Sugestão para a mureta da ciclovia da Ipiranga

O IAB será responsável pela escolha do guarda-corpo da polêmica ciclovia. Nessa mesma reportagem do link, o diretor-presidente da EPTC diz que um dos motivos para a escolha dos troncos de eucalipto é que são ecologicamente corretos. Vamos admitir que realmente são mais ecológicos do que outros materiais, que também são mais caros. Mas por isso a cerca deveria ficar feia, com cara de CTG, como foi na primeira tentativa? Não!

Na minha opinião, deveríamos levar em conta que a construção dessa ciclovia vai eliminar algumas árvores e áreas verdes em geral. Por isso, eu sugiro que para compensar essa perda, a mureta continue sendo de madeira, mas com os ajustes técnicos necessários e que sejam utilizadas plantas (trepadeiras) para cobri-la. É uma solução simples, ecológica e barata. Não vou discutir gosto, mas eu acho que ficaria muito bonito e ia valorizar o local. Existem várias espécies que inclusive brotam flores, o que acham?

Se gostou, sugira aos arquitetos do IAB!

presidente@iabrs.org.br

iabrs@iabrs.org.br

 

Anúncios
Esse post foi publicado em ciclovia, Plano Cicloviário, Porto Alegre e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para Sugestão para a mureta da ciclovia da Ipiranga

  1. Matheus disse:

    Eu acho a idéia perfeita, mas duvido que plantas mais sensíveis como estas consigam crescer num ambiente podre e poluído como é a Ipiranga com tanta fumaça de motor. 😦

  2. No post que fizemos ontem (https://vadebici.wordpress.com/2012/01/13/sugestao-para-a-mureta-da-ciclovia-da-ipiranga/) tem algumas sugestões, ao final do texto. Não sei a respeito da possibilidade técnica, mas umas floreiras retangulares ao longo de toda a via, bem caprichadas, eu acredito que seria uma ideia interessante. Como existe todo esse envolvimento da nossa comunidade ciclística, acho que não seria difícil mobilizar essa turma para sempre manter os canteiros bem cuidados e floridos. Essa alternativa daria uma visibilidade grande para todo o mundo que anda pela Ipiranga diariamente, e com certeza geraria uma imagem positiva da comunidade ciclística e atrairia mais pessoas. Pessoas essas inclusive que tão facilmente reproduzem sem muito questionamento as críticas que a imprensa faz, muitas vezes.

    • airesbecker disse:

      Floreiras retangulares nem pensar, nada pode ter cantos, quinas que possam causar ferimentos.

      • heltonbiker disse:

        Tudo que é retangular e transversal, margeando ciclovias, é ruim. A literatura recomenda sempre que os bordos das estruturas circundantes sejam suaves, não contundentes nem cortantes, contínuos, e orientados ao longo do sentido de deslocamento.

    • Luciane disse:

      gosto muito dessa ideia!! aqui onde eu moro a cidade fez exatamente isso! um muro (como floreira) de uns 50 cm com plantas de todo tipo: hortencias, tulipas, folhagens, gardenias, etc, em todo o percurso.
      a altura eh perfeita, e em caso de acidente o ciclista aterrizaria nas plantas, e nao no concreto. infelizmente no inverno as plantas morrem por causa da neve, mas mesmo assim ha alguma folhagem que resiste.
      porto alegre tem tanto parque descuidado, tanta area que poderia ter vida e cor… principalmente esse arroio que em nada contribui em embelezar a cidade!
      acho essa idea espetacular, e como ciclista sei que funciona!!!

  3. airesbecker disse:

    Muito boa ideia Melissa.
    As plantas são a solução.

  4. airesbecker disse:

    Pode ser trepadeiras e arbustos cercas vivas.

    As nossa soluções como quem não quer nada estão fazendo uma revitalização do arroio dilúvio.

    É ciclismo mudando o mundo de formas inusitadas e inesperadas!!!

  5. Luciane disse:

    lindo!!!!!!!!! amei!!!!!!!!! imagina que maravilha bicicletiar numa via florida!!!!!!!!! acho que incentivaria a usar a bicicleta! jah estou ateh planejando com a minha mae quais sao as melhores trapadeiras e quais sao as que florecem mais e as que tem mais perfume, etc, etc!!
    adorei!!!! =)

  6. Aldo M. disse:

    Um dos principais critérios técnicos de escolha do local para uma ciclovia é que este seja particularmente agradável. Então, apenas com base neste critério, os taludes do Arroio Dilúvio jamais deveriam ser considerados como opção para implantar uma ciclovia.

    E nem é necessário fazer considerações sobre o entorno, que tem um riacho muito fedorento de um lado, uma via expressa do outro e uma linha de transmissão de energia acima. Ou seja, além de talude, é uma área de escape para automóveis desgovernados e uma servidão para redes de energia.
    Basta observar quantas pessoas escolhem aquele local para deslocamento ou lazer. Praticamente nenhuma, exceto deslocamentos ocasionais enquanto se espera o melhor momento de atravessar a avenida e sair dali o quanto antes.

    A proposta de se fazer um paisagismo e humanizar um pouco o local é excelente para quem passa ao lado do talude, de automóvel ou ônibus, ou mesmo à pé, porém na calçada do outro lado. Mas tenho sérias dúvidas se seria suficiente para atrair pessoas para ali.

  7. marcelosgarbossa disse:

    Melissa, muito boa idéia!

    Olhem só: recebi um email do IAB. Talvez ocorra uma reunião hoje de tardinha.

    Ficaram de confirmar.

    Aviso por aqui o local e horário, caso me liguem.

    abraços

    marcelo sgarbossa
    8452-2866

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s