Mais Pedras no meio do Caminho

Ontem pela manhã cedo passei por ali, fiquei indignado com aquela brita toda, pois só descendo da bici para passar, na ida até não é tão problemático, pois é possível ir pela rua, mas a volta é inviável.

Hoje o José Martinez enviou essa foto, com o texto abaixo:

O Exmo. Senhor Prefeito de Porto Alegre, a SMOV, a EPTC, o DMAE e o Corpo de Secretários desta Prefeitura, assim como o Projeto Integrado Sócio Ambiental mais conhecido como PISA e sua executora a empresa SAENGE, nos brindam, a nos ciclistas da zona sul de Porto Alegre com este lindo presente de Natal, para lembrarmos com carinho deles e de toda a família deles.

Se trata na mais e nada menos, que de uma CAIXA DE BRITA construída com muito carinho, especialmente para diminuir a nossa velocidade e a dos pedestres, na frente ao Museu Iberé Camargo.

Ficamos todos muito agradecidos por não podermos circular neste local, com as nossas bicicletas e por não terem usado um compactador desta brita, que teria resultado numa facilidade extrema para nos ciclista, coisa que nos detestamos.

À Prefeitura de Porto Alegre na pessoa do seu representante maior um Feliz Natal e um grande abraço ao Senhor Engenheiro responsável por esta obra, da Saenge Engenharia de Saneamento e Edificações Ltda. Nos ciclistas da Zona Sul iremos levantar um brinde a sua saúde neste Natal.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

19 respostas para Mais Pedras no meio do Caminho

  1. Que belo presente de Natal nos oferecem as autoridades da nossa querida Porto Alegre. Como eles pensam nos usuários dos locais onde intervem a Prefeitura. Que beleza. Acorda Fortunati.

  2. Olavo Ludwig disse:

    Temos que agradecer para o Eng. Luiz Mayer também, da empresa SAENGE.

  3. Fernando Filho disse:

    O Prefeito insiste em fechar os olhos para as mazelas da locomoção ciclística. Um total retrocesso. Absurdo. Se ele não quer ver, terá que escutar de alguma forma.
    Ainda na linha sugerida anteriormente de que ignorância se combate com informação, segue link de um texto do Ismael Caneppele que cita o provérbio chinês: “A ignorância é vizinha da maldade”.
    Bom para refletir sobre a “generosidade” do trânsito porto-alegrense.
    http://ismaelcaneppele.wordpress.com/2011/11/16/diario-de-berlim-03-a-ignorancia-e-vizinha-da-maldade/

  4. Marcus Brito disse:

    O Vanderlei Capellari precisa sair do comando da EPTC e já. Pode não ser dele a culpa por todos os desagravos que passamos nos últimos anos, mas ele é responsável por omissão. A EPTC é o órgão público que deveria estar zelando pela boa mobilidade da população em todos os modais, mas ao invés disso vem constantemente desrespeitando pedestres e ciclistas.

    Se a EPTC tivesse um diretor presidente mais responsável e ciente das suas atribuições, situações como a mostrada acima não aconteceriam. Precisamos exigir do prefeito Fortunati a imediata demissão de Vanderlei Capellari, e sua substituição por alguém mais competente para exercer uma função tão importante.

    • Marcelo disse:

      O cargo deveria pertencer a um urbanista capacitado e com conhecimento técnico e não a alguém com mera vocação política.

      • Marcus Brito disse:

        Não é tão simples assim. O cargo de diretor-presidente da EPTC é um cargo efetivamente político, e precisa ser ocupado por alguém com tino para a coisa. Um competente urbanista sem força política também não nos faria bem nessa posição.

        O que precisamos é de alguém com a força política, mas também com a visão e engajamento para empregar um urbanista capacitado, este sim capaz de planejar e executar ações que melhorem a mobilidade da nossa cidadae.

  5. Diego Alves disse:

    Eu achei que nada poderia ser pior que o Luiz Afonso Senna. 😦

    • Diego Alves disse:

      Tenho um recorte de jornal de junho de 2008 com a seguinte frase: “- Há a decisão de começarmos neste ano as obras das três ciclovias. É nosso objetivo em 2008.” palavras de Fogaça. Luiz Afonso Senna disse: “- Em 2008, queremos fazer os 18 quilômetros, cujos projetos de engenharia estão pronto.”

