barros Cassal (até o final de setembro).
– Aeroporto-Sertório (integrada na Dona Alzira), previsão de 12km (investimento público) ciclovia circundando a área do aeroporto pela avenida dos Estados, Severo Dullius, Dona Alzira e Sertório (iniciando na estação de metrô Farrapos, segue pela Sertório, Assis Brasil e encerra na Francisco Silveira Bittencourt).
– Com a conclusão da duplicação da Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), obra preparatória para a Copa do Mundo que inclui uma ciclovia de 6,35km de extensão; haverá integração dos espaços exclusivos para os ciclistas das avenidas Ipiranga, Edvaldo Pereira Paiva, Padre Cacique (1 quilômetro a ser implantado) e Diário de Notícias (2,1 quilômetros já existentes), resultando em 17,4 quilômetros de ciclovias integradas.
– Voluntários da Pátria – obra de duplicação da via, com recursos do PAC da Copa, contará com ciclovia de 3,5km entre a rua da Conceição e av. Sertório.
– Loureiro da Silva – 1,2km de extensão interligando a José do Patrocínio e a Vasco Alves.
– Avenida Tronco – 6km de extensão, ao longo de toda a avenida.
– Distrito Industrial da Restinga – 1,20km.

/ciclovia /mobilidade

Texto de: Cláudio Furtado
Edição de: Vanessa Oppelt Conte

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

25 respostas para EPTC promete mais 4,6km de ciclovias para setembro.

  1. José Antonio Martinez disse:

    Quanto dinheiro deste, é da EPTC, diretamente, da arrecadação das multas, como deveria ser? O que for obra de compensação, como a da foto, que pertence ao Alphaville, nem interessa, porque esta obra nem estava no planejamento. Do planejamento cicloviário da cidade quanto está em construção? Sinceramente nem sei por que ainda damos cabida a estas matérias geradas pela EPTC; eles são de lascar. As ruas continuam terra de ninguém pela falta de uma autoridade de trânsito, que se esconde dos fatos e que fica prometendo “à gregos e troianos” as benesses da sua atividade inexistente. Plantar notícia na mídia faz parte da atividade da PMPA que adora aparecer. Por que nos replicamos notícias da EPTC ????? qual o objetivo????

    • Marcelo disse:

      Oi Martinez.

      Nós divulgamos essa notícia pois creio ser de interesse da comunidade saber o que a prefeitura anda fazendo com o PDCI e com o dinheiro público. Sim, até onde sei essas obras estão sendo todas realizadas com verba própria da EPTC.

      Mas não nos interessa simplesmente reproduzir a notícia da EPTC, mas também questioná-la e cobrar projetos bem-feitos. Como vamos cobrar algo se não sabemos que estão fazendo e deixando de fazer?

      Eu particularmente dou as boas vindas a uma ciclovia na irmão josé otão/vasco da gama, pois hoje em dia as opções de quem sai do centro em direção ao bairro independência se restringem a Farrapos, Independência ou Osvaldo Aranha, todas avenidas de grande fluxo e velocidade. A possibilidade de ir contra o fluxo na irmão josé otão é ótima, mas é óbvio que as nossas esperanças de que o projeto seja bem feito são mínimas. Já estou prevendo sinaleiras com botões nas esquinas que deixam todos os carros passarem antes do ciclista, sem contar que o projeto da prefeitura, por algum motivo bizarro começa uma quadra depois do início da vasco da gama e termina uma quadra antes do término da josé otão. Por quais motivos, só odin sabe, pois a prefeitura se nega a dialogar com a comunidade.

      • André Gomide disse:

        Marcelo….estou muito preocupado com a “ciclo-alguma coisa” da Av. Juscelino Kubitschek, Jardim Leopoldina, entre a Manoel Elias e a Dr. Vargas Neto. Ela está à esquerda de quem desce(canteiro central)…é comum automóveis transitarem há bem mais de 70 km…é uma baixada e o pessoal “senta o pé” no pedal direito. É similar àquela do Itu-Sabará…é uma loucura…VAI MORRER ALGUÉM LÁ(Triste). É caminho da garagem da Conorte…os ônibus descem a toda velocidade;
        Minha mãe mora na esquina e eu cresci ali, falo com propriedade sobre velocidade desta via. Há no máximo um mês houve um acidente grave no local provocado pela velocidade elevada.
        “https://maps.google.com/maps?hl=pt-BR&q=Av.+Juscelino+Kubitschek,+Jardim+Leopoldina,+ZoAv. Juscelino Kubitschek, Jardim Leopoldina”

