Enquanto isso em Curitiba… (“Ignoring the Bull” de pernas para o ar)

Saiu hoje uma notícia interessante, no blog Ir e Vir de Bike, da Gazeta do Povo de Curitiba:

http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/?id=1232878&tit=taxista-atropela-agente-de-transito-e-sindicato-pede-fim-da-ciclopatrulha

Um agente de trânsito que usava a bicicleta foi atropelado por um taxista em cima de uma faixa de segurança. O Sindicato que representa os agentes pediu o término da ciclopatrulha feita pela Setran. Os motivos:

A entidade contesta o uso da bicicleta como meio de transporte na execução das atividades dos agentes argumentando que o veículo não oferece nenhuma condição de segurança para o trabalhador.

“Além disso, o agente que trabalha de bicicleta precisa disputar espaço com outros veículos de maior porte nas ruas de Curitiba, que, ainda, não oferecem a estrutura adequada para os ciclistas, além do trânsito estar cada vez mais intenso e caótico”, segue a nota.

Segundo o presidente do sindicato, Valdir Mestriner, o acordo coletivo de trabalho da categoria não prevê a figura do agente de trânsito ciclista. “A bicicleta, como instrumento de trabalho, não oferece nenhuma segurança, além de exigir esforço físico para que a pessoa possa desenvolver sua atividade. Nós estamos entrando em uma negociação do acordo coletivo e até agora não houve ninguém que trouxesse a defesa da ciclopatrulha como trabalhador”, afirma.

(…)“Estamos sempre dispostos a negociar mas não há, da nossa parte, nenhum intenção de deixar passar problemas de segurança”, completa.

Vale a leitura da postagem completa, mas acho importante trazer o fato de que, DO PONTO DE VISTA OCUPACIONAL, o ambiente do trânsito extrapola qualquer limite aceito em termos de Engenharia de Segurança do Trabalho.

Em indústria nenhuma do mundo, atualmente, se aceita que máquinas enormes, em alta velocidade, transitem a poucos centímetros de pessoas a pé sem proteção, devido ao risco de acidente, e ao enorme custo humano de um acidente se houver.

“Mas o Sindicato não é contra agentes a pé”. Outro fator interessante que merece reflexão: a bicicleta é tida como um FATOR DE AUMENTO DE RISCO pela entidade de representação do trabalhador. Podemos nos perguntar: mas por que isso? Um tópico rico para debate.

Mas por fim, acho que a filosofia do “Ignoring the Bull” está começando a deixar ver por trás dela: o sindicalista aponta diretamente a falta de infra-estrutura, o caráter intenso e caótico do trânsito (razão aliás da própria necessidade de existirem fiscais), e a natureza de alto risco associada ao trânsito moderno (em comparação com outros ambientes de trabalho) e à impressão de alto risco associada à bicicleta (em comparação com outros veículos de maior porte).

Muito, muito interessante…

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Enquanto isso em Curitiba… (“Ignoring the Bull” de pernas para o ar)

  1. heltonbiker disse:

    Não posso deixar de colar também, para quem não viu, a (na minha opinião excelente) matéria do Fantástico de 11/03, que tem a ver com o tema, especialmente por usar a polêmica expressão “Guerra no Trânsito”:

    http://goo.gl/Wiz66

  2. Marcelo disse:

    Engraçado que um dos motivos porque a bicicleta seria ruim é de que ela exige esforço físico. Ignorando completamente que as doenças relacionadas ao sedentarismo são uma das principais causas de morte hoje em dia.

    • ricardo disse:

      Tu és o Marcelo Sgarbossa?Se sim,teria um e-mail para contato?Sou ciclista aqui de POA e gostaria de trocar idéais a respeito do cicloativismo.Obrigado.

  3. É a capacidade reacionária das pessoas e suas representações em evidência de novo. Contestam a bicicleta como instrumento de trabalho, mas não contestam a ameaça do trânsito e a falta de preparo da cidade, que são considerados normais e portanto aceitáveis. Pra eles o que não é aceitável é a bicicleta… Isso equivale a fechar a cidade à noite por ser perigosa em vez de colocar o poder público em cima pra prevenir ou solucionar essa periculosidade. Corta-se o membro em vez de recuperá-lo.
    Bons momentos a todos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s