“Motorista deve trocar de faixa para ultrapassar o ciclista”, diz EPTC.

Recebi hoje e-mail do Vanderlei Cappellari, anunciando a instalação de placas de advertência à presença de ciclistas na Ipiranga, na qual a equipe técnica da EPTC afirma que os veículos automotores devem trocar de faixa ao ultrapassar um ciclista. Abaixo o trecho do texto:

“EPTC colocou 21 novas placas de sinalização de advertência A-30a, que indicam a presença de ciclistas na via, na Avenida Ipiranga. A sinalização foi solicitada pelos cicloativistas em reunião com representantes do governo municipal e visam dar maior visibilidade ao ciclista, lembrando aos motoristas que sua presença na via junto ao tráfego de veículos é regulamentada pelo CTB.

De acordo com o artigo do CTB o ciclista deve andar à direita do fluxo de veículos e sempre no mesmo sentido, e o artigo 201 define em 1,50 m a distância que o motorista deve manter ao ultrapassar um ciclista. Na prática, como na maioria das vias as faixas de tráfego tem pouco mais de 3 metros, isso significa que o motorista deve trocar de faixa para ultrapassar o ciclista.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , . Guardar link permanente.

25 respostas para “Motorista deve trocar de faixa para ultrapassar o ciclista”, diz EPTC.

  1. Matheus disse:

    As placas deveriam informar um “<—- 1,5m" abaixo do desenho da bike….

    • Marcelo disse:

      Segundo a EPTC eles não podem fazer placas assim pois ela não existe segundo o CTB.

      • Felipe Koch disse:

        Existem alguns tipos de placas que são de orientação e não de “mando”.
        Placas indicativas, com cores diferentes (azul ou verde), enfim, creio que seja possível criar uma placa legalmente possível se houver vontade.

    • Felipe Koch disse:

      Segundo o CTB: “As Placas Educativas tem a função de educar aos usuários da via quanto ao seu comportamento adequado e seguro no trânsito. Podem conter mensagens que reforcem normas gerais de circulação.”
      São as placas brancas com inscrição em preto.
      Não entendi se tem de ser obrigatoriamente de modelos pré-aprovados pelo CONTRAM.
      Mas segundo o próprio Busatto e Capellari: “Lei tem várias”.
      Deve ter uma que permita colocar a placa de distância mínima.

      • Aldo disse:

        Perfeito, Felipe! Não há desculpa para não por uma placa tipo: “Mantenha distância mínima de 1,5m do ciclista ao ultrapassar”.

        Vi em Gramado uma placa de trânsito inédita: um skatista cortado por uma faixa vermelha. Não há quem não entenda que ali é proibido andar de skate (sem entrar no mérito da placa).

        Então, não aceito essa tese de que não se pode fazer uma placa inteligível e útil só porque não está no “livrinho”. Ainda mais que a placa de 1,5m é apenas para reforçar uma regra de trânsito e não para permitir ou proibir. Acho que é mais uma enrolação para não ter que pensar nem fazer.

    • Felipe Koch disse:

      Se nem no contato direto com o ciclista, ou seja, na própria via, o motorista for orientado (por uma mera placa) podemos esperar deitados por “campanhas educativas”.

  2. aislan' disse:

    Legal, jah eh alguma coisa, valeu

  3. Melissa disse:

    Que bom, já começou algum resultado do que temos solicitado! Até onde eu lembre, o compromisso é botar essas placas na Ipiranga, na Sertório e umas duas em um trecho crítico de outra avenida (Beira Rio?). Quando as ciclovias da Ipiranga e Sertório estiverem concluídas, essas placas serão removidas para outras avenidas.

  4. Aldo disse:

    Parabéns à EPTC pela instalação das placas e principalmente por externar seu entendimento de que o motorista deve trocar de faixa ao ultrapassar o ciclista.

    Esta é uma questão fundamental e é muito importante que ela fique bem clara para os fiscais de trânsito. Ainda há muitos mal-entendidos com relação a isso entre os motoristas e também entre os ciclistas.

    Agora já é possível afirmar, com menos possibilidades de contestação, que o ciclista tem o direito de ocupar toda a pista quando esta tiver pouco mais de três metros de largura.

    É incrivel a quantidade de pessoas que julga que o ciclista é obrigado a transitar o mais próximo possível do meio-fio por conta da expressão “junto ao bordo da pista” existente no CTB.

    Na legislação de trânsito americana, está explicita a obrigatoriedade do motorista trocar de faixa ao ultrapassar o ciclista quando esta for menor que 14 pés (ou 12 pés, não estou bem certo) e existem inclusive placas que enfatizam isto com a frase: “BICYCLES MAY TAKE FULL LANE”

  5. Júlio disse:

    Pessoal, só me tirem uma dúvida: será utilizada uma das quatro faixas da Ipiranga para se construir a ciclovia? Ou a ciclovia será naquele espaço ao lado do Arroio Dilúvio, entre o arroio e a avenida? E haverá uma barreira física (tachões, por exemplo) separando os carros dos ciclistas?

  6. lorabr disse:

    A pergunta é conseguirá o motorista na velocidade que anda na Ipiranga ler alguma placa?
    Bem algo pelo mennos está acontecendo!

