Mais um acidente interrompe o fluxo sangüíneo em São Paulo. Fluxo sanguinário segue com normalidade.

Este era para ser o post sobre o sucesso estrondoso, colossal, magnânimo que foi a Primeira Pedalada Pelada de Porto Alegre, ocorrida ontem e amplamente noticiada.

Infelizmente, hoje tivemos mais uma das notícias que não gostaríamos de ter que divulgar, especialmente em um blog que se propõe a estimular as pessoas a andarem de bicicleta.

Por volta das cinco e meia da manhã, na Avenida Paulista, São Paulo, Davi Santos Souza, 23 anos, foi atropelado e teve seu braço mutilado.

“O condutor Alex Siwek, estudante de Psicologia de 22 anos, foi até uma base da polícia no bairro Saúde por volta das 7h10 e confessou que levou o braço da vítima, que caiu dentro do carro, quando evadiu do local. Ele se dispôs a refazer o trajeto da Paulista até sua residência, para que os policiais tentassem encontrar o membro, já que havia chance de reimplante.

​Mas, no percurso, o motorista confessou que arremessara o braço no rio da avenida Ricardo Jafet. As informações são do 78° Distrito Policial, para onde o condutor foi levado.” (Terra Notícias)

http://globotv.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/v/ciclista-e-atropelado-tem-braco-amputado-e-motorista-nao-presta-socorro/2451398/

O que mais incomoda, sempre, e ainda, é a insistência nojenta e infalível da mídia em sempre fazer algum irrelevante e desnecessário comentário sobre o impacto do “evento” no fluxo normal do trânsito:

“Devido ao acidente, três faixas da esquerda, inclusive a ciclofaixa de lazer, no sentido Paraíso, permaneciam interditadas até as 11h20. Os ciclistas que passavam pelo local deviam continuar por uma faixa reversível criada na ciclofaixa no sentido oposto ou seguir por alguns metros na mesma faixa que os outros veículos. No horário, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) registrava uma lentidão de cerca de 900 metros.” (Folha de SP)

“Três pistas permaneciam fechadas até as 8h30 de hoje, segundo a CET. O acidente ocorreu na esquina com a avenida Maria Figueiredo, sentido Paraíso, próximo à estação de metrô Brigadeiro.” (Terra Notícias)

“Após seis horas de bloqueio, o trecho da avenida Paulista com a rua Maria Figueiredo, interditado às 6h17 em função do atropelamento de um ciclista, foi liberado para os motoristas. De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a situação foi normalizada às 12h36. O acidente aconteceu no sentido Paraíso e provocou o bloqueio de três das quatro faixas da avenida. A vítima, de 21 anos, foi atingida por um carro e teve o braço arrancado devido à violência do impacto.” (R7 Notícias)

Vale notar que, novamente, a existência de uma pseudo-infra-estrutura cicloviária aparece incomodamente associada ao triste e evitável evento: “No horário em que ocorreu o acidente, a ciclofaixa de lazer da Avenida Paulista ainda estava desativada. As ciclofaixas funcionam aos domingos e feriados nacionais, das 7h às 16h.” (G1)

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

16 respostas para Mais um acidente interrompe o fluxo sangüíneo em São Paulo. Fluxo sanguinário segue com normalidade.

  1. Beto Flach disse:

    Nooooooooooosssssa! Estrondosa é a coincidência de que o jovem ciclista morto pelo caminhão de lixo na Restinga TAMBÉM SE CHAMAVA DAVI SANTOS DE MOURA!!! Que coisa mais trágica e incrível!
    http://www.sul21.com.br/jornal/2013/03/jovem-atropelado-na-restinga-acentua-riscos-contra-usuarios-de-bicicleta-em-porto-alegre/

  2. Netto disse:

    Os jornais online destacaram o fato das faixas ficarem interditadas e provocarem congestionamento… F***-SE QUANTAS FAIXAS FORAM FECHADAS OU QUANTOS CARROS FICARAM PARADOS! Poxa, tentaram assassinar um ciclista na av. Paulista, e ainda teve seu braço jogado no rio e os jornais destacam o transito formado por isso? Motorista covarde! Bandido! Até quando isso vai continuar?

