Orçamento Participativo – Temática de Circulação e Transporte e Mobilidade Urbana nesta terça-feira

Nesta terça-feira, 17 de abril, às 19h, haverá Assembléia Temática de Circulação e Transporte e Mobilidade Urbana do Orçamento Participativo, no Teatro Dante Barone (na Assembléia Legislativa).

Seria interessante que o maior número de pessoas possível comparecesse para conseguirmos alguma verba extra para colocar a bicicleta como prioridade na mobilidade urbana também dentro do Orçamento Participativo. Quem quiser participar, basta se cadastrar neste link e levar RG/CPF na hora.

Precisamos chegar a um consenso antes da Assembléia sobre uma proposta de utilização da verba do Orçamento Participativo. Por isso proponho que discutamos propostas aqui nos comentários deste post e antes da plenária, a partir das 17h. na Praça da Matriz, em frente à Assembléia Legislativa.

Qual é nossa proposta par o OP? Investir em ciclovias? Ciclofaixas? Educação? Traffic Calming? Outra coisa?

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , . Guardar link permanente.

35 respostas para Orçamento Participativo – Temática de Circulação e Transporte e Mobilidade Urbana nesta terça-feira

  1. Marcelo disse:

    Uma sugestão é usar o dinheiro para implementação da ciclovia Mariante, Goethe, Dr. Timóteo, Pernambuco, que integraria a futura ciclovia da Ipiranga com a futura ciclovia da Av. Sertório.

  2. Me perdoa Marcelo de discordar contigo, sinceramente, estamos com um processo em curso no MP, a Prefeitura não cumpre nem o orçamento legal para ciclovias, a Prefeitura não se manifesta referente à proposta do MP de criação do fundo, por que iríamos no OP cara carimbar recursos de outras rubricas quando eles não nos entregam o que já está carimbado. Acho que a estratégia hoje tem que ser fechar o cerco no que está no MP e no fundo do Plano cicloviário, de outra forma abrimos frentes e vamos disputar recursos que eles politicamente nunca nos entregarão. Este é o fórum para o qual nos querem levar desde o começo porque se trata de um lugar incerto do limbo orçamentário que pode muito bem ser ludibriado sem dar explicações para ninguém. Vejam bem, a atual administração não dão explicações nem para o MP e quando da, estão rodeadas de uma nebulosa que muito nos chama a atenção. Sinceramente gente, vamos concentrar nossa luta onde realmente temos grandes possibilidades e procurar ir em busca dos recursos legais, que estão nos sendo negados e que são desviados para outros propósitos. Precisamos nos reunir e chagarmos a focos pontuais de ação para evitar continuarmos dispersivamente sendo levados a objetivos que nos desgastam e não nos trazem resultados. Este é o caso da ciclovia da Icaraí, em que ficamos discutindo a largura dela e a Prefeitura está se lixando, segundo as próprias palavras de seu porta-voz o Arq. Régulo, sob o pretexto de que eles tem autonomia para decidir isto. Esta é minha humilde opinião e não necessariamente tem que ser a opinião de todos mas acredito que precisamos pensar nisto seriamente para evitarmos entrar neste jogo sem saída. Saúde

    • Marcelo disse:

      Martinez, a meu ver uma coisa não anula a outra.

      Até onde eu sei a ação no MP não depende muito de nós. Vamos nas reuniões, cobramos providências e damos informações ao promotor. Fora isso, não há muito o que fazer.

      E esse dinheiro do OP não vai ser tirado de saúde e educação, por exemplo. É um dinheiro destinado à mobilidade e transporte. Se não formos lá dar nossa opinião, vão acabar investindo esse dinheiro para instalar mais gradis, pra alargar ruas e outras monstruosidades.

    • Olavo Ludwig disse:

      Martinez, é algo independente, precisamos fechar o cerco, tem obras relacionadas a mobilidade urbana que são decididas no OP, então temos que estar presente no OP também. Vamos fechar o cerco.

  3. lobodopampa disse:

    Eu acho que a prioridade máxima em termos de infraestrutura cicloviária é a ciclovia da Orla – do Gasômetro até Tristeza/Assunção no mínimo.

