Proposta de Ação (JOSE ANTONIO REIMUNDE MARTINEZ)

A pedido do Jose Antonio Reimunde Martinez, eu publico aqui um e-mail enviado por ele ao Sr. Vanderlei Cappellari. Ele gostaria de saber da opinião de todos a respeito da proposta:

“Bom dia Senhor Secretário, tenho acompanhado nas viagens que tenho feito os avanços que tem acontecido na utilização da bicicleta nas cidades européias, verificando que o plano estratégico que foi utilizado sempre foi diferente, por motivos culturais e técnicos.

Constatei que a sua aceitação da bicicleta, como modal de transporte, tem aumentado sensivelmente nos últimos anos. Já lê cumprimentei por isto na recente assinatura dos convênios de construção da ciclovia da Avenida Ipiranga.

Hoje venho solicitar a sua opinião ou de quem o senhor considerar autorizado, para isto, referente à seguinte proposta.

Na cidade de Montevidéu, os ciclistas em acordo com a Intendência Municipal, tem pintado bicicletas em vários locais de uso comum de automóveis e bicicletas para demarcar a área como de utilização comum. Em Barcelona esta prática tem sido executada pelo próprio “Ayuntamento” da cidade, como forma de recordar os carros que a bicicleta também têm o direito de circular nas ruas da cidade de forma compartilhada com os restantes veículos. Quando procurei saber mais a este respeito me foi dito que como a bicicleta e o elo fraco da corrente de trânsito, ela tem que ser ressaltada para marcar a sua presença.

Eu concordo com o senhor que as bicicletas têm que circular onde existem possibilidades, ao melhor exemplo Holandês, usando ruas e calçadas onde as ruas são inadequadas ou inseguras para esta finalidade.

Inclusive assim venho eu faz muitos anos, desde a Vila Assunção ao Menino Deus usando ciclovias ou  ruas onde me sinto seguro ou calçadas onde a insegurança e o perigo assim o requerem. Nestes anos todos, nunca tive um problema com um pedestre e nunca vi alguém reclamar desta minha forma de circular, até porque como mandam as normas  e os bons costumes, circulo em velocidade moderada quando o faço pelas calçadas, até diria que circulo quase que ao ritmo de um pedestre caminhar.

Tem lugares extremamente perigosos, porque os motoristas não aceitam de jeito nenhum que o ciclista circule pela rua e as calçadas estão totalmente deterioradas ou são estreitas de mais não permitindo a circulação conjunta de pedestres e ciclistas. Este caso é o da Avenida Wenceslau Escobar pela qual transito a diário e todos os dias tenho algum evento de praticamente quase acidente.

Tirando o exemplo do que foi feito noutros países e aconselhado até por familiares e amigos, tivemos a idéia de começar a pintar nas ruas, bicicletas na faixa de bordo direito da rua ou avenida para avisar que este modal de transporte compartilha desta rua ou faixa de trânsito, seguindo o exemplo das borboletas que são pintadas pela Fundação Thiago Gonzaga, como parte de uma campanha que adverte sobre o perigo do trânsito.  O propósito e exatamente o mesmo o de evitar mortes no trânsito.

Sei que os técnicos argumentarão que não existe este sinal de trânsito, como já me foi argumentado sô que também não existem borboletas e elas sustentadas por uma excelente campanha de trânsito tem resultado num excelente sinal, muito respeitado por todos, evitando novos acidentes fatais.

Se a EPTC ou a Secretaria concordarem pelo menos com o conteúdo da idéia gostaria de procurar técnicos, juntar cidadãos de todos os setores e constituir um grupo de trabalho (ou até uma Fundação) , para encontrar os recursos e os meios de levar adiante a mesma.

Fico no aguardo de uma resposta e esta minha proposta.

Atenciosamente

JOSE ANTONIO REIMUNDE MARTINEZ”

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , . Guardar link permanente.

18 respostas para Proposta de Ação (JOSE ANTONIO REIMUNDE MARTINEZ)

  1. Da pra corrigir o “Já lê cumprimentei”? 🙂

  2. Obrigado matheusdutramoura, controlarei melhor meu corretor automático que tantas vezes me trai. Realmente o que estou querendo, para todos se manifestarem, e criar alguma “coisa” com uma estrutura legal que nos permita agir de forma estruturada e nos conceda legitimidade, vejo no grupo pensadores e técnicos que realmente assombram pelos seus conhecimentos, que se a sua produção intelectual fosse canalizada dentro de um guarda-chuva comum ou estrutura, do tipo fundação, instituto, etc. poderiam ajudar a cidade a evoluir muitos decênios em pouco tempo.
    Participei desde um começo numa estrutura que foi criada em Porto Alegre deste tipo que tinha uma intenção científica e tem sido um sucesso porque canalizou os esforços e com uma estrutura simples transformou uma realidade totalmente adversa em um empreendimento de sucesso.
    Caso estiverem interessados depois posso colocar esta experiência e posso chamar pessoas de importância na nossa sociedade para demonstrar como foi este processo.
    Faz anos atrás Porto Alegre tinha uma estrutura que planejava a cidade no aspecto trânsito que foi desmontada nem sei por que, ela era a Metroplan que muitos resultados positivos garantiu a nossa cidade pelos seus estudos e pesquisas com rigor científico.
    Esta organização que proponho criar é uma estrutura que poderá cobrar atitudes e poderá encabeçar ações com amparo legal, na área educacional ou técnica e científica, nunca amparada ou alinhada com partido político algum e sempre agindo técnica e politicamente para obter os resultados que todos nos desejamos: a aceitação e a implementação da bicicleta como modal de transporte na cidade de Porto Alegre, dentro dos limites normais de segurança evitando riscos desnecessários aos seus usuários.
    Por favor se manifestem para saber a opinião dos integrantes do grupo. Saúde Jose Antonio Reimunde Martinez