  3. Estamos vivendo um mundo imundo. As atitudes são fora de normal, as reportagens estão mais preocupadas com os engarrafamentos que bom a morte ou ferimentos de um jovem, mas vamos lá Helton vamos continuar pedalando e lutando para trocar um pouco este mundo bandido, já pelo fato da nossaudanca em nosso entorno muita coisa mudou. Saúde a todos, Martinez

  4. Verô disse:

    Muito triste isso. E revoltante.
    Essa história de horário para ciclofaixa tem de ser repensada urgentemente. As pessoas podem ter a impressão errônea de segurança, quando o horário de funcionamento é somente a partir das 7 horas. É claro que o motorista do carro tem de cuidar, ficar longe, mesmo sem ciclofaixa.
    Quanto ao nome dele, segundo o G1 é David Santos de Souza. Torço muito pela sua recuperação. Um jovem que se levanta de madrugada para trabalhar e que acaba sofrendo esse acidente tão grave…que horror.
    O que podemos fazer, concretamente?

    • lobodopampa disse:

      Verô, se você é de PoA, pode se juntar a esta mobilização que começou forte, tem boas chances de continuar ou até se tornar algo permanente. Carregando o nome de Davi – o outro – ela vai ajudar a botar a periferia e seus pedestres e ciclistas no mapa e na consciência dos portoalegrenses:

      http://www.facebook.com/events/124898981025385/?ref=notif&notif_t=plan_user_joined

      • Verô disse:

        Não moro em Porto Alegre, infelizmente. Mas adorei a iniciativa de inclusão da periferia, seus pedestres e seus ciclistas.

    • heltonbiker disse:

      Verô, infelizmente a infra-estrutura que foi implementada para o ciclista na periferia de Porto Alegre, por ser fragmentada, não-padronizada, incompleta e com qualidade técnica muito questionável, pode acabar gerando a FALSA sensação de segurança. Não há como ter certeza, mas aparentemente ambos os Davis estavam circulando SOBRE uma dessas ciclovias/faixas, acreditando estarem cumprindo o que se esperava deles no trânsito e portanto estarem em segurança. Num dos casos, a ciclofaixa NA PISTA DA ESQUERDA tinha horário para funcionar, e em outro caso o evento parece ter ocorrido no cruzamento, onde a pintura cicloviária sugere que seja uma espécie de faixa de segurança, ou preferencial. Isso PRECISA ser considerado pelas otoridades, antes que o aumento dos quilômetros de ciclocoisas impliquem um proporcional aumento das mortes de ciclistas.

  5. Felipe X disse:

    Vocês sabem o que é pior né? Logo o piloto daquele carro vai estar na rua e dirigindo.

  6. lobodopampa disse:

    Um detalhe não totalmente desprezível dessa história: o motorista homicida é estudante de Psicologia – uma profissão da área de saúde; mais que isso, de saúde mental; mais especificamente uma profissão para a qual a habilidade chamada EMPATIA é conditio sine qua non.

    Esse detalhe abre uma janela grande para questionamentos vários.

    O mais óbvio – e menos sério – é que o rapaz errou feio na escolha da futura profissão.

  7. Rosana Garcia disse:

    EU ESTOU EM CHOQUE, INDIGNADA, HORRORIZADA, TRISTE, INCONFORMADA E, INFELIZMENTE, DESCRENTE E SEM ESPERANÇA QUE POSSA EXISTIR UM MUNDO MELHOR… POR FAVOR, ALGUMA NOTÍCIA QUE ME TIRE DESSE SENTIMENTO DE DESCONSOLO IRREPARÁVEL E ME REMETA À POSSIBILIDADE DE ALGUMA ESPERANÇA.

    MEUS SENTIMENTOS PROFUNDOS DE COMPAIXÃO COM ESSE RAPAZ E DE REPÚDIO TOTAL AO VERME QUE O ATROPELOU

  8. Aldo M. disse:

    Nojento também foi o argumento do advogado do atropelador, chamando a atenção que o rapaz era de “boa família”. Ou seja, invocou privilégios de casta social, que não existem na lei escrita mas que são normalmente aceitos em nossa sociedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s