      • André Gomide disse:

        É pensando aqui com meus botões…PQ DIABOS não fizeram a “ciclovia” ao lado da Praça México???????????????????QUE RAIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA…só tem estúpido na EPTC

      • Diego Canto Macedo disse:

        Eu tenho uma especulação para os motivos da ciclovia da vasco/josé otão começar uma quadra depois da goethe e terminar uma quadra antes do fim da josé otão. Na goethe com a vasco haveria um possível conflito, pois o ciclista que vem pela direita na goethe e vai dobrar na vasco, teria que ir para a ciclovia a esquerda, podendo colidir com um carro. No antigo caminho dos parques que passava pela vasco, a faixa das bicicletas começava na direita e depois ia pra esquerda do nada. No fim da josé otão tem a entrada e saida de garagem do colégio rosário. Nesse ponto deve haver também embarque e desembarque de pessoas, pois parte da faixa da esquerda está sempre isolada com cones. Colocar uma ciclovia ali pode ser problemático.

        Resumindo: são dois pontos de conflito que a nossa valorosa EPTC, para não se incomodar, simplesmente não vai tentar resolve-los e vai deixar que o ciclista se vire na hora de entrar e sair desta ciclocoisa.

      • Caro Marcelo,Todas as ciclovias foram feitas de forma adversa às aspirações dos ciclistas, absolutamente todas; não existe uma ciclovia de Porto Triste em que tenham sido usados critérios técnicos claros e pré-definidos de forma rigorosa. O que foi feito numa não foi feito em outra, o que era verdade para uma não é verdade para outra e todo está acontecendo de costas aos ciclistas. Não acredito que exista algum tipo de ciclista(lúdico, esportista, de transporte, etc.) que esteja de acordo com o que está sendo feito pela Prefeitura, até porque o ciclista não é reconhecido pela EPTC tendo deixado de lado a atividade educacional tendente ao respeito deste pelos condutores de veículos motorizados. Nunca uma empresa que realiza o controle de trânsito, que se diz secretaria de mobilidade, secretaria de transportes, etc. poderá realizar OBRAS viárias que tenham alguma valia na área da bicicleta sem sequer contatar a sociedade civil organizada para se manifestar. A EPTC tem agredido diretamente aos pedestres com declarações estapafúrdias, próprias do rato de escritório, que nunca sai de lá para as ruas para saber o que acontece na realidade(chamando vítimas de culpados), tem agredido aos ciclistas em reiteradas vezes com obras como ciclovia da Diário de Notícias, Ipiranga, Restinga(que contabiliza mortes) e tantas outras obras absurdas, tem agredido aos moradores construindo contra a sua vontade, obras absurdas como a trincheira da Anita quando terá mais uma trincheira a menos de 100 metros, levando o caos a um local bucólico de Porto Alegre e assim por diante. Por isto falei, por que falar desta notícia? quando o que está sendo oferecido é mais uma besteira que ofende a todos nos com a sua conceituação primária e fora do eixo. Marcelo meu caro para mi a EPTC é o que foi feito no cruzamento da Avda. Ipiranga com a Múcio Teixeira na ciclovia; foi baixada a rua para que os veículos pudessem andar mais rápido e sem bater embaixo, na esquina leste do cruzamento (lado da Rudder) criando assim uma lomba na ciclovia bem alta, que passa em muito as normas internacionais para ciclovias no referente a declives e aclives laterais na mesma, assim como com pinturas escorregadias extremamente perigosas que nesta esquina impulsam o ciclista para dentro da pista em dias de chuva(já sofrí isto nesta esquina e vários outros). Ou seja foi favorecido o carro no cruzamento com uma ciclovia, como sempre. O que podemos esperar desta gente???? Então se eles se negam a dialogar vamos lutar para que eles saiam de lá direto, longe do mérito político eles tecnicamente não servem a cidade.

  2. Ricardo disse:

    Tenho medo do que vai sair na Irmão José Otão.O asfalto lá é pedregoso e cheio de buracos;seria muito pedir para os projetistas que colocassem um asfalto novo para deixar a ciclovia lisa antes de pintar?Sim,seria!

  3. Luiz Felipe disse:

    5 meses pra fazer uma “ciclovia” de 800 m na Ipiranga!!
    Porto Triste: só largando de mao

  4. fmobus disse:

    Em Setembro vai terminar dois anos do início da obra da ciclocoisa da Ipiranga. Não se entregou nem metade do projeto até agora.