    O PISA já está amontoando entulho na curva do Estaleiro para aterrar aquele barranco e futuramente fazer uma boa calçada, ciclovia, sei lá o que mais. A CICLOVIA DA ORLA ESTÁ CAINDO DE MADURA. Orla é o único tipo de espaço onde é fácil projetar ciclovia que funciona, não precisa ser nenhum gênio holandês, porque NÃO TEM CRUZAMENTOS. Então o que está faltando é a gente se MOBILIZAR pela priorizacão da ciclovia da orla, que é OBRIGAÇÃO DO PISA fazer (segundo o Régulo). Mas sem pressão popular eles vão deixar isso para a última coisa, se é que vão fazer. Nós podemos mudar isso, acelerar o processo e dotar a cidade de ciclovia no único lugar onde isso é totalmente vantajoso e onde não há dificuldades técnicas nem polêmica de nenhum tipo.

    Eu não entendo como a própria Prefeitura não enxergou isso, foi se meter com a Ipiranga que é complicadíssima de resolver, antes de ter know-how pra fazer algo bem mais simples.

    Não sei se isso é assunto para OP, até acho que não.

    De qualquer forma não posso ir hoje.

    Vamos pensar um jeito de agitar isso?

    • Marcelo disse:

      A ciclovia na orla vai sair com a duplicação da Beira-Rio. Eles não podem terminar a duplicação sem ciclovia ali.

      • lobodopampa disse:

        Será? Quero acreditar que sim. Mas isso não invalida a proposta. A duplicação tem o que, menos de 2 km? Tem todo o resto da orla pra fazer, desde o Gasômetro até onde a gente conseguir, nada impede que emende com Ipanema e vá além.

        E depois emende com alguma ciclovia que venha de Navegantes/Zona Norte.

      • Marcelo disse:

        Navegantes e proximidades, com a duplicação da Voluntários haverá ciclovia nela também.

      • airesbecker disse:

        Marcelo tu tá virando crédulo da Prefeitura!
        Do jeito que está eles vão inventar alguns arremedos de ciclocoisas para não atrapalhar os carros!! Ciclofraudes….

      • Marcelo disse:

        Não, Aires, eu sou até mesmo contra a duplicação destas avenidas.

        Mas a lei exige a implementação dessas ciclovias e o governo disse que vão sair. Se realmente vai ser feita, eu não sei, mas É para sair. Se não sair nós temos que ir lá na inauguração e trancar a via toda.

      • airesbecker disse:

        Tava brincando, também acho que seria demais se fossem feitas as obras conforme as previsões, mas até agora tá difícil para o a EPTC entender o conceito de qualidade em termos de ciclismo.

  4. Ricardo disse:

    Estarei lá hoje,mas vou chegar após às 17h.Saudações!.

  5. Aldo M. disse:

    Não vou poder estar lá hoje, mas registro que apoio totalmente implementar as ciclovias sugeridas. Conheço muito bem o trajeto da Mariante até a Pernambuco. É perfeitamente possível e fácil fazer ciclofaixas da noite para o dia ali, sem sequer suprimir pistas para os sagrados automóveis, apenas algumas vagas de estacionamento. O problema não é verba, espaço, nem nada. A atual administração da Prefeitura PMDB-PDT simplesmente não quer fazer.

  6. Olavo Ludwig disse:

    E ai pessoal, como é que foi ontem?

    • lobodopampa disse:

      Bem, vamos encarar os fatos. A maioria das pessoas que estava lá quer duplicação de avenida, não ciclovia. Isso não é enrolação, é o estado de coisas. E tbém é democracia. Nesse caso, triste para quem pensa diferente, nós no caso.

