A ciclovia da Adda Mascarenhas

Ciclofaixa na Adda Mascarenhas. Fim abrupto. Uma ciclofaixa que termina de repente, mesmo que a avenida ainda continue por uns 500 metros mais adiante. Repare que o táxi que acaba de me ultrapassar, se joga com tudo para a esquerda. Se eu não paro, me atropelava ou tocaria “delicadamente” a buzina. O que esses projetistas têm na cabeça?

Postagem copiada do Facebook com autorização do autor.

Anúncios
Esse post foi publicado em ciclofaixa, ciclovia, mobilidade, Plano Cicloviário e marcado , , . Guardar link permanente.

9 respostas para A ciclovia da Adda Mascarenhas

  1. Guilherme disse:

    HAHAHA!

    Só posso rir. Parece piada, cara. Há pouco, ainda, a EPTC respondeu um cara no Facebook: “Lembramos também, que já foram construídos treze (13) quilômetros de ciclovias/ciclofaixas em Porto Alegre; que é o local mais seguro para o trafego desses condutores.”

    Tô vendo que é seguro…

  2. zigli disse:

    E a conclusão da ciclovia da Ipiranga, prometida para dezembro/2011, depois agosto/2012 e, por último, para dezembro/2012? Alguém têm notícias?

  3. Ricardo disse:

    Atenção técnicos/arquitetos da EPTC:se estiverem lendo isso,a rua precisa urgente de quebra molas para reduzir a velocidade dos automóveis que passam ao lado da ciclovia.Além disso,não posso deixar de relatar a qualidade do asfalto da ciclovia na parte que não foi recapeada.Tem partes que a superfície dos asfalto é BRITA!Uma vergonha!.Vou furar o pneu da minha bicicleta se passar por ali.

  4. Fernando Pavão disse:

    Que bosta é essa? Ainda por cima parece que tem uns 30cm de largura.

  5. Claudio Zona norte disse:

    tem exato um metro de largura mais 40 cm da divisória dos carros medido na regua.

  6. Marcelo disse:

    Nossa, sai no meio de uma via de alta velocidade sem qualquer tipo de proteção ou indicação de como proceder.

  7. Umas semanas atrás publicaram umas fotos dessa ciclofaixa ainda em fase de construção e eu não acreditei que fossem fazer isso de colocar à esquerda da faixa onde os carros passam em alta velocidade. Alô, EPTC, não sabe como fazer NÃO FAZ. Depois ficam dizendo que ciclista nunca tá contente. Contente com o quê? Com essa… ABERRAÇÃO??

    Alguém com o seguro de vida em dia e coragem suficiente pra se arriscar a fazer um vídeo usando essa armadilha?

    • Felipe X disse:

      É fogo mesmo, mas essa história de “ciclista nunca estão contente” é um não-argumento não vazio quanto a história de que “quem não quer viaduto não quer progresso”.

  8. denise jardim disse:

    Acabo de pedalar na ciclovia da Adda Mascarenhas na zona norte. Mais uma ciclovia de lazer que vai de nada a lugar nenhum, todas são descontínuas com a promessa de um dia o mosaico se encontrar.

    Bem, tirando o fim abrupto depois de uma deliciosa descida para encontrar um cruzamento de carros em terra de ninguém (feche os olhos e reze), achei a parte andável muito inteligente.

    Nem parecia coisa de engenheiro de transito porto alegrense! A ciclovia fica junto ao canteiro central (e não se corre risco de pegar pedrestre desavisado). Acompanha o duplo sentido da rua com sinalização ostensiva na parte descontínua dos canteiros em que os carros podem ser acomodados (entre as ciclovias) quando fazem a conversão ou mudança de faixa.

    Mas segue o espírito de ser uma ciclovia do bairro para o bairro e não uma via de transito alternativa na cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s