    • Aldo disse:

      Acho que o fim da Metroplan levou ao caos no trânsito que temos hoje. Por outro lado, isto trouxe um ganho secundário: precipitou um amplo interesse na bicicleta como alternativa eficiente de transporte urbano.

      A sinalização proposta já é prevista no CTB, na minha opinião. Em São Paulo ela é utilizada pela Prefeitura de lá para marcar ciclo-rotas. Então, não vejo razão para a Prefeitura de Porto Alegre se opor à tua excelente proposta.

  3. sara disse:

    achei o máximo José!

  4. Rodrigo de Leão Antunes disse:

    Muito boa a iniciativa.
    Lembrando que o sinal das mãozinhas pintadas perto das faixas de segurança também não são um sinal de transito previsto em nosso código.
    Estou aqui para apoiar com o que for preciso.
    Abraço a todos.

  5. Fernando Filho disse:

    Apoiado. Nas ciclovias da zona Sul do Rio tem pintado no chão desenhos de bicis e pedestres com indicação de compartilhamento. O mesmo poderia ser feito aqui como bem sugeriu o José, com desenhos de carro e bici. Acredito que até placas devam ser feitas, e bem grandes, com custeio exclusivo pela EPTC, conforme o art. 72 do CTB.

    Aliás, alguém já tinha visto esta cartilha? http://www.ta.org.br/site/Banco/4leis/CTB_Bolso.pdf

    Parece bem interessante para distribuição nas MCs.

  6. Pablo. disse:

    Nas primeiras reuniões que tivemos com a EPTC, os ciclistas já tinham até se oferecido para participar da pintura da ciclofaixa da Loureiro.
    Ao contrário do que eu acreditava, o Capellari disse que isto até poderia ocorrer.
    Diante desta manifestação anterior, até vislumbro a possibilidade de uma “permissão” para esta pintura, mas provavelmente teremos de obedecer alguns locais determinados pela EPTC.
    Em São Paulo, já tivemos o caso da prisão e pagamento de multa por parte de alguns ciclistas que pintaram uma ciclofaixa que “não existia”.

  7. Melissa disse:

    A idéia é pintar (autorizados pela EPTC) bicicletas pelas ruas em que existe um determinado tráfego de ciclistas? Tô dentro!

  8. Cadu Carvalho disse:

    Apoio total!

  9. Obrigado a todos, pelas manifestações; acredito que desta forma tenhamos algum resultado palpável a curto tempo.
    Melissa, boa pergunta e respondo sim, uma primeira atividade seria procurar recursos para pintura de bicicletas, no maior número possível de Avenidas e Ruas de alto risco para o ciclista e nas quais não existem ciclovias, ciclofaixas ou até ciclocoisas; falo de recursos em todos os sentidos.
    1. Recursos humanos, certamente teremos uma parte, mas devemos pensar que não se trata só de pintar uma bicicleta e sim muitaaaas bicicletas, em muitas ruas perigosas da cidade, desta forma certamente não teremos recursos humanos suficientes para toda a empreitada.
    2. Tinta especial que não seja facilmente removível com algum tipo de estrutura epóxi ou até resina, que permita não unicamente criar uma camada, mas sim um sobre-relevo.
    3. Mascaras vazadas da figura da bicicleta em número suficiente para a criação de várias equipes de trabalho.
    A ação que proponho e por isto o motivo de uma Fundação, Instituto ou quiçá até dentro de uma Instituição livre, já criada e que não responda a nenhuma área política, será uma ação educacional e por tanto não terá um prazo único para começo e finalização.
    Terá sim, um único objetivo o de participar de forma decisiva, na transformação da realidade adversa atual, da utilização da bicicleta como modal de transporte.
    Ainda criar uma estrutura sólida e profissional que participe de treinamentos em empresas, colégios, faculdades e na divulgação deste modal.
    Isto não é de graça por isso terá que ter uma estrutura profissional que garanta os recursos para as atividades.Saúde. José Antonio Reimunde Martinez

  10. Gente, boa tarde, continuo aguardando a resposta do caro Sr. Presidente da EPTC Dom Cappellari, será que ele está consultando a sua equipe? eu acho que sim, vamos ver oque vai dar. Saúde José Antonio Reimunde Martinez

  11. Pingback: Audiência Pública na AL – Relato do Martinez | Vá de Bici

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s