O Plano Diretor Cicloviário de Porto Alegre é carrocêntrico?

Dando uma olhada no resumo executivo do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) de Porto Alegre, encontrei a seguinte imagem:
Em azul e verde estão ciclovias sobre as calçadas e em laranja as ciclovias na rua.

Tirem suas próprias conclusões.

About these ads
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

16 respostas para O Plano Diretor Cicloviário de Porto Alegre é carrocêntrico?

  1. airesbecker disse:

    Este é um diagrama do projeto do PDCI, não vale como parte da Lei.
    A rede cicloviária pode ser feita de maneira totalmente diferente desta previsão.

    Ou seja hoje isto não faz mais parte do PDCI.
    Foi simplesmente uma proposta.

    • Olavo Ludwig disse:

      UFA! Mas com certeza a ideia “deles” é fazer o máximo em cima de calçadas.

      • Aldo M. disse:

        Eu percebi essa forte tendência da fazer ciclofaixas nas calçadas desde a primeira vez que tomei conhecimento do PDCI. Deu-me a impressão que foi pensado para ser implantado em ruas e avenidas que um dia serão construídas ou alargadas – aliás o Plano prevê isso mesmo. Não há sugestões para se iniciar com projetos mais simples, com ciclofaixas, que certamente atrairiam muitos ciclistas, para mais tarde fazer investimentos maiores, a exemplo de muitas metrópoles.
        Outra leitura é que esse PDCI foi baseado em estudos do século passado. Ele já estava desatualizado quando foi elaborado. Hoje se sabe, por exemplo, que as ciclovias devem ser preferencialmente unidirecionais, assim como devem ser suficientemente largas para permitir as ultrapassagens, o que significa pelo menos 2 metros, com bem demonstram os vídeos selecionados pelo Aires.

    • Marcelo disse:

      Pode até ser, Aires, mas até agora me parece que eles estão seguindo esse diagrama. A ciclovia da Ipiranga, está como no diagrama, por exemplo.

  2. Fernando Filho disse:

    Entendo que não é carrocêntrico. Pelo contrário. Estas definições dizem respeito ao que estão previstas nas páginas 107 a 113 do Relatório. Não é SOBRE as calçadas. É JUNTO a calçada. A segurança e ambiência deste modelo é muito melhor que JUNTO a rua.

    • Marcelo disse:

      Acho que não, Fernando. Senão o que está em laranja com a legenda “rua” é onde? No meio da rua? Não, esse sim deve ser junto à calçada.

      • Fernando Filho disse:

        Olá Marcelo. Esse mapa diz respeito as ciclovias exclusivamente e estão definidas como:
        Página 110:
        CV1a Unidirecional – Calçada
        Figuras 3-1 e 3-2 – Ciclovia unidirecional junto a calçada
        CV1b Unidirecional – Rua.
        Figuras 3-3 e 3-4 – Ciclovia unidirecional junto a rua
        Páginas 112 e 113
        CV2a Bidirecional – Calçada.
        Figuras 3-7 e 3-8 – Ciclovia Bidirecional – Junto a Calçada
        CV2b Bidirecional – Rua.
        Figuras 3-9 e 3-10 – Ciclovia Bidirecional – Junto a rua
        Repare nas diferenças entre a sinalização e a divisão entre a via de circulação de motorizados, a ciclovia e a calçada.
        Abraço.

  3. Taísa disse:

    Tá tudo meio dúbio aí. Ciclovia na calçada, como diria o ditado, é despir um santo pra vestir outro. Tirar o lugar dos pedestres é a única coisa que não se poderia fazer em hipótese alguma! Mas depois que ouvi de um administrador aí que a intenção não é tirar o lugar dos carros e ‘fazer caber’ as bicicletas, já estou menos esperançosa de que isso vai sair como deveria. Ah! A ‘ciclovia’ da ipiranga, já virou passeio: gente com cachorro, caminhando, carrinho de bebê… fazendo de tudo. Será que somos tão mal-educados assim que não entendemos o significado de ciclovia? Corremos o risco desta ciclovia se tornar uma filial da ‘ciclovia’ do gasômetro onde é seguro fazer tudo menos andar de bicicleta de taanta gente que tem ali?

    • Marcelo disse:

      Ciclovia do Gasômetro? Ali não tem ciclovia. As únicas ciclovias/ciclofaixas de Porto Alegre são a da Restinga, a de Ipanema, a da Diário de Notícias.

    • Aldo M. disse:

      Na prática, a “ciclovia” da Av. Ipiranga é uma calçada para uso compartilhado com ciclistas, isso SE a Prefeitura autorizar o trânsito de bicicletas. A circulação de pedestres, porém, não precisa de qualquer autorização, pois têm prioridade sobre todos os outros modais. É o que faz dessa ciclo-qualquercoisa um perfeito presente de grego.

  4. Quintino disse:

    Em Berlim, 90% das ciclovias são compartilhadas com calçada. Que revoltinha ridícula essa de vocês.

    • Marcelo disse:

      Só porque em Berlim é assim, quer dizer que é bom?

      • airesbecker disse:

        É bom para os carros e ruim para os pedestres, óbvio assim, preservar o espaço da rua a tirar da calçada.
        Agora tem também uma questão de nível, pois se a calçada for larga e a rua for estreita a ciclovia pode sim ser no nível da calçada sem problema.
        Mas em geral não é esta a questão.
        Mas Berlin não quer dizer muita coisa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s