Bike chega só 2 minutos depois que helicóptero em competição

GUILHERME GENESTRETI
da Folha de São Paulo.

Atualizado às 20h08.

Mais uma vez a bicicleta levou a melhor na disputa contra carro e moto no Desafio Intermodal. A competição, que acontece todo ano em São Paulo, compara a velocidade e a emissão de gás carbônico entre diferentes meios de locomoção, como automóveis, bikes, motocicletas e transporte coletivo.

O empresario Wagner de Carvalho, depois de ter vencido a edição do ano passado do Desafio Intermodal

O empresario Wagner de Carvalho, depois de ter vencido com bicicleta a edição do ano passado do Desafio Intermodal – Joel Silva/Folhapress

Na disputa deste ano, realizada hoje (13/9) às 18h em ponto, o helicóptero chegou em primeiro, realizando em 22 minutos e 22 segundos o percurso de 10 km entre a praça General Gentil Falcão (zona oeste) e a sede da prefeitura (centro).

O ciclista chegou menos de dois minutos depois, tendo completado o trajeto em 24 minutos e sete segundos. Já a moto fez o caminho em 26 minutos e 20 segundos. Ao todo, 15 participantes competem na corrida, cada um em um modal diferente. Entre os diferentes tipos: pedestre em caminhada, pedestre em corrida, ciclista em via calma, ciclista em via rápida, helicóptero e usuário de trem e metrô.
O automóvel foi o penúltimo, levando uma hora e 41 minutos para fazer o percurso, com apenas um minuto de vantagem em relação ao último colocado: o pedestre que foi caminhando.

“Isso mostra que a bicicleta é realmente viável”, diz Felipe Aragonez, diretor do Instituto CicloBr, que organiza o evento. O desafio integra a programação do Dia Mundial Sem Carro, comemorado no próximo dia 22. “A prefeitura tem que olhar com mais interesse esse tipo de transporte, porque não garante a segurança que deveria garantir às bicicletas.”

As novidades desta edição incluíram handbike –bicicleta conduzida apenas pelas mãos e usada preferencialmente por cadeirantes–, que foi uma das modalidades em disputa.
Além disso, dois monitores foram usados para comparar a média de poluentes inalados durante o percurso entre o motorista do automóvel e o ciclista. Os equipamentos foram cedidos pelo médico Paulo Saldiva, que coordena o Laboratório de Poluição Atmosférica, da USP. Os dados ainda não foram divulgados.

“É para mostrar à sociedade e ao poder público que existem outras alternativas, além do automóvel”, defende Aragonez. “Deixando o carro em casa, você deixa de poluir a cidade e o estado poupa gastos com saúde pública.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Bike chega só 2 minutos depois que helicóptero em competição

  1. Olavo Ludwig disse:

    10km pedalando bem devagarinho, de terno e gravata, sem suar nada, dá pra fazer tranquilo em 50 min, isso fazendo uma média de 12km/h. Bah…o carro levou 1h41min, é loucura total ainda preferir usar carro nestas condições, tá em velocidade de caminhada, ou seja, 5,94km/h.

  2. Jeferson disse:

    A EPTC não descansa até conseguir um trânsito tão legal quanto o de São Paulo. Força, Carrolari, você vai conseguir.

  3. Gustavo disse:

    E pra quem acha que PoA não investe em cultura e arte, 170 milhões em 5 “obras de arte” pra copa:
    http://www.transparencianacopa.com.br/obras/implantacao-de-5-obras-de-arte-na-iii-perimetral/82

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s