Com propaganda enganosa, começam obras da trincheira da Anita.

Começam na próxima segunda-feira, dia 07 de janeiro, as obras da trincheira da rua Anita Garibaldi. Em resposta ao folder divulgado pela prefeitura municipal, que afirma que a obra oferecerá melhoria para a segurança de pedestres, para a circulação de automóveis e (pasmem) redução da poluição atmosférica e sonora, ativistas fizeram uma modificação do folder, expondo os problemas da obra:

Folder modificado por ativistas.

Folder modificado por ativistas.

folder_anita-1

Folder original.

Apenas uma pena que o movimento contra a obra esqueceu de mencionar que a obra é ilegal, pois descumpre o Plano Diretor Cicloviário ao não implementar a ciclovia prevista para aquele trecho e de não expor as mentiras sobre redução da poluição. Pois todos sabemos que o aumento da capacidade de uma via só fará com que mais automóveis utilizem aquela via, aumentando a poluição atmosférica e sonora, além disso a prefeitura removerá dezenas de árvores adultas, AUMENTANDO mais ainda a poluição atmosférica e sonora do local. As árvores que forem plantadas depois do término da obra, só farão efeito significativo daqui a 20, 30 anos, quando atingirem um porte semelhante ao das árvores que lá se encontram hoje – isso se forem plantadas tantas árvores quanto serão removidas, o que é de se duvidar pois o passeio público será reduzido.

Mais críticas:

Mais algumas boas críticas à obra colocadas por um comentador no blog Porto Imagem:

– Vai existir sinaleira na entrada e saída (isso até os técnicos da EPTC deixaram a entender na “audiência pública”). Lembro que o CTB diz que o pedestre é obrigado a utilizar a faixa de segurança caso esta esteja a 50m. Somando a isto, a Anita é rua, 40km/h. Logo o pedestre pode, e vai, atravessar antes e depois do túnel. Faixa de segurança vai ser obrigada a ter (até mesmo pros pedestre se juntarem e não atravessar em qualquer lugar). Como em POA ninguém obedece a faixa (e tb pq serão 6 pistas) a EPTC vai ser obrigada a colocar sinaleira.

– Vai existir sinaleira nos 2 lados da Carlos Gomes (em cada parada de Ônibus). Entre a Anita e o viaduto, terá que ter outras sinaleiras pros pedestres atravessarem (como ocorre atualmente).

– Esse render é pra enganar os que não sabem. Duvido que não exista projeto feito com as sinaleiras. Não tem como não ter. Senão a obra não sai (tem que ter projeto).

– O problema da prefeitura de mudar a posição das paradas somente no panfleto e não mudar na obra é caso de no mínimo demissão do funcionário publico que mentiu. Alguém da prefeitura da ganhando algo para mentir. Mentira não se aceita de nenhum servidor, de nenhum CC, de nenhum órgão muito menos da prefeitura.

– Essa é a obra que vai fazer mais congestionamento do que ajudar. Qualquer pessoa com a mínima noção entende isso. Até os técnicos da EPTC. Só que o dinheiro para pagar a campanha que manda.

– O congestionamento da perimetral no horário de pico continuará. O que pode é em vez de ficar esperando no sinal vermelho, vai ficar esperando em cima do túnel ou viaduto. Sinaleira vai continuar, os pedestre continuaram existindo, os ônibus idem. Alem de fazer do publico que utiliza a Anita para acessar a perimetral pro norte ter que fazer um balão. Logo vai prejudicar tb a perimetral para esse publico.

– Ideia de pista expressa (ou pseudo) já está em desuso. Impossível atualmente em POA. Simplesmente pq sempre existe pedestre, logo sempre vai existir sinaleira, mesmo com viaduto em cima ou túnel por baixo. Via expressa em POA somente na Castelo Branco (até o viaduto para Guaiba).

– A obra da Cristóvão tb ta com problema com a comunidade. A da Plinio menos pq é avenida, e não mexe muito com o pessoal.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para Com propaganda enganosa, começam obras da trincheira da Anita.

  1. Maria disse:

    Genial o Folder modificado! Parabéns pelos esclarecimentos corretos! Outra falsidade da Prefeitura é que na Alameda Raimundo Correa somente irão passar veículos com até 7 toneladas! Kkkkkkkk!!!! Vais fazer o que Fortunati??? Ficar na esquina controlando o peso ou vais colocar uma balança?? Faz-me rir muito a palhaçada toda dessa obra para “Ingles ver”!!!

  2. Gabriele disse:

    Fantastica este seu exclarecimento pois assim como eles estao apresentando a obra parece ser positivo mas como voce mostrou a real obra ira ser catastrofico tanto para o pedestre quanto para o motorista. Essa obra so sera boa para o bolso destes corruptos FORTUNATi e sua campanha apoiada pelas empreiteiras… Bora em cima deles para essa palhaçada de obra de arte nao ocontecer!!!!