  6. Como sou um ciclista, que usa o trajeto compreendido entre a Avenida Pereira Passos e Avenida Ipiranga, quatro vezes ao dia nas minhas idas e retornos ao trabalho na Azenha, sei de cadeirinha todo o que foi destruído para executar o Projeto Integrado Sócio Ambiental que para não ficar redundante em diante chamarei pela sigla, que tanto eles gostam, PISA. Neste percurso e na área compreendida entre a porta do Clube Guaíba e a Avda. Ipiranga. Conheço cada árvore que foi derrubada, por exemplo a Palmeira que foi derrubada na frente ao Museu Iberê Camargo(que oportunamente denunciei à SMAM) e que até hoje não foi recolocada, os maricás que pululavam detrás do Beira Rio e que foram transformados em lenha, assim como a pista meia boca que foi totalmente destruída no percurso do parque Gigante até chegar quase no Iberê Camargo até os bancos de observação do rio que recém hoje a duras penas foram recolocados.
    Nada foi reconstruído até hoje.
    A ciclo-morte-via da Diário de Notícias destruída em grande parte da sua extensão, assim como a faixa de rodagem de carros que foi destruída na frente da sede do PISA ao lado do Shopping Barra e que relutam em arrumar e continuarão relutando até que alguém impetre uma ação judicial, para que isto acabe.
    Destruíram a calçada de saibro pobre, mas parelha que os construtores do museu Iberé Camargo tinham deixado para nos pobres pedestres e ciclistas (única coisa que fizeram para quem chega a pê ou de bici no museu) , para colocar os canos de esgoto.
    Tentaram fazer um deck de observação, que teve que ser parado pela decidida atuação do empresário Jorge Gerdau Johanpeter, em pessoa, porque viraria um novo muro da Mauá e atrapalharia a vista dos freqüentadores do Press Café, do por do sol.
    Para concluir eles deixaram um lodaçal imenso e para tampar este lodaçal e sem emparelhar nada, colocaram vários caminhões de brita sob a calçada, sem compactação nenhuma, transformando a calçada, pela qual circulam centenas de ciclista por dia, em uma verdadeira caixa de brita, como mostra a foto acima.
    Hoje eu cumprimento o Prefeito Fortunati, que não transmitiu ainda aos seus subalternos, que ele “gosta de bicicleta”; vai ver que está muito preocupado com o Projeto “amigo bicho”, a altura dos prédios de Porto Alegre perto do Aeroporto(que ja tem uma briga boa com o COMAR), as construções da Cirela e da Saenge em Porto Alegre, etc. e não teve tempo para nos, que so usamos a bicicleta como modal de transporte e representamos so 16% da população economicamente ativa do país.
    As autoridades responsáveis neste caso são: SMOV responsável pelos passeios da cidade, EPTC responsável pela circulação e trânsito da cidade, DMAE responsável pelo PISA, o Secretário de Articulação responsável pela articulação entre as Secretarias, todos os vereadores da cidade, que vem isto acontecer sob as suas barbas e por fim o Senhor Prefeito da Cidade de Porto Alegre.
    Por favor, acorda Prefeitura !!!
    roubando o bordão do nosso caro Helton

  7. Pedro disse:

    Vocês reclama demais, querem que a ciclovia fique pronta de um dia para o outro?

    • Olavo Ludwig disse:

      Não Pedro, de um dia para o outro não, acontece que faz anos que as coisas não andam. Existe plano cicloviário para Porto Alegre desde a década de 80, existe uma lei aprovada em 2009 que é o Plano Diretor Cicloviário que é desrespeitada vergonhosamente. Este é o motivo das constantes reclamações.

      • Pedro disse:

        Sim eu sei que tem desde a década de 80, mas é só olhar bem para a foto ou passar pelo local para ver que a coisa tá indo pra frente. Eu sei, o processo é lento mas tá na cara que está indo pra frente, logo essa caixa de brita vai virar um asfalto para nós. É só esperar, eu fico tão triste em ouvir ou ler reclamações da nossa cidade em relação a bicicleta, tem cidades no estado que para andar de bicicleta só se for na calçada. Pois dos dois lado são estacionamentos para carros e no meio uma pista unica para os carros trafegar.

    • Aldo M. disse:

      Tu quiseste dizer de um ano para outro, não, Pedro? Mesmo que fosse, as parcas ciclovias que foram feitas estão sendo destruídas ou desativadas nesta administração do Fogaça e Fortunati (coligação PMDB-PDT), aí sim, de um dia para o outro.

  8. Aldo M. disse:

    Sem falar no próprio Plano Diretor de Porto Alegre, que prioriza a mobilidade em transporte coletivo, a pé e de bicicleta. Se a Prefeitura impede ou dificulta o deslocamento do pedestre e do ciclista, ao mesmo tempo que provê condições plenas de circulação para automóveis, não está cumprindo a lei e portanto seu papel. E eu não quero continuar pagando os salários desses péssimos servidores públicos por nem mais um dia.

  9. Pedro disse:

    Vocês reclamam demais do que já temos aqui. Eu pedalo tranquilamente em Porto Alegre e nunca levo um buzinaço, quem elva buzinaço é que pedala do lado esquerdo e a 5km/h.

  10. Pedro disse:

    Moro na Zona Sul e trabalho perto do Aeroporto. Isso não é pedalar nos finais de semana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s