  5. Felipe X disse:

    É simplesmente MENTIRA que a ciclovia da Chuí vai da Icaraí até a Diário. Essa ciclovia começa no início da Chuí, sem ter conexão com a Icaraí (o cruzamento não tem solução de travessia segura) e termina uma rua depois da Pinheiro Borda. Não há como fazer a travessia para a orla.

    • È verdade Felipe não existe solução neste ponto,nem existe na Irmão Otão nem existe no começo na Goethe. Não sei se estiveste junto com a gente quando foram feitas as últimas reuniões com a EPTC ao respeito de ciclovias(faz 4 anos atrás), mas lá estava um figurão que é Arquiteto e com alguma especialização, não sei no que, não recordo; que falou que “a EPTC não pode fazer uma coisa em que o ciclista corra risco, porque se ela participar e fizer ela pode ser responsabilizada; agora se ela não participar bom, eles não estavam lá”, entendeu Felipe, eles não estão lá, em nenhum destes pontos críticos. Agora espero que a família do rapaz que lamentavelmente foi morto na ciclovia da Restinga, atropelado por um caminhão de lixo, esteja responsabilizando a EPTC pela obra, porque ali sim, ELES ESTVAM. Saúde a todos.

      • Felipe X disse:

        Pois é, lamentável!

        O foda é que no cruzamento da ciclovia Chuí para a da orla a solução é simples: um semáforo. Sério, acho criminoso não haver um ali, inclusive para os pedestres que ficam se jogando entre os carros!

  6. henrique disse:

    Tudo bem pessoal?

    Sou novo por aqui, mas pedalo em POA faz uns anos e atualmente pedalo praticamente todos os dias para vir para a faculdade. Gostaria de saber se existe algum tipo de “comissão permanente” de ciclistas, ao menos aqui do blog, para exigir o cumprimento “PLANO DIRETOR CICLOVIÁRIO INTEGRADO DE PORTO ALEGRE”, feito pela própria prefeitura em 2008. Infelizmente ficarmos lamurando aqui, do meu ponto de vista, não vai fazer com que a EPTC mude sua forma de trabalhar.

    • André Gomide disse:

      Amigão…existe uma ação ainda tramitando na justiça sobre este tema…acho que é o ciclista e advogado aires becker que está acompanhando de perto.

      “Processo : 1/11200855311
      Processo CNJ : 0111818-75.2012.8.21.0001
      Classe : Acao Coletiva
      Natureza : Acao Coletiva
      Classe CNJ : Acao Civil Coletiva
      ASSUNTO CNJ: Conflito Fundiario Coletivo Urbano :: Competencia de Fazenda Publica
      Comarca : Comarca de Porto Alegre
      Orgao Julgador: 1a Vara da Fazenda Publica do Foro Central
      Data de propositura: 18/04/2012
      Autor: Ministerio Publico e outros…
      Reu: Municipio de Porto Alegre e outros…

      Coleta em: 21/08/2013 07:00:02
      Ultimas movimentacoes:
      ————————————————————

      20/08/2013 – Conclusao ao Juiz
      19/08/2013 – Processo aguardando juntada
      19/08/2013 – Documento(s) juntado(s)
      13/08/2013 – Documento(s) recebido(s) no Protocolo Geral
      07/08/2013 – Autos Retornados ao Cartorio

      • André Gomide disse:

        Eu particularmente sempre estou recebendo estas informações…por mais que a Prefeitura “chore”…vão ter que cumprir a lei…isto é fato. Imagino inclusive que estas “ciclo-alguma-coisa” já estejam sendo feitas com este dinheiro…o problema hj é como estão fazendo!!!!

  7. João disse:

    Pessoal, temos de encontrar uma forma de cobrar os prazos. Estão TODOS sendo descumpridos, as desculpas velhas de sempre. Também aguardo ansioso pela ciclovia da Vasco da Gama, o constante estreitamento e fechamento da via impossibilita um pedalar seguro e no contra fluxo é suicídio. Alguém tem um bom contato em TV?

  8. Amigos novos no pedaço todos aqui estamos lutando para conseguir alguma coisa das autoridades, como cicloativistas; só que não nos contentamos só com lamurias, trabalhamos em todas as frentes e temos representantes dos ciclistas até na câmara de vereadores, trabalhamos junto si Detran RS, integramos varias associações de luta ACPA, Mobicidade, ACZS, etc. e na imprensa possuímos sim alguns contatos só que além disso trabalhamos, estudamos, festejamos, etc. O que parece mimimi é na realidade uma dura critica ao lixo construído pela EPTC Saúde novos amigos cheios de gás

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s