Enquanto isso, na Avenida Ipiranga…

Continuam as obras, no mesmo padrão do trecho já concluído. Poste no meio de ciclovia pode? E no meio das vias para automóveis, porque não pode?

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

40 respostas para Enquanto isso, na Avenida Ipiranga…

  1. Felipe X disse:

    Honestamente esse não me parece tão ruim… tem um alargamento de pista nos dois lados e é bem no meio mesmo. Honestamente conheço ruas piores, como a Curupaiti, que tem uma figueira gigante no meio.

    • virtu disse:

      Apesar de que aparenta não ser tão ruim, seria bem melhor que ali tivesse uma Figueira gigante no meio, e o poste na rua Curupaiti!!! =)

    • Adriano disse:

      Concordo com o Felipe X, não compromete em nada o poste ali.

      • Marcelo disse:

        Claro, né, pra quem acha que ciclovia é uma inutilidade, um poste no meio do caminho não faz a menor diferença.

      • Felipe X disse:

        É o ciclotroll?? Cara, eu sabia que um dia a gente ia concordar em algo haha.

      • Olavo Ludwig disse:

        Realmente, não compromete em nada o poste ali, para quem está dentro de um carro na via ao lado. Essa ciclovia já nasceu comprometida, pois não segue o princípio básico: Ciclovias devem ser construídas para melhorar o deslocamento para o ciclista. Ciclovias construídas pensando primeiro em não atrapalhar o trânsito dos carros dificilmente serão boas.

      • andré gomide disse:

        Felipe X, vc anda de bicicleta realmente? Pois eu ando de bicicleta e automóvel tb e não acho nem um pouco engraçado este tipo de situação. Alguém pode se machucar feio neste local.
        Dinheiro público mal gasto tb gera improbidade administrativa meu caro…é o meu e o seu dinheiro sendo jogado pelo ralo.
        Quando solicito meios viários adquados para meu deslocamento ao trabalho sou ciclotroll, mas na hora que meu imposto é cobrado aí sim sou cidadão.
        Agora pela manhã, quando me deslocava aconteceu um acidente em uma rua que denunciei a colocação eleitoreira de asfasto nas vésperas da eleição.
        Avisei que a simples colocação de asfalto em uma zona residencial com um fluxo médio de trânsito automotivo sem um estudo seria fatal. Aconteceu!!!!!!
        Simples assim. É a demostração de como a prefeitura “pensa” o trânsito de Porto Alegre.
        a política do “puxadinho”…
        -o asfalto da Assis Brasil está ruim secretário TROGILDO? Ah, manda um caminhão da operação “tapa buraco” largar lá uns três sacos de “asfalto” para estes trouxas pararem de reclamar.
        – os ciclistas estão reclamando falta de” estudos técnicos” na construção da ciclovia? O que é estudo técnico?…hehehehehehh Coloco um asfaltinho e eles reclamam, são uns ciclochatos mesmos.

        O que a maioria da população, que tem inteligência apenas medíocre, não percebe é o caos que o trânsito em geral está.

      • Felipe X disse:

        André, uso bicicleta todos dias sim. Para mim não vai ser nenhum problema fazer uma curva minúscula daquelas para seguir reto não é nenhum problema. Aliás, faço curvas maiores para desviar de buracos no asfalto na Pinheiro Borda.

      • andré gomide disse:

        Felipe, então entendeu bem o meu ponto de vista.
        Logo eu tb consigo pedalar sem problemas pelas vias um poste não irá atrapalhar o meu pedal. Mas será que todos tem a mesma capacidade que eu e vc?
        Por opção minha são 36 km diários no mínimo, isto me dá uma “certa” bagagem, mas e os outros?

      • Bikecicleta disse:

        Com certeza você não sabe andar de bicicleta !

    • Marcelo disse:

      Felipe, não ser “tão ruim” não é bom o suficiente. Não podemos aceitar que a administração municipal faça obras que não sejam “tão ruins”, quando existe a possibilidade de realizar obras melhores e mais baratas. Por exemplo ao invés de fazer ciclovia sobre uma área verde, aumentando a corbertura asfáltica e reduzindo a permeabilidade da superfície da cidade para fazer uma ciclovia toda sinuosa, cheia de obstáculos, com dois bretes e de difícil entrada/saída, a prefeitura poderia ter feito uma ciclofaixa no lado direito da pista. Há espaço de sobra, sem retirar uma pista de circulação dos automóveis, apenas retirando alguns estacionamentos.

      • Felipe X disse:

        Marcelo, me desculpa, mas se a gente se queixar de tudo que não sair como sonhamos vamos acabar criando uma fama de reclamões e daí sim vão ignorar a nossa opinião. É assim na “política” pública ou mesmo no trabalho, dentro das empresas privadas.