  3. cristina s. disse:

    Senhor Prefeito: lemos, com muita atenção e satisfação, os votos publicados no Blog Porto Imagem, com seu compromisso, exposto para a população desta Capital, a propósito do ano de 2013 e seu novo período administração. Salientamos, em especial, o último parágrafo:
    “Trabalharemos para que a esperança dos porto-alegrenses em uma vida melhor não seja uma palavra perdida ao vento, para que a esperança dos que mais precisam se materialize em oportunidade de uma vida melhor. Ninguém nos tira a certeza de um futuro melhor. Já demos muitos passos e vamos dar muito mais.”

    E é nesta linha de pensamento que quero apelar para sua palavra, traduzida em diversas declarações suas, publicadas não só na mídia como repetida por seus Secretários e servidores ao longo de uma ano e meio em que a AMAPRAJA, e seus associados, luta pela preservação de sua região.
    Explicamos:
    Foi publicada, em um dos cadernos ZH Bela Vista, de dezembro de 2012, mais outra notícia acerca da iminente construção de trincheira, pela PMPA, na esquina da rua Anita Garibaldi com a avenida Carlos Gomes, no bairro Boa Vista, Porto Alegre, quase com o mesmo teor de diversas outras, constantes no jornnal não só nesta semana que passou como em diversos outras ocasiões.
    Essa obra vem sendo objeto de divergência entre a Comunidade e a Prefeitura há largo período de tempo. Os moradores do entorno já expuseram a servidores municipais os aspectos que demonstram, sem qualquer sombra de dúvida, que a alteração proposta não alcançará os objetivos aludidos, que são facilitar a fluência do trânsito naquela região. A Comunidade, inclusive, apresentou laudo técnico, de autoria do Prof. Carlos Panitz, que certamente é de seu conhecimento, e que atesta e fundamenta as razões exposta exaustivamente pelos moradores. Contudo, deparou-se, sempre, com a prepotência dos servidores da Prefeitura, que não admitem reconsiderar a situação, como se donos da verdade fossem.
    A Comunidade, unida em torno de um objetivo comum, tem sido desconsiderada sistematicamente. Em primeiro lugar, por uma administração municipal que despreza que essa união, a qual, longe de traduzir-se em oposição sem sentido, se constitui numa força que deveria ser preservada e utilizada em prol dos munícipes, em especial os que moram no entorno da esquina supracitada. Num segundo aspecto, perde a PMPA ao tentar impôr uma opinião que vai trazer dificuldades às pessoas que nessa região residem. E, como já mencionado, sem atingir os objetivos a que se propõe. Parece que a administração municipal está acostumada a impôr seu ponto de vista, sem levar em conta a opinião dos moradores atingidos, que nela transitam diuturnamente e conhecem essa região melhor do que ninguém. No entanto, o que se viu, nas diversas reuniões e encontros informais ocorridas com os servidores, foi um tipo de tratamento impositivo aos munícipes, que sustentam, através de seus impostos, o funcionamento da administração municipal; que pagam os salários de servidores que, com prepotência, repita-se, pretendem impôr seus pontos de vista em detrimento daqueles que moram e transitam diariamente no local, e, inclusive, que suportam os vencimentos até do Senhor Prefeito de Porto Alegre, o qual sempre declarou publicamente que a obra só vai sair se houver consenso com a Comunidade local.
    Mas, a reeleição já aconteceu e, então, esperávamos que seu discurso não fosse o mesmo, num procedimento, a bem da verdade, que é comum em nosso país, pois os aspirantes a cargos eletivos possuem falas com duas fases distintas: antes e depois das eleições. Assim, com muita satisfação, deparamos com o supracitado texto enviado pelo Senhor ao Blog Porto Imagem, no qual assinala que “Trabalharemos para que a esperança dos porto-alegrenses em uma vida melhor não seja uma palavra perdida ao vento, para que a esperança dos que mais precisam se materialize em oportunidade de uma vida melhor. Ninguém nos tira a certeza de um futuro melhor. Já demos muitos passos e vamos dar muito mais.”
    Resta demonstrada, expressamente, a sensibilidade do dirigente municipal ao assegurar uma vida melhor aos porto-alegrenses, assertiva que, segundo consta no mencionado artigo, não será “uma palavra perdida ao vento”, mas, sim, a “esperança dos que mais precisam”, a qual se materializa “em oportunidade de uma vida melhor. Ninguém nos tira a certeza de um futuro melhor”.
    De sorte que permanece a Comunidade, aglutinada na AMAPRAJA (Associação dos Moradores e Amigos da Praça do Japão) explicando suas razões, já que, por morarem no local, vêem realmente o que acontece todos os dias com o trânsito. E sabem, quando a PMPA ‘regula’ as sinaleiras, principalmente as que circundam a esquina em tela, com o que fica o tráfego mais represado do que de costume, para tentar mostrar a necessidade de uma obra sem sentido. Ora, como deve ser considerada uma administração municipal que usa esse tipo de artifício, em detrimento de uma Comunidade inteira?
    Porém, como já mencionado, seus votos vieram trazer nova esperança à Comunidade, pois um Administrador que possui a sensibilidade de deixar expresso, em artigo assinado, que seu objetivo é “buscar a excelência na prestação dos serviços municipais, ou seja, investir na melhoria da qualidade de vida da população, o grande desafio posto aos administradores públicos. Esses são o nosso desafio e os nossos compromissos para os próximos quatro anos”, certamente não decepcionará os cidadãos que o elegeram para mais quatro anos à testa da administração municipal.

