15 de Abril – Dia Mundial do Ciclista

Hoje se comemora o Dia Mundial do Ciclista. Vale lembrar o benefícios que a bicicleta traz.

Bici-beneficios

Caso queira calcular mais precisamente o impacto em sua vida (e no meio ambiente) que a bicicleta traz, no site EuVoudeBike tem uma calculadora muito legal onde se pode inserir as distâncias percorridas no dia e ela calcula as calorias queimadas, a redução de CO2 e quanto se economiza em combustível.

Calculadora

“Viver é como andar de bicicleta: É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio”. Por: Albert Einstein

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

21 respostas para 15 de Abril – Dia Mundial do Ciclista

  1. Felipe X disse:

    hmmm honestamente não achei nenhuma referência em lugar algum sobre esse dia do ciclista…

  2. Olavo Ludwig disse:

    Pra mim todo o dia é dia do ciclista 🙂

  3. Guarani Kaiowa Irônico disse:

    o que é licensiamento?

    • Felipe X disse:

      Apesar de achar ridículo quando alguém diz que um ciclista atrapalha o trânsito dos carros (como se os carros fossem os donos da rua), concordo com vários pontos. Inclusive eu acharia muito melhor não fazer nenhuma ciclovia mas sim botar fiscalização ostensiva multando cada motorista que dá fininho em ciclista ou fecha na curva.

      Mas isso sim é idealismo.

      • Concordo com o Felipe. Se os motoristas respeitarem a presença de bicicletas na pista não precisa de ciclovia. Aliás, se fosse esperar por ciclovia, eu não andaria de bicicleta em Porto Alegre.

  4. lobodopampa disse:

    O blog lincado acima é um exemplar do mais puro reacionarismo carrocêntrico. Muito interessante, até porque é difícil alguém ter coragem (cara de pau?) de assumir opiniões assim tão retrógradas. Me lembrou um blog de nazismo que eu vi há algum tempo; igualmente bem escrito e formatado, não é coisa de reacionário burro, é de gente com bom grau de instrução e escolhas de vida lamentáveis na minha opinião.

    Vejam o que eles dizem deles mesmos:

    ” No final dos anos 1990, um grupo de apaixonados por automóveis e seu mundo formou um grupo fechado de discussão para debates e trocas de conhecimento sobre diversos temas relacionados a automóveis. O grupo era composto por membros com grande experiência em diversos setores do mundo automobilístico, incluindo jornalismo especializado, engenharia, comunicação, Direito, experiência prática e outros. Mas o catalisador dessa união sempre foi a paixão por automóvel.”

    “Conteúdo próprio e abordagem emocional. Outro ponto de destaque do blog é todos os textos publicados serem de produção interna, feitos a partir de experiências e envolvimento direto com os temas. Os autores, ou colunistas, abordam diversas questões e expressam sua opinião sincera e sem rodeios. A grande maioria das postagens sempre aborda o tema proposto com relatos pessoais envoltos numa abordagem emocional. “Acreditamos que a abordagem pessoal e emocional nos aproxima dos leitores, pois eles podem perceber que nossa paixão não é diferente da deles.”, explica o editor Marco Antônio Oliveira.”

    Não é de se admirar que pessoas que são declaradamente apaixonadas pelo automóvel estejam morrendo de medo deste ponto de mutação que se aproxima inexoravelmente – que em países civilizados já chegou há tempo – a partir do qual o privilégio do automóvel começa a ser posto em cheque. Felizmente pra eles, em PoA isso ainda vai demorar.

    Enquanto isso, esse tipo de gente vai tentando intimidar os usuários de bicicleta como pode.

    Não conseguirão.

    O curso da História está contra eles.

    • John disse:

      Comparar nazistas a autoentusistas é demonstrar de forma patética o teu ódio por automotores.

      • lobodopampa disse:

        Não tem nada a ver com ódio, meu querido Trollzinho.

        Tem a ver com retórica.

        O blog em questão, assim como o blog nazi a que eu me referi – e não comparei, apenas disse que me fez lembrar –

        [reconheço que isso não foi muito claro a minha parte e pode despertar como despertou reações indignadas]

        – usa argumentações elaboradas e aparentemente lógica para tentar tornar palatáveis, defensáveis, e até atraentes, idéia e teses que por N motivos são ou se tornaram indefensáveis e lamentáveis. P.ex. o autor do post lincado acima conegue a proeza retórica de “provar” que a reivindicação por ciclovias tem uma motivação totalmente “egoísta”; deixando subentendido que eles, que defendem os privilégios do carro, são cidadãos generosos, é claro.

        Isso me faz lembrar uma outra referência – mais nobre, e tbém mais perturbadora, do que o site nazi: “Como Vencer um Debate Sem Precisar Ter Razão”, de Schopenhauer.

        Eu não odeio carros, filhote. Eu tenho um. Uso quando é absolutamente necessário. O resto do tempo ele fica com minha esposa que faz um uso bastante razoável. Não é raro ele ficar o dia inteiro descansando. Nós sabemos andar a pé, de ônibus, de táxi, de lotação, e de bicicleta.

  5. Guarani Kaiowa Irônico disse:

    “puro reacionarismo” “retrógradas” “O curso da História está contra eles” Cara, incrível como tu tens a verdade e a história na palma da tua mão

    • lobodopampa disse:

      Reacionarismo é ir contra algo que está mudando (para melhor, supõe a pessoa que usa o termo, obviamente; mesmo motivo pelo qual ninguém se auto-intitula “reacionário”.

      Acho que o termo combina muito bem com uma postura que tenta ignorar o FATO que o mundo civilizado está fazendo ENORMES esforços para REDUZIR o uso abusivo do automóvel particular, e ENORMES investimentos para devolver vida às cidades – vida esta que é claramente prejudicada e ameaçada por esse mesmo modelo transportacional e urbano centrado no paradigma do automóvel.

      Se a ti parece que isso é querer ter a verdade na palma da mão, e se isso te diverte, be my guest.

  6. Guarani Kaiowa Irônico disse:

    Reino Unido: 62 milhões de habitantes, 31 milhões de carros.
    Brasil: 190 milhões de habitantes, 65 de milhões de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, carretas e motocicletas)

  7. lobodopampa disse:

    Mais um trecho relevante do linque acima:

    “O prefeito Johnson explica que “a razão pela qual estou entregando esta quantidade de dinheiro é que este projeto não somente ajudará aos ciclistas, mas também vai criar um lugar melhor para todos. Isto significa mais árvores, menos tráfego, mais lugares para sentar e comer um sanduíche. significa mais assentos no metrô, menos competição por uma vaga no estacionamento e que, sobretudo, cumprirei com meu objetivo de tornar mais limpo o ar de Londres. Se somente 14% das viagens ao centro de Londres for feita de bicicleta, as emissões do contaminante NOx, proveniente dos veículos, se reduzirão quase a um terço, literalmente, milhares de vidas poderão ser salvas“.”

    Acho que isso ajuda a clarificar porque dá pra dizer que um blog que se declara apaixonado por carros, e que acusa os cicloativistas de “egoísmo”, é reacionário, e está na contramão da História.

  8. Guarani Kaiowa Irônico disse:

    “mundo civilizado”

  9. Aldo M, disse:

    Eu diria que a principal diferença é a época. O nazismo já foi considerado por muitos como perfeitamente defensável. Mas, como se sabe, tudo pode ser reavaliado, inclusive a idolatria ao automóvel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s