        Fizeram um alargamento em volta do poste, está bem centralizado. Vamos nos concentrar em reclamar de problemas reais, esta pista tem vários. Estreitamentos, desvios para o outro lado do dilúvio…

      • Felipe X disse:

        Eu concordo contigo que uma ciclofaixa era infinitamente melhor, mas é outra discussão.

      • andré gomide disse:

        ” a gente se queixar de tudo que não sair como sonhamos…”
        me aponte apenas uma ciclovia em que realmente foi ouvida e aplicada as sugestões apresentadas pelos usuários, digo o mesmo em relação ao trânsito de automóveis, quando vc ou qualquer cidadão foram chamados para uma audiência pública para serem ouvidos pela ADM?

      • Adriano disse:

        Quem anda de bicicleta sabe que aquele poste ali nao compromete. A velocidade que se obtem andando de bike, ainda mais naquele local, não vai gerar transtornos.

        Agora acho engraçado o teu raciocionio: “ah, que se retire os estacionamentos!!!”. Ou seja, os outros que se ferrem. A economia do local o comércio da região que se ferre. Os que se são empregados pelas empresas do local que se ferrem, quero minha ciclofaixa….altamente comunitária a tua visão sobre o problema.

      • Felipe X disse:

        André, concordo que todas ciclovias são runs em POA. Ciclofaixas também. Mas a partir daí começar a se queixar de cada desalinhamento de ladrilho é outra coisa.

    • Pablo disse:

      Concordo contigo, Felipe. Esse é um daqueles casos que temos que dosar as críticas. Devemos “cair de pau” em cima da prefeitura quando não quiser aplicar a lei dos 20% das multas e nesse caso do poste, como não há estrangulamento da via, criticar um pouco menos.

  2. Gustavo disse:

    Toda a incompetência da EPTC e da SMAM em uma única foto

  3. andré gomide disse:

    Marcelo, entendi…..tinha tomado um susto

  4. andré gomide disse:

    Felipe, não é nada pessoal mas a verdade é que fico louco com qualquer obra pública mal feita ou inútil(viaduto da orla ou Freewai da beira Rio como queira chamar).
    Não sou radical, mas estou cansado de ter que andar na sarjeta e ter que agradecer aos senhores donos das ruas por terem me “permitido” aquele espaço.
    Imagino que até por estudar muito sobre gestão pública considero que uma obra mal feita ou apenas feita de forma razoável é dinheiro público jogado fora, pois não esta previsto naquele orçamento uma eventual adquação da obra… resumindo é muito mais caro consertar “a posteriori”.
    Faça uma vez bem feito para não ter que arcar com o custo de refazer da maneira correta.

  5. As vezes me pergunto o quanto é o suficiente? Será que todos sabemos o que é o suficiente? E quando se diz que isto ou aquilo é o suficiente sabemos de que estamos falando? Por exemplo, eu sou meio velho(mais para mais) e periga me perder neste tramo em que teria que fazer uma curva quando no meu ritmo eu ando a trinta km/h e será que esta pista lisa, as vezes com chuva com esta pequena curva será o suficiente para eu não reclamar? E para os carros 30 metros de cada lado do riacho Ipiranga será que são suficientes ou será que precisa mais?
    E ao respeito dos estacionamentos de rua que falam, e dos donos das lojas e academias, que param na porta seus carros obrigando os clientes a caminhar muitas quadras, para chegar nas suas lojas, e disto que estão falando? Conheço bem esta situação e posso dar nome e endereço dos donos de lojas que chegam bem cedo, nas suas lojas, para poder parar os carros na porta e depois são os primeiros em falar em nome dos clientes. Estacionamento não tira clientes, quem falar isto não é real eu sei do que falo sou lojista e sei como isto se comporta; quem tira clientes e a incompetência a falta de produtos, a falta de crédito, etc. mas não o estacionamento.
    Meus caros, esta ciclovia é uma vergonha como todo o que eles tem feito até hoje e continuará a ser uma porcaria, enquanto não trocarem o conceito e quem ache que reclamamos de mais pode ficar com a sua opinião, nos a respeitamos e não iremos patrolar nem iremos nos blogs onde não somos bem aceitos.
    A bicicleta é um veículo e como tal tem que ser tratado; quem não gosta pode continuar seu trajeto de carro ou a pé ou até procurar noutro blog que seja vá de carro ou vá a pé, neste meus caros, é o lugar do ciclista e se ele acha ruim o que a Prefeitura faz, vão ter que agüentar, este blog é nosso.

  6. artur elias disse:

    Pesso@l, tentem encarar a imagem deste post mais como uma coisa simbólica. Não é um post TÉCNICO. É um post retórico – no bom sentido – por assim dizer.

