Empresa faz projeto de Ciclovia para Avenida Paulista

 

Empresa faz projeto para inclusão de ciclovia na Avenida Paulista sem remover faixa de carros e ainda adicionando áreas verdes, um canteiro de um metro de largura que separa a ciclovia dos automóveis. De quebra ainda reduziu a velocidade máxima permitida na via, aumentando também a segurança dos pedestres.

Isso mostra que com boa vontade é possível sim implementar todos os 495km do Plano Diretor Cicloviário de Porto Alegre. Basta que a administração da cidade para de desviar o dinheiro que por lei é do Plano Cicloviário.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , . Guardar link permanente.

19 respostas para Empresa faz projeto de Ciclovia para Avenida Paulista

  1. Netto disse:

    Poxa ficou muito bom! Não achava possível a implantação de uma ciclovia numa avenida tão movimentada qdo a Paulista. E a ideia de passar o corredor de ônibus para o canteiro central tb ficou boa; mantem a velocidade regular dos coletivos e ciclistas e motoristas podem fazer conversão a direita com mais tranquilidade.

  2. Olavo Ludwig disse:

    Piora um pouco para o pedestre que tem a sua área de espera do ônibus drasticamente reduzida e precisa atravessar a rua para pegar o ônibus.
    Eu penso que uma solução mais de acordo seria colocar o ônibus para segunda faixa, reduzindo uma pista de cada lado para o resto dos veículos motorizados e colocar a ciclovia entre a calçada e a área da parada de ônibus, mantendo a redução de 1m de calçada, e colocando área verde no entorno das ao longo da via antes e depois das parada e mais um canterinho entre a ciclovia e a calçada.

  3. Olavo Ludwig disse:

    250 * 40 = 10.000 pessoas (ônibus) – Duas pistas de rodagem – 5.000 pessoas por pista
    6.939 * 1,2 = 8.327 pessoas (outros veículos motorizados) – 6 pistas de rodagem – 1.388 pessoas por pista

    É desproporcional demais. Pensando nesse números já acho que deveria haver 4 faixas para os ônibus e apenas duas para os carros

    • Aldo M. disse:

      Se houver 320 ônibus por hora em vez dos atuais 250, seria possível transportar sentados os ocupantes de duas pistas para automóveis. Hoje, nos horários de pico, passa 1 ônibus a cada 29 segundos (em cada sentido). Com 320 ônibus, passaria 1 ônibus a cada 23 segundos.

      Ou seja, é perfeitamente possível aumentar a quantidade de ônibus de forma a permitir que duas das atuais faixas de trânsito fossem destinadas exclusivamente a bicicletas, sem a necessidade de obras como a dessa proposta de ciclovia.

  4. Fabrício disse:

    Ta na hora de pressionar firme pra Ipiranga ter ciclofaixa ou ciclovia no asfalto sem aquela babaquice que tão inventando…

    • Jeferson disse:

      Fabrício, concordo muito. A ciclovia vai dificultar os deslocamentos ao invés de facilitar.

    • Aldo M. disse:

      Se aqueles taludes fossem uma boa opção para os ciclistas, já deveriam estar sendo utilizados pelo menos por alguns que andam de mountain bikes. E há até trechos ali com calçamento simples de lajes.
      A Prefeitura teme que os congestionamentos de automóveis possam aumentar com ciclovias no leito da pista, mas insiste em manter as vagas de estacionamento ao longo da avenida.

  5. Melissa disse:

    Ela é boa para o ciclista e para diminuir acidentes, mas dificulta para o usuário de transporte público, que vai ter que pegar uma sinaleira pra chegar até a parada. Dá uma raiva quando o teu ônibus passa e a sinaleira ainda não abriu…

    Tem uma solução melhor: botar o ônibus pra faixa ao lado da ciclovia. Onde tem parada de ônibus, uma faixa de segurança na altura da calçada (que já serve como lombada) sobre a ciclovia pro ciclista parar quando os pedestres desembarcam.

