Boliche motorizado

Ricardo Neis deu o ponta pé inicial e quase um ano depois de seu ato, adeptos da nova modalidade “esportiva” começam a botar as asinhas de fora.

Logo no início de fevereiro, no Rio, um motorista de ônibus tirou uma “fina” de grupo de ciclistas. Quando questionado pelos ciclistas o motivo da sua atitude, afirmou que tiveram sorte, pois se estivesse em seu carro de passeio teria os jogados pra cima. Dias depois, ainda no Rio, um ladrão de carro fura um bloqueio da guarda municipal e avança pra cima da multidão que aguardava o início do ensaio da Portela em Madureira (zona norte da cidade). Deixou 38 feridos e uma vítima fatal.

Em Quintão (litoral norte gaúcho) na última terça, um jovem segue o exemplo do Ricardo Neis ao se sentir ameaçado pelos foliões que, segundo testemunhas, davam tapas em seu carro. O resultado da “legítima defesa” foram 17 pessoas atropeladas.

Se até 2016 o Comitê Olímpico Internacional aprovar a modalidade, o Brasil tem pódio garantido nas Olimpíadas.

Anúncios
Esse post foi publicado em apocalipse motorizado, caos no trânsito e marcado , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Boliche motorizado

  1. Pingback: Atropelamento coletivo | de camelo

  2. Melissa disse:

    “Se até 2016 o Comitê Olímpico Internacional aprovar a modalidade, o Brasil tem pódio garantido nas Olimpíadas.” arrasou!

  3. Aldo M. disse:

    Na verdade, logo após o atentado do Nei, outro porto-alegrense jogou seu carro contra dois ciclistas que acabaram no Hospital Cristo Redentor. E vários motoristas, daí em diante, se deram conta que fazer aquilo “não dá nada”. É que há uma tendência muito grande das autoridades e da grande mídia culparem a vítima quando esta está à pé ou de bicicleta. Já o motorista tem “amplo direito de defesa”. Ironicamente, os pedestres e ciclistas, ao serem ameaçados covardemente por um automóvel, quase nunca têm como se defenderem.

    Ninguém me convence que, naquele dia trágico, o Nei simplesmente não teria planejado mostrar ao seu filho um strike em grande estilo, segundo seu mórbido ponto-de-vista.

  4. O brasileiro parece ter especial atração por ser criminoso, sabendo da condescendência das autoridades tupiniquins… Não desperdiça UMA chance de se impor pela força sobre seu semelhante e depois com certeza rirá disso no próximo boteco com os “amigos” (quadrilha seria melhor definido)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s