      • Aldo M. disse:

        Apenas para reflexão, lembro que não há nenhuma infra-estrutura cicloviária para acesso ao local da reunião. É bem provável, que, com isso, a participação de muitos ciclistas tenha sido prejudicada

  7. Olavo Ludwig disse:

    Prioridades eleitas na temática Circulação e Transporte e Mobilidade Urbana
    1 – Pavimentação de estradas
    2 – Duplicação e alargamento de vias
    3 – Qualificação de terminais e parada segura
    4 – Programa Mobilidade e Organização do Espaço Urbano – Abertura de vias e rótulas

    Detalhe: Foram 450 pessoas que votaram, a massa reúne mais de mil, logo facilmente poderíamos modificar as prioridades.

    • Marcelo disse:

      Era impossível que fosse diferente, Olavo. A cédula tinha cinco opções a gente só podia votar a ordem de prioridade, não podia incluir novas. O debate agora é para definir as prioridades a serem votadas ano que vem.

      • Olavo Ludwig disse:

        Quando esta cédula é feita? Isso é meio ridículo, que no dia que se tem para debater já exista uma cédula pronta? Temos que ver como é definida as opções nesta cédula e formar um grupo para participar mais permanentemente do OP.

  8. lobodopampa disse:

    “Sobre as demandas por ciclovias, o prefeito reforçou que o município está comprometido em ampliar os espaços para garantir a mobilidade com segurança. “A bicicleta é um transporte alternativo da maior qualidade e importância para a rotina das cidades modernas”, disse, informando os projetos em desenvolvimento na Capital com a ciclofaixa da Icaraí e a ciclovia da avenida Ipiranga. Porto Alegre conta ainda com os 4,6 km da Restinga, com 2,1 km na Diário de Notícias e 1,2 km em Ipanema. A partir deste ano será construído o Complexo Cicloviário Sertório, com 12 km de extensão, incluindo a Severo Dullius, avenidas dos Estados e das Indústrias. Nos projetos do PAC Copa estão incluídos 20 km de ciclovias.”

    Notem que não se fala nas ciclovias teoricamente obrigatórias nas avenidas que vão ser duplicadas (mencionadas logo antes desse trecho no blog lincado pelo Olavo).

    Isso é preocupante. Quer dizer que não está nada garantido. Sem falar na enrolação, aí sim, que a prefeitura vai certamente continuar fazendo com os prazos e com a “qualidade” de projeto.

    Acontece que eles acham que a maioria da população está com eles – e provavelmente estão certos.

    Temos que trabalhar dentro desse cenário, não adianta “brigar” com ele (brigar no sentido de ignorar as circunstâncias).

    • Olavo Ludwig disse:

      Foi ai que eu falei da enrolação, no mais a realidade da eleição é triste. 450 pessoas votando numa cédula já pronta, é importante vermos como isso funciona para mudar as coisas, se metade dos participantes da massa forem votar, já dá 500 votos.

    • Aldo M. disse:

      Infiro que grande parte da população ainda não consegue ver a bicicleta como um meio de transporte altamente competitivo com os outros modais. Talvez muitos que nunca tiveram um carro precisem passar pela experiência para só depois se desencantarem com seus aspectos indesejados.
      Os passeios da Massa Crítica precisariam passar por outras ruas, Também está na hora de pessoas que moram em outros bairros começarem a organizar as suas bicicletadas. Está faltando uma divulgação mais ampla da bicicleta como meio de transporte “sério”, mas que nem por isso deixa de ser um dos mais divertidos.

  9. Aldo M. disse:

    Acho uma tendência natural saírem vencedoras reivindicações de coisas que já existem. Idéias novas, que apontem novos caminhos nunca irão encontrar um terreno fértil nesse tipo de ambiente. Quando existir uma rede cicloviária inicial, aí será muito mais propor que seja estendida para outras vias da cidade.

    De qualquer forma, foi muito importante que o assunto aparecesse a ponto do Prefeito ter que prestar uma satisfação à sociedade organizada. Significa que está sentido a pressão para a construção de uma rede de ciclovias.

    • Marcelo disse:

      Talvez sim, Aldo. Mas além da minha manifestação, de um total de 12 manifestações, teve pelo menos umas outras 3 que mencionaram bicicletas.

    • lobodopampa disse:

      Puxa, estou conseguindo concordar com o Aldo de novo! Isso ainda vai virar um hábito hehehe.

