Para limitar a velocidade de carros

Depois de ler neste domingo que o filho de Eike Batista, Thor, estraçalhou o corpo de seu ciclista com seu Mercedes milionário que alcança 100km/h em 3 segundos e pode chegar a até 330km/h, ficou mais claro ainda para mim a necessidade urgente de limitarmos a velocidade máxima que os carros podem alcançar.

Não existe um motivo plausível para serem fabricados ou comercializados no Brasil carros que andem mais rápido que os mais altos limites de velocidade que existem no território brasileiro. Se o limite máximo é de 120km/h, por que existem carros que alcançam 150, 200, 250 ou 300km/h?

Graças a isso, temos casos como esses:

Esta petição pede a proibição da fabricação e comercialização de carros que ultrapassem o limite máximo de velocidade existente em território nacional.

http://www.avaaz.org/en/petition/Pare_a_guerra_no_transito/?ctxjNab

Assine, compartilhe.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , . Guardar link permanente.

15 respostas para Para limitar a velocidade de carros

  1. Olavo Ludwig disse:

    O negócio é ser obrigatório limitador de velocidade de fábrica, que já sai ajustado para o máximo de 120km/h. Bom mesmo se o limitador funcionasse de acordo com a velocidade máxima das vias, ai ao invés de pardal se colocaria um transmissor para limitar a velocidade dos carros na via.

  2. Larry Witt disse:

    Tão perigoso quanto estar a 100 km/h é poder alcançar essa alta velocidade em poucos segundos. O carro que vaporizou o ciclista, uma Mercedes-Benz SLR McLaren, alcança 0 a 100 km/h em 3,2 segundos. Porém, ele também vai 100km/h a 0 em….. Bom, essa informação eu não achei, mas convenhamos, para quem compra um super esportivo essa informação não interessa muito…

  3. Fernando disse:

    Vocês sabem a velocidade em que o carro estava?

    • Olavo Ludwig disse:

      Não, gostaria muito de ver uma investigação séria sobre o caso, e o pior que já foi prejudicada pelo local do incidente não ter sido isolado. Imagina-se que a velocidade era bem alta por alguns motivos:
      1) Corpo desmembrado com a colisão;
      2) Estrago no carro
      3) Pela idade do motorista e potência do carro
      4) Pelo nome do motorista: Thor ( o todo poderoso), sério, alguém pode me dizer o que passa na cabeça de um pai e uma mãe colocar este nome num filho, que não seja a prepotência de se achar acima dos simples mortais? Ainda mais levando em conta o poder financeiro da família e o conhecimento comum de que dinheiro e poder podem tudo.

      • Fernando disse:

        Na boa, acho que qualquer um pode botar o nome que quiser no seu filho, desde que não extrapole o ridículo. Usar o nome do sujeito como critério de julgamento é, no mínimo dos mínimos, preconceito.

      • Olavo Ludwig disse:

        Com certeza Fernando é um preconceito da minha parte usar o nome como agravante, mas seria muito interessante ver uma análise de psiquiatras a respeito disso.

        Além disso não estou usando como critério de julgamento estou usando como apenas mais um critério para poder imaginar a velocidade do carro, já que a perícia foi comprometida.

      • lobodopampa disse:

        Minha irmã se chama Dunia que em árabe quer dizer mundo ou mesmo universo. Eu ganhei o prenome de um avô, que casualmente é o mesmo nome de um mítico rei celta da baixa Idade Média. Muitas pessoas são batizadas com o nome de Jesus. Nomes homenageando divindades e santos são a coisa mais comum do mundo. Francamente, extrapolar em cima do prenome do guri é demais. Seria interessante tbém ver a opinião do psiquiatra sobre essa obsessão hehehe.

      • Olavo Ludwig disse:

        Artur, Thor é de gibi, e é um deus, dá de 10 a 0 no poder do rei Artur, já Dunia é muito sutil. Nome de um deus e super rico, e como histórico da família…hum sei lá, mas consultar meu psi a respeito :)..Thor até um nome comum…para cachorros!

    • celowitt disse:

      O impacto arrancou um braço e uma perna e abriu o peito do ciclista, o seu coração saltou e foi parar no interior do veículo. Vc viu as fotos? Viu a gosma de sangue que lacrou o vidro de traseiro? Sabemos o qnto aquele teto é reforçado para aguentar o peso das portas que abrem para cima? Sério, pouco importa a exata velocidade, mas não precisa ser nenhum perito para saber que era uma velocidade inapropriada para o local.
      Além da provável ultrapassagem pelo acostamento (local habitualmente utilizado pelo ciclista), a culpa pela velocidade deveria recair tb na engenharia de trânsito que permite uma velocidade absurda de 110km/h numa estrada sinuosa e em local urbanizado. “Acidentes” são recorrentes na tal BR-040 e enquanto ficarmos achando desculpismos para tais…

      • lobodopampa disse:

        Não sabia de nenhum desses detalhes. Não estavam nas notícias até ontem, pelo menos.

      • Aldo M. disse:

        Bem lembrada a responsabilidade da Engenharia de Trânsito. É algo que anda faltando também em Porto Alegre, onde se permite 60 km/h em locais de movimento intenso de pedestres.

  4. favoviscardi disse:

    Não acho nem um pouco inválido que o nome do guri seja objeto de discussão. É detalhe, é assunto lateral, mas vá lá ter uma bela conversa com qualquer um sobre o por quê do nome de seus filhos e tu vai entender muito dos desejos e expectativas que os pais colocam neles. De uma maneira muito simples dá pra dizer que o jeito que os pais desejam seus filhos até mesmo antes de nascerem, como os enxergam enquanto os estão criando, tudo isso vai sim ter um impacto na personalidade da pessoa. To falando psicologês demais ou parece óbvio? Tinha até uma pesquisa que associava meninos e meninas com nomes estranhos (pouco comuns, que rimavam com algum palavrão) versus bullying e problemas afetivos. No caso do Thor o nome do Mercedes devia ser Mjolnir?

  5. favoviscardi disse:

    Mas enfim, o que chamou minha atenção foi aquele vídeo horrendo do cara atropelando a kombi. Na minha opinião ainda faltam décadas pra gente ter carros vindo com um sistema de controle de velocidade pra cada tipo de pista (rua, avenida, rodovia), tu vê, só agora o governo conseguiu obrigar que todos os carros venham com air bag e por isso o Uno Mille antigo aquele saiu e deu lugar pra esse novo, que tem espaço pra isso.
    Por outro lado talvez seja o melhor mesmo, pressão pública contra esse modelo do supercarro, da super potência… lá na itália eles chamam de “Máquina” como se fosse o máximo.

  6. Aldo M. disse:

    A Mercedes-Benz fez algum comunicado sobre o acidente? Sim, porque parece que estão esquecendo quem forneceu a arma. O fabricante não é obrigado a vender para qualquer um que tenha dinheiro. Ele pode e deve impor restrições para que seu produto não seja mal utilizado, como foi o caso deste. Li uma vez que a Ferrari só vende seus modelos mais potentes para os que já utilizaram seus modelos de entrada por alguns anos. Então é de se questionar que cuidados a Mercedes tomou antes de vender seu carro ao Eike, assim como ao próprio Eike que emprestou o “brinquedinho”, de forma irresponsável, para seu filho dar umas bandas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s