    • Parabéns para EPTC, parabéns ao Secretário Capelari que mandou colocar estas placas, não interessa qual seja o motivo assim o fez e está muito certo. Nos existimos e vamos surgindo aos poucos aos olhos de toda a sociedade, não tão somente aos olhos dos motoristas. Hoje foi publicada esta notícia, na mídia impressa e foi noticiada por rádio e televisão. Isto é muito, mas muito importante. Deixou claro que existem conversas entre ciclistas e a EPTC, que houve uma solicitação e que ela foi atendida.
      Ainda falta uma etapa como a Melissa, falou que é a colocação de placas num trecho que já aconteceu a morte de ciclistas (já foi solicitado ao Eng. Régulo, por mi nas nossas reuniões com ele) que é no trajeto da faixa de rodagem à frente do Museu Iberé Camargo, inclusive com mais presença na curva a seguir até a entrada da Avenida Diário de Notícias.
      A Diário de Notícias recebeu várias destas placas também nos últimos dias, parabéns a EPTC.
      Vejo que existem muitas opiniões em contrário ao que fazer, como fazer, qual placa instalar mas como conheço o serviço público, posso afirmar que o Prefeito de Gramado (conhecendo a figura) sempre achou que a cidade é propriedade dele e faz o que quer, então não respeitou o CBT ao criar uma placa que não existe, só que a EPTC é a AUTORIDADE DE TRÁNSITO na cidade e TEM que respeitar obrigatoriamente e se sujeitar à legislação de trânsito, neste caso o CBT; se a placa não existe, não pode inventar.
      Isto que nos cobramos da EPTC, que cumpra a Lei inclusive o código cicloviário da cidade, não foi assim na última reunião?
      As placas complementares só fazem confundir mais o motorista, na minha opinião, ninguém liga para elas, é muita informação e confusa. Ainda a Avenida Ipiranga é cheia de placas de informação, que só atrapalham mais a atenção e corremos o perigo que enquanto o motorista lê uma placa, nos atropele porque não nos viu na frente.
      Resumo: OBRIGADO EPTC

      • Felipe Koch disse:

        José, realmente deve-se ver o lado bom da coisa.
        Medidas de “acalmamento de tráfico” são mais efetivas que excesso de informação, de fato.
        Obrigado a vc também por expressar opiniões moderadas e bem pensadas, que as vezes não conseguimos pela ansiedade de ver as coisas funcinando.
        Abraço.

      • Felipe Koch disse:

        Quis dizer tráfego. “Acalmamento de tráfico” é outra discussão. 🙂

      • Felipe Koch disse:

        E a informação saiu na Zero Hora, muito boa visibilidade.

  7. Klaus disse:

    Valeu mesmo!!

    Eu entendo um pouco sobre grau de refletividade e o adesivo usado para fazer essas placas é de grau Prismático, um abaixo do maior grau de refletividade, grau Diamante, que tem no mercado, muito bom mesmo!!!
    Aí acende feito tivesse luz própria quando bate a luz de um farol, 😀

    Vou sugerir usar o mesmo grau de refletividade para as placas que indicam a presença de uma faixa de boa sorte.

  8. Júlio Fiori disse:

    Alguém sabe mais detalhes sobre a ciclovia que será construída na Ipiranga? Ela vai ocupar uma faixa da avenida ou será feita no trecho entre o arroio e a pista da esquerda?

  9. Meu comentário não tem relação direta o assunto da placas. Apenas gostaria de divulgar que hoje. Mais um ciclista foi morto por ônibus em São Paulo. E considero eles um grande perigo para nós ciclista principalmente as lotações que não respeitam nosso espaço. Então fica o alerta.

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/ciclista-morre-apos-ser-atropelado-por-onibus-em-sp

  10. Yuriê disse:

    Galera da bicicletada de POA, sou de Brasília e estou de passagem aqui em Porto Alegre, queria conhecer a galera da massa. Quando haverá uma atividade? devo ficar por aqui até o dia 15 de agosto. entrem em contato comigo yuriebc.bike arroba gmail.com
    valeu!

  11. Felipe Koch disse:

    Matéria do site da revista Trip sobre a ciclovia da Ipiranga: http://revistatrip.uol.com.br/so-no-site/notas/porto-alegre-vai-de-bike.html#comments

  12. Gustavo Melo disse:

    Mas isso é óbvio, qualquer pessoa que fez auto-escola sabe disso… aliás, qualquer coisa só pode ser ultrapassada pela esquerda, trocando de faixa sempre. Não ví novidade nenhuma…

  13. Fiona Roy disse:

    Olá gente,
    Adoro Vá de Bici, parabéns pessoal! Mas, desculpe que este resposta é totalmente fora do tópico, eu nem achei uma maneira neste blog para mandar um link para os organizadores. Gostaria de partilhar um video que eu encontrei que talvez seja interessante para pessoas aqui. Gostei muito as ciclovias que eles mostram. Também gostei as respostas, especialmente a do usuário: “Amsterdamized” ele adiciona bastante perícia. Se não entendem o inglês ali, posso traduzi-lo para gente. E a próxima vez, alguem sabe onde posso enviar linkinhos desses para Vá de Bici se não for uma irrelevante resposta de um artigo? firoyj@gmail.com

  14. alexandre vargas disse:

    ao inves de criar placas, porque não criam ciclovias, que seriam bem mais utreis e segura para todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s