Reunião aberta com a EPTC sobre as novas ciclovias da José do Patrocínio e Loureiro da Silva

Foto: Bruno Alencastro

A prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), realizará reunião com a comunidade na segunda-feira, 3, às 20h, na Igreja Sagrada Família (rua José do Patrocínio, nº 954). A pauta do encontro serão as propostas de implantação de ciclovias na rua José do Patrocínio e na avenida Loureiro da Silva, área central da cidade. O evento, aberto ao público, terá a presença do diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, além dos técnicos responsáveis pelos projetos.

O objetivo da EPTC é interligar essas novas ciclovias com as da Edvaldo Pereira Paiva e Ipiranga, que estão em obras. De acordo com as propostas iniciais, na José da Patrocínio, o espaço exclusivo para os ciclistas terá 880 metros de extensão, ligando as avenidas Loureiro da Silva e Venâncio Aires. Na Loureiro da Silva, a ciclovia terá 1,2 mil metros, interligando a José do Patrocínio e Vasco Alves. “Vamos apresentar as propostas originais, debater com as pessoas, receber sugestões. Acreditamos que ações como essa contribuem significativamente para a cidade, qualificando cada vez mais a mobilidade. A próxima etapa, após os debates com a comunidade, será a de elaborar o projeto e posterior implantação, com investimentos do município”, afirma Cappellari.

Fonte: PMPA

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

18 respostas para Reunião aberta com a EPTC sobre as novas ciclovias da José do Patrocínio e Loureiro da Silva

  1. Luiz Felipe disse:

    Teremos de evitar mais muitos absurdos!
    Só que a gente tinha que chegar la com contra-propostas pra argumentar com os “gorilas”

    • Melissa disse:

      A proposta da ciclovia da José do Patrocínio creio que não será ruim, mas a Loureiro da Silva realmente é mais complicada.

      • Aldo M. disse:

        Eu entendi bem? Eles falaram em CICLOVIA na Loureiro da Silva? Se for, espero que não seja bidirecional e sobre a calçada

      • Marcelo disse:

        Eles já tinham mencionado esse projeto. Se não me engano seria bidirecional à esquerda da pista, onde atualmente é o estacionamento de veículos.

      • Aldo M. disse:

        Aparentemente será como este exemplo hipotético de “pior ciclovia” citado em uma publicação já em1995!

        fonte: http://www.wright.edu/~jeffrey.hiles/essays/listening/ch7.html
        Esse tipo de ciclovia só teria supostamente vantagens eleitorais, já que, em relação a transitar fora da ciclovia, o risco nos cruzamentos QUADRUPLICA para os ciclistas que transitarem por ela no sentido oposto ao dos veículos (ver figura 5 no mesmo link). Por não oferecer benefícios, aumentar os acidentes e portanto desperdiçar recursos públicos, é um modelo abandonado há muito tempo em outros países.
        Sinceramente, espero que não seja essa aberração que será apresentada pela EPTC para as ciclovias da Loureiro da Silva e José do Patrocínio. Nestes dois casos, devido ao intenso fluxo de pedestres, automóveis e ciclistas, é indispensável prever ciclovias UNIDIRECIONAIS, uma para cada sentido de circulação.

  2. Pingback: Reunião aberta com a EPTC sobre as novas ciclovias da José do Patrocínio e Loureiro da Silva « Blog Porto Imagem

  3. Ricardo disse:

    Como eu disse lá no grupo de discussões,é muito importante que quem conheça bem o PDCI esteja presente para ter bons argumentos para levar aos técnicos da prefeitura.

  4. Marcelo disse:

    Resta saber se essa reunião tem o interesse de realmente ouvir os usuários de bicicletas ou se é algo meramente eleitoreiro, para dar uma falsa idéia de que a administração municipal é transparente e democrática.

    Infelizmente, acredito que seja a segunda.

    • Aldo M. disse:

      A ciclovia da José do Patrocínio seria feita no lado da Igreja, onde ficaria proibido estacionar, dificultando talvez o acesso a ela de carro. Quem sabe, então, os noivos optem ir de bicicleta.

  5. Francisco Marshall disse:

    O plano deve ser integral, para toda a cidade, sob pena de termos um monte de trechos ligando nada a lugar nenhum.

    • PERFEITO: HOJE O QUE TEMOS SÃO “PEDAÇOS”.TRECHOS EM RUAS “PINTADOS’ E /OU DEMARCADOS DE CICLOVIAS(?), SE É QUE PODEMOS DENOMINAR DE CICLOVIAS ESPAÇOS NO LEITO DA RUA QUE COMEÇAM DO NADA E TERMINAM EM NADA…..??????EXEMPLOS : AV, ICARAÍ, IPIRANGA E POR AÍ VAI..”PLANEJAR” UMA MALHA GERAL DE CICLOVIAS E IMPLANTAR POR ETAPAS, MAS SEMPRE LEVANDO EM CONTA A CONTINUIDADE DO TRAJETO E OBSERVAR MAIOR DEMANDA. AV. IPIRANGA DO CENTRO A PUC. DEPOIS BENTO ATÉ O CAMPUS;UFRGS.:SERTÓRIIO ATÉ O CENTRO;CORREDOR DA PROTÁSIO. FECHAR UM ANEL DE CICLOVIA JUNTO AOS TERMINAIS DE INTEGRAÇÃO ONIBUS XMETRÕ… FARRAPOS, ASSIS BRASIL E BENTO

  6. Bacana, de bici para a igreja; esta poderia ser uma das políticas de governo do futuro Intendente da nossa querida POA. Mas vamos lá ver o que est amoçada que não pedala quer fazer. Aghhhh.

  7. Ramiro disse:

    O Poder Pùblico não consegue nem tocar direito a da Ipiranga, agora querem ramificar as ciclovias. Vamos combinar o seguinte: primeiro terminam uma parte e depois começam outra. Uma coisa de cada vez!

    • Aldo M. disse:

      O consenso entre os cicloativistas é que a Prefeitura deveria estar agilizando uma rede estrutural baseada em ciclofaixas ou ciclorrotas como solução emergencial devido ao atraso da implementação do Plano Cicloviário. Isto seria muito rápido de se fazer e barato. Enquanto isso, seriam discutidos e elaborados os projetos e realizadas as obras “definitivas”.

  8. Aldo M. disse:

    Só lembrando que foi o Cappellari que fugiu da raia e suspendeu as reuniões sobre infra-estrutura cicloviária que vinham ocorrendo em 2011 por pressão dos ciclo-ativistas.

    Numa entrevista em 23/12/2011 do Cappareli, ele justifica porque rompeu o diálogo do o “grupo” Massa Crítica: “Eu já tive várias reuniões para avaliar políticas de incentivo ao uso da bicicleta com o Massa Crítica, mas parei porque não posso ficar tendo reuniões sobre o comportamento de terceiros, quando aquele que está participando comigo não está disposto a rever o seu comportamento.”

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2011/12/mp-apura-atuacao-de-grupo-de-ciclistas-em-porto-alegre-3606485.html?impressao=sim

    Na verdade, ele rompeu o diálogo com toda a sociedade, pois tentou criminalizar os passeios ciclísticos do Massa Crítica através de uma denúncia ridícula de “possível infração à ordem urbana”, que acabou arquivada pelo Ministério Público.
    Muito conveniente, depois de um ano sem querer dialogar, posar de democrata às vésperas de uma eleição. Agora, não é mais hora de dialogar, mas de fazer as malas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s