    De sorte que esperamos que o Senhor aja de maneira como deixou assentado, e, portanto, coerente com a Comunidade unida em torno da AMAPRAJA (Associação dos Moradores e Amigos da Praça do Japão). Essas pessoas, que moram e transitam diariamente pela aludida região, estão a merecer tratamento melhor do que vem recebendo daqueles pelo Senhor indicados para ‘dialogar’…
    Essas afirmações não são gratuitas, pois foram expressadas em reuniões havidas entre muitas pessoas, inclusive com gravação de áudio que colocamos à sua disposição. Quando as pessoas que moram na região afirmam que um congestionamento nasce em determinado ponto é por que têm a segurança de quem assiste, diariamente, onde se forma o represamento do trânsito, e, mais, que os tempos das sinaleiras foram modificados para melhor fundamentar as assertivas de técnicos da PMPA, que tentam, sem sucesso, mostrar suas razões, que passam ao largo da realidade.
    A comunidade já conversou com muitas pessoas de sua administração, muitas das quais possuem opinião pessoal concorde com aquela dos moradores do entorno.
    Assim, forte nas suas próprias palavras, em que é assevera que “O nascer de um novo ano é um tempo de reflexões, de revisões e de assumir compromissos futuros. No caso do gestor público, as reflexões são importantes para avaliarmos se os nossos caminhos e os objetivos que perseguimos atendem aos interesses da sociedade. A prestação de contas do que fizemos nos remete à revisão do que precisa mudar para oferecer mais e melhor a todos os porto-alegrenses”, esperamos sua adesão à pretensão da Comunidade, de acordo com o que o Senhor mesmo declarou um sem número de vezes: não se faz obra alguma sem a concordância da Comunidade.
    O mais sensato, sugerimos, não seria fazer a elevada na esquina da avenida Carlos Gomes com a avenida Plínio Brasil Milano, que possui espaço público amplo e aberto, e, após, vendo o reflexo positivo que essa construção causaria no trânsito, considerar que inexiste motivo para gastar mais dinheiro público na concretização de uma obra sem sentido – a trincheira em uma esquina apertada (da carlos Gomes com a Anita Garibaldi), que terá alto custo com retorno zero? Que tipo de relação custo x benefício é essa?
    É essa a opinião da Comunidade, que, aguarda, esperançosa, que o senhor Prefeito tenha um discurso coerente com àquele exposto antes das eleições, e, em decorrência, oriente a seus servidores que o fato de uma Comunidade ter opinião é benéfico, pois responsabiliza as pessoas que têm pontos de vista coincidentes; que ter opinião diferente não significa ser contra a Prefeitura, mas a favor dos que moram na região; que os servidores municipais respeitem a Comunidade, mesmo que ela tenha posição contrária àquela exposta e concebida dentro de Gabinetes, e, finalmente, que deixe a Comunidade viver em paz, declarando que a PMPA vai economizar (ou realocar) R$ 16.000.000,00 de reais, reconsiderando seu posicionamento e/ou destinando esse montante a outras áreas mais prioritárias e necessitadas, uma vez que “A prestação de contas do que fizemos nos remete à revisão do que precisa mudar para oferecer mais e melhor a todos os porto-alegrenses”.
    Nossos agradecimentos.
    Porto Alegre, dia 05 de janeiro de 2013.
    Cristina S.

  4. Luciano Peres disse:

    É surpreendente a falta de comunicação entre Prefeitura e a comunidade atingida por essa obra absurda, que tantos transtornos irá trazer aos moradores e à comunidade em geral, depois de concluída.

