Diário Oficial de SP afirma em reportagem que ciclistas são responsáveis pelos acidentes que sofrem

O Diário Oficial do Estado, um veículo público e mantido com os impostos pagos pela população, realizou uma matéria irresponsável a respeito de como o aumento no número de ciclistas em São Paulo está relacionado com o crescimento de acidentes envolvendo bicicletas.

Entre os princípios básicos do bom jornalismo duas coisas são ensinadas logo de cara aos estudantes de comunicação: ouvir os dois lados de um assunto e fazer algumas perguntas primordiais: quem, fez o que, quando, onde, como e por que. A responsável por assinar a matéria, Viviane Gomes, da Agência Imprensa Oficial e da Assessoria de Imprensa da Secretaria da Saúde fez apenas o que lhe interessava e não consultou a parte interessada do assunto: os ciclistas.

A pseudo matéria diz os ciclistas são responsáveis pelo aumento no número de acidentes e que lugar de bicicleta não é na rua e sim em parques e ciclovias. Está mais do que comprovado, com exemplos de grandes cidades ao redor do mundo, que o aumento de bicicletas nas ruas, significa mais segurança. Bicicleta na rua é mobilidade de fato e não ficar parado no trânsito. Bicicleta na rua é eficiência, é saúde, é preservação ao meio ambiente.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) assegura o direito de tráfego da bicicleta e afirma que seu lugar na rua. O CTB também regulamenta distância de segurança, velocidade de ultrapassagem, sinalização e penalizações para quem não cumprir essas regras.

Bicicleta como meio de transporte é o futuro de São Paulo, diferente da mensagem que a reportagem, de que apenas veículos devem trafegar pelas ruas. Para resumir, a matéria do Diário Oficial é nojenta.

Fonte: Bike Pedal e Cia

Obs: Além do mais, reparem que a repórter entrevistou um médico para opinar sobre trânsito. Profissionalismo zero.

Print da matéria: [baixar]

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Diário Oficial de SP afirma em reportagem que ciclistas são responsáveis pelos acidentes que sofrem

  1. A Viviane Gomes da Agência Imprensa Oficial e da Assessoria de Imprensa da Secretaria da Saúde integra a imprensa oficial de são paulo que tem um site http://www.impensaoficial.com.br e no qual encaminhei a meu descontentamento com esta matéria de 11/7. Saúde

  2. Zigli disse:

    A administração de Paris parece ter uma visão muito diferente. Confira:
    Revolução das bicicletas completa cinco anos em Paris
    link http://tierramerica.info/nota.php?lang=port&idnews=4144

  3. Resposta maravilhosa da Imprensa Oficial:
    Prezado Senhor José,
    Agradecemos o envio de sua mensagem e o interesse demonstrado pelos produtos e serviços da Imprensa Oficial do Estado.
    Informamos que sua solicitação foi registrada sob protocolo 547963 e será encaminhada para a área responsável que fará o contato.
    Sempre que precisar de informações ou esclarecer dúvidas, a Central de Atendimento estará à disposição para atendê-lo.
    Atenciosamente,

    que tal que bonito neh? eles estão façeiros com a minha reclamação que não foi tão carinhosa assim, confiram:

    De: sac@imprensaoficial.com.br [mailto:sac@imprensaoficial.com.br]
    Enviada em: quarta-feira, 25 de julho de 2012 16:50
    Para: sac@imprensaoficial.com.br
    Assunto: Reclamação
    Enviado por: jose antonio martinez
    E-Mail: josereimundemartinez@gmail.com
    A matéria veiculada sob assinatura da jornalista Viviane Gomes Da Agência Imprensa Oficial e da Assessoria de Imprensa da Secretaria da Saúde, em que recomenda aos ciclista da cidade de São Paulo não pedalar na cidade; contra o estabelecido no Código Brasileiro de Trânsito no mínimo é errado.
    Nada na matéria reflete que o ciclista está sendo atropelado ilegalmente quando do código estabelece que a bicicleta é um modal de transporte e tem que ocupar um lugar na rua como qualquer outro veículo.
    Esta matéria foi infeliz num momento que a sociedade civil está em luta para que a velocidade das ruas seja reduzida e sejam evitados os crimes de trânsito que são cometidos todos os dias nas cidades brasileiras inclusive contra os ciclistas. José Antonio Martinez.Mobicidade

  4. Bom gente hoje finalmente recebí uma resposta dicendo que a opinião do Ortopedista é Pessoal dele e não do Governo do Estado. Gostei Uauuuuuu.

    Prezado Senhor José Antonio,

    Em atenção a sua manifestação sobre a matéria Mais ciclistas, mais acidentes,publicada no Diário Oficial em 11 de julho de 2012, encaminhamos otexto/resposta da Assessoria de Imprensa do Governo do Estado:

    “OGoverno do Estado de São Paulo é absolutamente favorável à ampliação do uso debicicletas na capital e em todo o Estado, não só para lazer como também paratrabalho. Trata-se de meio de transporte não poluente e que traz qualidade devida às pessoas.

    Provasdisso são os esforços já realizados e/ou em curso para aprimorar a oferta destetipo de transporte à população. No dia 10 de fevereiro, por exemplo, foramentregues mais cinco quilômetros de extensão da ciclovia do Rio Pinheiros. Com 19 quilômetros devia paralela à Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú), essa ciclovia é amaior pista urbana fora de parques. Desde a sua inauguração, a via já recebeucerca de 500 mil ciclistas.

    Outroexemplo emblemático é a ciclovia que unirá oito municípios da RegiãoMetropolitana de São Paulo (incluindo a capital). O Plano CicloviárioMetropolitano prevê a construção, até 2014, de 13 km para a utilizaçãoexclusiva de bicicletas nas cidades de Guarulhos, Santa Isabel, Itaquaquecetuba,Mogi das Cruzes, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Suzano. A ciclovia terá comodestino terminais de trens e ônibus, universidades e centros comerciais. Comeste equipamento, a estimativa é que o uso da bicicleta em São Paulo pode superar4% de todas as viagens diárias realizadas.

    Ao longo da Linha 3-Vermelha do Metrô, há a ciclovia Caminho Verde com 12,2 km de extensão,ligando as estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé. Outra ciclovia importante,que também está sendo ampliada, liga o Parque Ecológico do Tietê ao ParqueJacuí, com 15 kmde extensão.

    OGoverno de SP também estimula o uso da bicicleta por meio de bicicletários emestações de transporte coletivo. Atualmente, há 45 em operação: 16 no Metrô, 23na CPTM e 6 na EMTU. Juntos, eles oferecem 8.281 vagas (636 de paraciclos e 420vagas no Metrô, 6.202 na CPTM e 937 na EMTU). Inclusive, há possibilidade deusar as bicicletas dentro do Metrô.

    Pelosexemplos citados acima, fica evidente que a opinião do ortopedista Jorge dos Santos Silva,publicada em reportagem do Diário Oficial, veículo jornalístico editado pelaImprensa Oficial, é estritamente pessoal e não reflete a opinião do Governo deSão Paulo.”

    Assessoriade Imprensa do Governo do Estado

    Permanecemos àdisposição.

    Atenciosamente,

    gestão de clientes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s