    Me parece bastante ÓBVIO que o drama que se desenrola diante de nossos olhos, e a enorme frustração antecipada que ele está gerando, não se resume a este poste; o poste é um item de uma longa lista de problemas de concepção e projeto que está condenando esta ciclovia ao fracasso (ou no mínimo ao não sucesso pleno que poderia/deveria ter), muito antes de ficar pronta, apesar de todos os avisos, apesar de todas as advertências, e…

    …apesar de toda a argumentação técnica que já foi fornecida neste e noutros espaços.

    Quem está pegando o bonde andando não tem obrigação de entender tudo isso de cara; mas se quiser debater seriamente, recomendo que estude com cuidado o arquivo intitulado “Pontos criticos da Ciclovia Ipiranga” que está lincado dentro deste post:

    https://vadebici.wordpress.com/2012/06/17/5-mil-contra-20-recomeca-nesta-segunda-as-obras-da-ciclovia-da-ipiranga/

    “Segundo dados da EPTC (Zero Hora 27 de fevereiro de 2012, página 24), diariamente mais de 5 mil ciclistas usarão a futura ciclovia da Ipiranga.”

    “Na mesma ocasião, foram contados os veículos estacionados ao longo de toda a via (sentido centro-bairro). Resultado: entre a Av. Beira-Rio e a Av. Cristiano Fischer haviam 28 automóveis (8 irregulares).”

    • PabloZ disse:

      Eu sou o mesmo Pablo lá de cima, a partir de agora PabloZ

      Acho que essa informação de 5000 ciclistas diários contra 28 carros estacionados é que precisa ser escancarada. Acho essa informação bem mais forte do que a imagem acima, pois baseado na imagem, muitos podem argumentar que “não há espaço”, “a prefeitura está fazendo e ainda reclamam”, “esse é o primeiro passo”… Agora os 5000 contra 28 fica escancarada a prioridade da prefeitura pelos carros.

      • Aldo M. disse:

        A estimativa do plano diretor cicloviário é de multiplicar por 20 os deslocamentos em bicicleta após sua completa implementação, o que deveria levar 12 anos.
        Ou seja, esta ciclovia da Ipiranga que esta sendo construída hoje, deveria ter capacidade para esses bem mais de 5 mil ciclistas por dia.

    • Meu caro não chamaria exatamente de simbólica e sim de fálica. Será que esta era a intençãomostrando quão ferrados estamos?

  7. Aldo M. disse:

    Qual é a distância minima que um poste deve ficar de uma ciclovia? E se for um obstáculo contínuo, como as proteções contra quedas no Arroio? Ajuda dos “universitários”, por favor!
    É bom saberem que a Secretaria Municipal dos Transportes não contratou e portanto não possui um projeto executivo da ciclovia da Ipiranga, mas apenas um projeto básico que só serve para fazer um orçamento estimado. O projeto então está nas mãos da empresa executora contratada pelos donos de shoppings e supermercados, e o nome do engenheiro projetista até hoje não foi informado pela Prefeitura e nem seu projeto divulgado. Os cidadãos só estão tomando conhecimento dele após a execução da obra.
    Ontem, circulei de bicicleta nos novos trechos da ciclovia da Ipiranga com a pavimentação concluída. Posso afirmar que ela é um lixo: Muito mais irregular que o asfalto da via dos carros, o que provoca constante trepidação e exige maior esforço para pedalar. Além disso, ela não possui caimento para escoar a água da chuva, permitindo a formação de poças. Também é muito escura à noite. O Fortunatti deve estar achando que, para cidadãos de segunda categoria como os ciclistas, deve ser bem mais do que merecem. Ou, provavelmente, nem deve estar achando nada.

  8. Cade o Lobo Pampa to sentindo falta dele, ele e feroz e nao perdoa

  9. wilson antonio dutra disse:

    sim pode poste no meio da rua qui perto da minha casa tem um que fica no meio da rua e ate já foi motivo de piada entre os taxistas poque um demoliu um carro numa noite por causa do poste ele fica no bairro farrapos perto da arena do gremio na frente de uma igreja.

  10. Mario jose peixoto disse:

    Eu tenho 64 anos e ando de bicicleta 56 moro em viamão bairro santa isabel tenho medo fazer o que mais gosto na vida pedalar , os taxi lotasão não vi um que respeite os ciclistas que dira motociclistas são umas verdadeiras pragas urbanas quando ver um saltar para calçada é a salvasão.

  11. Pingback: Poste no meio da ciclovia, agora também em Porto Alegre

  12. Pingback: A Importância da Padronização das Ciclovias | Vá de Bici

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s