  5. Marcelo Accurso disse:

    O Folder modificado também é enganoso: a esquina da Pizza-Hut tanto faz, poderá virar uma area verde se for 100% desapropriada. Para as pessoas atravessarem fica igual ao que é hoje, só melhoraria se fizessem travessias subterrâneas, como nos paises de 1o mundo, so que aqui alegam que é caro e resultaria em assalto. Para chegar de carro do ponto C ao B continua igual, retorno por baixo do viaduto da Nilo Peçanha. A poluição deve diminuir pois facilitará o fluxo dos carros, ruido continua o mesmo. Acesso para o aeroporto continua a orientação atual e que é a melhor: Anita e segue pela Correia Daudt até Sertório. A obra mesmo com defeitos é positiva. Marcelo

    • Marcelo disse:

      Marcelo:
      – Atravessar a Anita antes da entrada e depois da saída da trincheira será mais perigoso sim, os automóveis estarão em velocidades mais altas e a rua será mais larga, o que aumenta sim os riscos, ainda mais se não haverá semáforos, como a prefeitura propagandeia. Além disso vias subterrâneas para pedestres foram feitas no passado em grandes cidades da Europa, mas já não são mais construídas, pois além de obrigarem o pedestre a descer e subir escadas, se tornam verdadeiros banheiros públicos e local propício para a prática de crimes. Hoje em dia cidades inovadoras em mobilidade têm investido em facilitar a vida do pedestre, e não dificultá-la.
      – A poluição não vai diminuir, pois uma centena de árvores serão cortadas e o fluxo de carros vai aumentar.

      • Luisa disse:

        A travessia de pedestres da Nilo também vai dificultar pois com certeza vai aumentar muito o tempo de espera dos semáforos pra pedestre.

  6. Alex disse:

    Sugiro fecharem esse cruzamento: resolve todos os problemas alegados.

    Porque não?

  7. Alex disse:

    Nem sei porque perco meu tempo comentando isso, mas vamos lá:

    Sobre o folder alterado pelos “ativistas”:

    A) A Pizza Hut não será desapropriada?
    B) Haverá sinaleiras para os pedestres, não?
    C) Tenta fazer isso hoje. É possível? Acho que não né? E é MUITO egoísmo reclamar de algo assim, só porque terão que fazer uma volta a mais para poder pegar o aeroporto.

    Os argumentos de quem é contra caem por terra quando afirmam umas barbaridades dessas.

    Afirmar que não estão prevendo ciclovias, que o transporte público da perimetral continuará o mesmo (ou seja, um lixo) dentre outras coisas daí não né?

  8. Só off-topic, “vá de bici”

  9. André Gomide disse:

    Alex, egoísmo nosso? Ou de quem nem mora na região que sofrerá com impacto diário….
    Tente esperar em um semáforo na Protásio. Sugiro que leve um banquinho, pois nenhum semáforo na altura do viaduto da Silva Só abre para pedestres com menos de 4 minutos de espera…claro temos um viaduto, por isso não precisam fechar o trânsito para os pedestres. Não preciso mencionar que o fluxo de pedestre é altíssmo.
    Qual é o estudo técnico que vc baseia-se? O pessoal da região tem um laudo técnico…refutas o laudo deles?
    sinceramente, vc considera que construir viadutos resolve o problema de trãnsito que vc e eu sofremos todos os dias?

    Aproveitando, deixa eu contar o que NÃO VI no dia do temporal… Sertório toda alagada, mas na entrada da mesma tanto na Farrapos quanto na esquina da Ceará, NÃO VI agentes de trânsito impedindo ou orientando que não acessassem mais carros pois a mesma estava bloqueada 500 metros a frente.
    Estava de bike e como cidadão consciente que sou me coloquei em uma rua de acesso( Dona Sebastiana) orientando carros que tentavam procurar a Sertório como “rota de fuga” para que evitassem aquela rua, pois nem caminhão estava trafegando naquele momento.
    Será que somos realmente egoístas? Simplesmente fiz o que a EPTC deveria estar fazendo naquele local….Fiquei indgnado pois circulei por mais de uma hora na região e não localizei NENHUM agente de trânsito.
    Claro, a chuva caiu exatamente no final do turno dos agentes….ou não há gestão nesta “IMPREZA” , errado mesmo, ou são preguiçosos.
    Att.
    André

  10. Luciano Peres disse:

    No dia 09 do corrente (4ª feira), às 9:00 hs, um trecho da rua Anita Garibaldi foi bloqueado, a SULTEPA entrou na via com máquinas e caminhões, “bagunçaram” toda a rua, quebrando, ou melhor, esfarelando o asfalto no trecho entre a Av Carlos Gomes e a Al. Raimundo Correa, e agora os moradores e os pedestres que por ali transitam tem que conviver com o forte cheiro deste asfalto semi triturado (nas horas de sol forte o odor é típico de asfalto quente), e com o calor, que aumentou na rua depois disso. Além do mais, foram “malocados” duas “casinhas” e um banheiro químico na calçada, mais uma rede de isolamento, impedindo o transeunte de por ali circular (na calçada, que é o seu lugar), obrigando-o a transitar por cima do quente e esfarelado pedregulho de asfalto. Só para incomodar! Absurdo! Descaso total!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s