Mais um dia descalço por aí…

Vivemos um caos cultural e por consequência também urbanístico. Todos poderíamos nos transportar alegremente, conhecer pessoas nos caminhos da vida. Quando pedalamos já percebemos muito dos arredores,  conhecemos muitas pessoas, interagimos de forma amável com o mundo e os seres.

Agora, caminhar, ah, nada se compara a caminhar descalço. Percebemos miles de coisas a mais. Podemos reparar no menor inseto, observar por alguns instantes uma trilha de formigas as quais com um simples passo evitamos de perturbar a paz destes pedestres.

Notamos casas construídas e mantidas com muito bom gosto assim como as diferentes árvores que estejam florindo. Sábado foi um dia de muitos quilômetros. A maioria a pé e a minoria tocando ficha na minha nave, deixando vários soltadores de fumaças lá para trás como de costume. Pela manhã fui a pé de casa até a Feira Orgânica da Redenção onde uma planta enorme de babosa esperava por mim, depois segui até o restaurante de um grande amigo e de lá até a casa de outro amigo para plantar a Aloe Vera, depois até a minha casa, tudo a pé.

No meio do caminho precisei cruzar uma faixa de “estamos acima das leis e da constituição”:

O momento de cruzar uma avenida deveria ser tranquilo ao invés de extremamente emocionante no pior dos sentidos.

Se as leis e a constituição fossem levadas a sério teríamos o limite máximo de velocidade na cidade em 40km/h e estrutura como lombadas para garantir a segurança e dignidade de quem opta por sair de casa a pé. Até hoje nada de concreto foi feito no sentido de garantir a segurança dos pedestres que por lei deveriam ter a preferência.

Depois toquei ficha, tipo Tóóóóca Fííícha, com a minha nave até o Centro Cenotécnico para assistir a um espetáculo de circo. Mantive entre 40 e 45km/h na Protásio e Osvaldo e no túnel mantive 50km/h para entretenimento de diversos motoristas que volta e meia me acompanham durante alguns trechos para entender melhor o Objeto Voador Não Indentificado tocando ficha rio acima e abaixo.

Mais sobre a caminhada e a pedalada:
http://receitasparasalvaromundo.wordpress.com/

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

9 respostas para Mais um dia descalço por aí…

  1. Klaus, essa última foto é emblemática.

    • Aldo M. disse:

      Vão torrar mais de 400 mil para destruir o calçadão feito nas administrações do PT. E ainda tem a cara-de-pau de dizer que vai qualificar o espaço para os pedestres. Tem que embargar esta obra!

  2. Aldo M. disse:

    Por que 40 km/h? Há alguma referência nas leis e na Constituição que cite ou permita concluir isto? Eu também defendo que o limite seja este.

  3. Klaus disse:

    Olá Aldo, 🙂

    Não ha referência quanto a números mas 60 km/h é irracional visto que se os carros se deslocassem a no máximo 40km/h o tempo de deslocamento seria o mesmo por causa das sinaleiras ou menor visto que teríamos menos acidentes os quais prejudicam o trânsito e principalmente ferem e tiram a vida de cidadãos, 🙂

    Se a racionalidade compassiva fosse parte essencial do ser humano o planejamento urbano seria bem diferente mas hoje nem as leis mais básicas são cumpridas pela prefeitura.

  4. Klaus disse:

    Como garantir a dignidade e o bom viver dos cidadãos em cidades planejadas para quem mantém a indústria automobilística?

    A dignidade dos cidadãos é um direito constitucional básico logo tudo que for um atentado à nossa dignidade como altos limites de velocidade máxima inclusive sobre faixas de “segurança” é uma afronta à constituição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s