      Saiu uma matéria em ZH sobre anseios da população em relação a plataformas para o próximo pleito eleitora dia desses que não teve muita repercussão entre nós.

      A parte ruim é que de fato não existe ainda uma consciência suficientemente clara e forte, na maioria da população, quanto ao potencial papel da bicicleta como parte da
      solução para a problemática da mobilidade.

      A parte boa é que boa parte da população (não lembro os números) mencionou transporte público, e houve menção significativa, ainda que minoritária, de modos
      alternativos incluindo expressamente investimenos em infra cicloviária.

      Não lembro os números nem o jornal nem o link, desculpem pela informação em frangalhos.

      Acho que a Massa tem um papel nisso tudo.

      Antes da última eleição, esse assunto praticamente nem existia. Na penúltima, com certeza não existia MESMO.

      • lobodopampa disse:

        p.s. lembro tbém que algum colunista, na mesma edição, chamava a atenção para o fato que mesmo pessoas que não precisam diretamente de serviços públicos de transporte e educação estão priorizando essas coisas como critério de avaliação de candidatos.

      • Aldo M. disse:

        Quando concordam comigo, sempre fico em dúvida se entenderam o que eu quis dizer.
        Eu não fui á reunião, mas avalio que foi bastante produtiva a participação dos amigos. Agora vejo que é um erro levar em conta apenas o resultado da escolha das prioridades. As ciclovias foram reivindicadas, e o Prefeito sentiu necessidade de dar desculpas pelo injustificável atraso e tropeços que têm ocorrido. Isso tudo deve ter deixado muita gente com a pulga atrás da orelha – se o Prefeito deixou transparecer preocupação, é porque o assunto deve ser mais importante do que se pensava.
        Existe uma grande massa de apoiadores da bicicleta como meio de deslocamento entre os motoristas. Eu mesmo sou um deles. Hoje, levei 1h20min para fazer o percurso Aeroporto – Bom Fim – Menino Deus, das 18h às 19h20min. Dá uns 13 km. Isto significa 10km de velocidade média! Só o percurso de 1km e pouco da Osvaldo Aranha levou mais de meia hora! Não há publicidade melhor para a bicicleta que os congestionamentos insanos causados pela estupidez dessa administração municipal no trato com o trânsito de Porto Alegre. É por isso que os passeios da massa crítica recebem apoio e incentivo entusiasmados dos motoristas que estão “trancados no trânsito”. Sim, é verdade que eles estão trancados, mas não durante alguns minutos por mês como declara a desavergonhada EPTC, mas durante muitas horas em TODOS os dias do mês.

      • Olavo Ludwig disse:

        O assunto bicicleta tá na boca do povo mesmo, dia desses, pessoas que não estão por dentro do assunto me falaram, que em Porto Alegre os assuntos agora são bicicleta e pitbull, que a cidade entraria em colapso se por acaso um pitbull matasse um ciclista ou o inverso.

      • Aldo M. disse:

        E a presença de ciclistas com mochila nas costas pelas ruas de Porto Alegre está aumentando a olhos vistos, assim como o respeito dos motoristas. Hoje vi três bicicletas no espaço de uma quadra em apenas um dos sentidos da Ipiranga, antes das 8h da manhã. A pista da direita teve seus 3 metros de largura bem ocupados durante uma ultrapassagens entre ciclistas, mantendo ainda cerca de 1,5 metros dos veículos da segunda faixa. Então, é só fazer a ciclovia, uma para cada sentido, no espaço que os ciclistas já estão utilizando: as faixas da direita de ambas as pistas da Av. Ipiranga. Sugestão esta que, aliás, é compartilhada por todos que já vi se manifestarem a respeito – exceto, é claro, a Prefeitura.

  10. airesbecker disse:

    Vocês se deram conta da distorção da democracia participativa.
    Na verdade é uma manifestação da maioria sobre a minoria.
    E ainda se presta muito a manipulação.

    Mas acho que foi positivo a presença.
    De uma forma ou outra ficou o recado!
    Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s