    • Aldo M. disse:

      A proposta é boa para ilustrar que existem alternativas de inclusão da bicicleta numa área densamente povoada. Mas é apenas uma sugestão e não um projeto acabado. Eu fiquei intrigado com a parada no lado esquerdo dos ônibus, que precisariam todos ser adaptados com a colocação de portas daquele lado.

    • Melissa disse:

      Aqui um sketch super básico do que eu sugeri:
      Image and video hosting by TinyPic

      • Aldo M. disse:

        Quando existem muitos ônibus, a melhor alternativa para uma ciclovia costuma ser na faixa mais a esquerda, por que evita a maior parte dos conflitos. Esta tua sugestão é bem melhor que a da empresa, mas penso que haveria conflitos demais nas paradas, mesmo que se fizesse um desvio da ciclovia por trás das mesmas.

      • Marcelo disse:

        O melhor mesmo era fazer da faixa da direita uma faixa compartilhada só para ônibus e bicicletas e ensinar os motoristas de ônibus a conviver pacificamente com ciclistas.

      • Melissa disse:

        Quanto aos conflitos, basta o ciclista parar na faixa para o pedestre que vai entrar/sair do ônibus. Essa lombadinha serve para duas coisas: estimular o ciclista a diminuir a velocidade na faixa de segurança; não impedir a acessibilidade para cadeirantes nos ônibus.

        Para a faixa ser compartilha entre ônibus e bicicleta, ela tem que ser larga o suficiente pro ônibus passar a 1,5 metros.

      • Aldo M. disse:

        Os conflitos a que me referi são justamente entre os ciclistas e passageiros embarcando nos ônibus por interromperem a ciclovia. Como há muitos ônibus, os ciclistas seriam obrigados a fazer constantes paradas e acabariam utilizando a pista dos automóveis.
        O trânsito compartilhado entre ônibus, que passam a cada 30 segundos, e bicicletas é totalmente inviável nessa situação. Não é apenas porque falta educação a alguns motoristas.
        A fórmula do sucesso já existe e está comprovada: reduzir as faixas para automóveis para incentivar as pessoas a trocarem o carro pela bicicleta ou o transporte coletivo. Falta apenas eleger um político que tenha capacidade de entender esta lógica.

      • Melissa disse:

        Mas aí é que está: se é para deixar ônibus e bicicleta longes um do outro, um vai ter que ir para o canteiro central… ou o ciclista vai ter que esperar uma sinaleira pra poder andar, ou os usuários do transporte coletivo para pegar o ônibus.

      • Aldo M. disse:

        Sim, Melissa, um dos dois vai ter que ir para o canteiro central. Não vejo outra forma, pelo grande movimento da avenida de ônibus e pedestres. E, neste caso, faz mais sentido que seja a bicicleta e não o ônibus, Assim, o ônibus fica onde está hoje, porque não há motivos para mudar. O problema da segurança do ciclista pode ser resolvido de forma independente, com ciclovias junto ao eixo da avenida.
        Ônibus e bicicletas na mesma faixa só em situações muito excepcionais e quando o fluxo de ônibus for pequeno. Cito o caso das pontes do Rio Sena em Paris, que são trechos muito curtos e onde não há a menor possibilidade de alargamento.

  6. Não!!! Não!!! ônibus perto de bicicleta, não!!! Quase todas as vezes em que tive que denunciar um automotor era ônibus! A mídia está cheia de mortes de ciclistas em função dos ônibus! Nas útlimas semanas já soubemos de várias (Porto Alegre, São Paulo… )… Eles são os piores para o compartilhamento de pista nas cidades!!
    Hoje de manhã mesmo denunciei uma falta de respeito ocorrida no passeio do Pedalegre da quinta da semana passada por causa de um ônibus saindo da Praça Rui Barbosa que tocou por cima de todo mundo quando estávamos na preferencial e ele não…
    Considerem, please…
    Saudações a todos!

  7. Boko disse:

    ANDAR A 40 KM/H ? QUEM VAI FAZER ISSO ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s