A Mobilidade na Cidade da Copa

Não Porto Alegre, claro, mas a Cidade do Cabo, na África do Sul. Surpreenda-se com o texto abaixo, traduzido do site da Prefeitura da Cidade do Cabo (ênfases minhas):

Como cidade hóspede da Copa do Mundo FIFA™ de 2010, a Cidade do Cabo alavancou significativos investimentos em infra-estrutura de transporte, particularmente no transporte público e em Transporte Não-Motorizado.

Um Plano de Operações em Transporte Urbano foi desenvolvido para garantir que todos os aspectos do planejamento e gestão de transporte para os eventos fosse atendido. Atividades de planejamento de transporte estiveram focadas em evitar deslocamentos desnecessários e em prover alternativas seguras e viáveis de transporte ao invés do uso de veículos particulares, dessa forma evitando congestionamentos e emissão de carbono. Os torcedores foram encorajados a usar o transporte público para se deslocar até o Estádio da Cidade do Cabo e à FIFA Fan Fest™. Estrutura para estacionamento remoto foram proporcionadas em 22 estações de trem, e o novo sistema MyCiTi de trânsito rápido (BRT) ofereceu um serviço de ônibus expresso partindo de três locais adicionais. Um ônibus expresso no Aeroporto também esteve disponível, fazendo uso das novas estações no Aeroporto Internacional da Cidade do Cabo e o principal terminal de transporte do Centro da Cidade do Cabo, no Herzog Boulevard. Os novos ônibus adquiridos como parte do sistema BRT estão em conformidade com o padrão Euro 4 de eficiência de consumo e emissões de CO².

Para maximizar a capacidade do sistema de transporte público, foi decretado feriado em escolas em universidades coincidindo com as datas dos eventos.

Foram criadas infra-estruturas apropriadas de Tráfego Não-Motorizado, incluindo novas passarelas e calçadas, faixas de segurança, suavização de superfícies, iluminação apropriada, etc. ao redor dos estádios, para encorajar o acesso a pé.

Campanhas de conscientização para uma direção “eficiente” (com baixo consumo de combustível) foram realizadas antes e durante a Copa do Mundo FIFA™ de 2010. Pôsteres com dicas para direção econômica foram fixados em prédios públicos e centros de formação de condutores. Em parceria com a Associação das Indústrias de Petróleo da África do Sul (SAPIA), um módulo de treinamento em “eco-direção” foi desenvolvido e testado com 20 táxis monitorados, cujos motoristas receberam treinamento em como dirigir seus veículos de forma mais econômica e ecologicamente amigável.

Os projetos

  • Desenvolvimento de infra-estrutura para ciclistas e pedestres;
  • Desenvolvimento de infra-estrutura de transporte público;
  • Empréstimo de bicicletas na área central;
  • Programa de eco-táxis / eficiência de consumo de combustível;

A Copa do Mundo FIFA™ de 2010 foi uma catalizadora para significativos investimentos em transporte público e infra-estrutura de Tráfego Não-Motorizado na Cidade do Cabo. A Etapa 1a do novo sistema de BRT esteve operacional a tempo para a Copa, e junto com os trens, formou a espinha dorsal do sistema de transporte público para o evento.

A Etapa 1a incluiu transporte expresso no Aeroporto e serviços de translado, nos dias de jogo, entre o Estádio e o Terminal Central no centro da Cidade do Cabo. Novas estações de BRT foram construídas no Aeroporto, no Herzog Boulevard, e no Estádio. Estacionamento remoto (“park and ride”) em estações de ônibus foram colocados no Campus superior da Universidade do Cabo, na Camps Bay High School, e na Escola Primária de Kronendal. Investimento em infra-estrutura, feitos pela cidade e pela Associação de Transporte Ferroviário de Passageiros da África do Sul, viabilizou melhoras duradouras em 26 estações de trem para promover estacionamento remoto baseado em trem durante a Copa do Mundo FIFA™ de 2010. Estacionamento, segurança e iluminação adicionais foram instalados nessas estações, que também foram reformadas como parte do projeto.

Durante os eventos, o Departamento de Assuntos Ambientais fez uma pesquisa demonstrando que 40% dos torcedores foram ao estádio utilizando o transporte público, e 13% foram a pé, somando 53%. O serviço de translado ao Estádio foi usado por 235 000 torcedores, e 581 913 torcedores participaram da Caminhada dos Torcedores (alguns mesmo sem ter ingresso, somente para vivenciar a atmosfera festiva).

A Waterkant Street foi permanentemente fechada ao tráfego motorizado entre a Burg Street e o Buitengragt, e a calçada da Somerset Road foi alargada para acomodar uma ciclofaixa e calçadas adicionais. Essa rota se tornou o trajeto oficial da Caminhada dos Torcedores, entre o Centro e o Estádio do Cabo, durante a Copa do Mundo FIFA™ de 2010. Esse trajeto é um legado permanente da cidade, e tem sido muito utilizado para eventos no Estádio após a Copa do Mundo.

(…)

Mobilidade para pessoas com deficiência foi uma prioridade na Copa do Mundo FIFA™ de 2010. Medidas especiais e serviços operacionais foram incluídos para prover transporte para esse mercado. As novas estações de BRT são totalmente acessíveis, e medidas adicionais foram adotadas nas estações de trem para garantir um nível ótimo de serviço para pessoas com deficiência. Translados especiais foram disponibilizados para, em dias de jogo, levar as pessoas com deficiência o mais próximo possível do estádio.

(…)

Um sistema eficiente de transporte público é necessário não somente para o transporte seguro dos torcedores, mas também para contribuir com a significativa redução do impacto ambiental do evento. Transporte já representa 50% do consumo energético da Cidade do Cabo. O novo sistema de BRT e Transporte Não-Motorizado da cidade vai ajudar a reduzir esse valor no futuro – uma tendência essencial para qualquer cidade que queira ser sustentável e ter uma menor “pegada de carbono” no futuro. Para colocar isso em perspectiva: Comparando com veículos particulares ocupados por uma pessoa só, os torcedores consumiram dez vezes menos energia se deslocando por trem, e quatro vezes menos se deslocando de ônibus.

Durante a Copa do Mundo FIFA de 2010, muitos sul-africanos pela primeira vez trocaram seu modo de transporte, usando trem ou ônibus ao invés de automóvel particular. Um sistema seguro, eficiente e confiável de transporte público pode formar a espinha dorsal de um grande plano de transportes para eventos, desde que capacidade suficiente esteja disponível. Essa experiência positiva com o transporte público pode aumentar o uso desse modal de transporte no futuro.

Referências principais e material de consulta

  • City of Cape Town. November 2008. Host City Transport Operations Plan Version 3.

  • City of Cape Town. June 2009. Cape Town’s Integrated Rapid Transit System (brochure).

  • Department of Environmental Affairs. 2010. 2010 National Environmental Volunteer Project Survey: Western Cape Provincial Report.

  • Sustainable Energy Africa. April 2009. A Green Goal 2010 Workshop: Taking responsibility for tourism during the 2010 FIFA World Cup™. Cape Town.

Fonte original:

http://www.capetown.gov.za/en/GreenGoal/Pages/TransportmobilityandaccessNew.aspx

Enquanto isso, em Porto Alegre…

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para A Mobilidade na Cidade da Copa

  1. Pablo disse:

    Não pode todas essas cidades estarem erradas e só Porto Alegre certa!

  2. Eles estão errados e Porto Alegre está certa, só Porto Alegre tem bispo Fortunatti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s