Pés Descalços versus Petróleo

Depois do banho gelado de cada dia nada melhor que pedalar com os pés descalços para esquentar os pés.

_/\_

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

15 respostas para Pés Descalços versus Petróleo

  1. Aldo disse:

    Mais pés descalços mundo afora…
    One Day Without Shoes 2012

  2. Netto disse:

    Legal o vídeo, a velocidade da bike com a dos carros é quase a mesma rs. Parece ser bem rápida e confortável este modelo de bicicleta. A trilha sonora me lembrou daqueles desenhos da disney, com fundo de instrumental rss.

  3. juliofiori disse:

    Klaus, a que velocidade média tu anda?

  4. Klaus disse:

    Minha velocidade não é muito alta. Os carros é que são lentos demais.

    No dia-a-dia eu mantenho 40km/h na Ipiranga para ir aos ensaios da orquestra.

    Com a sapatilha da para ir a mais de 50km/h nessa Avenida mas só nos momentos em que a Fumaça Crítica esta dando uma trágua.

    🙂

  5. taisascavone disse:

    Klaus, adorei!! Velocidade, agilidade…mas…poderíamos ter respeitado os sinais vermelhos, não? #ficadica

    • airesbecker disse:

      Sinal vermelho é uma externalidade do trânsito automotivo.
      Tenho dúvida se aplica-se às bicicletas a sua observância igual aos carros.
      Acho que a categoria de veículo é outra.
      Assim como os pedestres têm uma fase própria, os automóveis têm outra, as bicicletas acho que não compartem o mesmo momento dos carros no trânsito.
      Sim bicicleta é veículo, mas de outra categoria, tem regras particulares.

      • Enrico Canali disse:

        Concordo. Está na lei (CTB) que a bicicleta deve respeitar os sinais vermelhos. Mas essa é uma lei feita pensando nos carros. Já está na hora de mudar isso.

  6. Douglas disse:

    Klaus, além de ter mais contato com a natureza, por que tu fica de pés descalços ?
    Não tem receio de pegar doenças ?

    • Klaus disse:

      É por que é bom demais!!!

      É o extremo da liberdade. Mais liberdade que isso só correr e caminhar pelado por aí, não depender de nada. Ser livre, realmente livre, o que mais importa?

      Os medos me ajudam a me cuidar, mas agora já estou viciado em ficar descalço, é tarde para voltar atrás…

      Abração!!!

  7. Jeferson disse:

    Pessoal, ontem morreu um ciclista atropelado na ZN. O motorista fugiu sem prestar socorro. A vítima tinha 45 anos. Não moro mais em Poa, por isso é difícil acompanhar, mas acho que vocês precisam ficar de olho nesse tipo de coisa. Venho aqui no blog e não encontro nem uma palavra sobre o assunto. É triste.

    • Aldo M. disse:

      Atualmente, nas áreas urbanas do país, é permitido transitar a até 67 km/h sem cometer nenhuma infração (os pardais dão uma tolerância de 7 km/h, por conta de um possível erro do equipamento) e a até 79 km/h é considerado infração leve, podendo ser cometida QUATRO vezes por ano sem ter a carteira cassada. Esta é a triste realidade. Enquanto não houver uma limitação mais severa de velocidade, especialmente para veículos pesados, esse tipo de “acidente” continuará a acontecer. Havia marcas de pneus no local, mostrando que o motorista tentou parar. Teria conseguido se estivesse a uma velocidade menor. Em quase todo o mundo, o limite é de 50 km/h nas áreas urbanas e muitas vezes de 40 km/h para veículos pesados.
      A velocidade significa espaço para parar o veículo. Faça simulações nesse link:
      http://www.velocidade.prp.pt/default.aspx?Page=4031&quad=3
      A 80 km/h, são necessários 58 metros para parar, mais de meio quarteirão.
      A 40 km/h, são necessários apenas 21 metros, praticamente um terço da distância.

    • airesbecker disse:

      Descanse em Paz.
      Com dor meus sinceros pêsames.

  8. Melissa disse:

    Coragem fazer corredor no meio da Ipiranga! Hehehe
    Muito bom o vídeo, Klaus!

  9. Fábio disse:

    Círculo Vicioso
    (Fabão)

    Sempre se ouvia
    O tal:
    “Tava aí na correria”
    Sequer se via
    Que o ciclista tava na via
    Vez em quando a massa que se movia
    Não esperava o que viria
    Vinha bici, alegoria,
    Valia…
    Até triciclo a pedal
    Vigarista viajando saiu voando, atropelando à revelia
    Virou views internacional
    O mundo todo se comovia
    Quando viu no jornal
    Que alguém sobrevivia
    Mas porque ninguém via?
    Em tal ciclo tão fatal
    Apenas o trivial:
    Exijam no dia
    Do sufrágio universal
    Várias ciclovias

    http://www.fabaomusic.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s