Três ciclistas morrem atropelados hoje – chamado pra Bicicletada Nacional

Fonte: Correio Braziliense

Dois ciclistas morreram atropelados por ônibus nesta sexta-feira, 02 de março de 2012. Um em São Paulo, na Avenida Paulista, outro em Brasília. Há menos de um mês atrás, Gustavo Luiz da Rosa Silva, de seis anos, morreu em Porto Alegre, também atropelado por um ônibus. Não é coincidência o fato de os  três terem sido mortos por ônibus. Os motoristas de coletivos estão entre os que mais desrespeitam os ciclistas, possivelmente pelas pressões para cumprir horários e por estarem acostumados a impor respeito pelo tamanho de seu veículo.

Não podemos permitir que as coisas continuem assim.

Proponho que façamos uma grande bicicletada extraordinária nacional, simultânea,  em diversas cidades do país, para exigir o fim da chacina de pedestres e ciclistas que vem ocorrendo no nosso país.

Precisamos de punições eficientes para motoristas que matam e colocam pessoas em risco. Precisamos de planejamento urbano que preveja prioridade e segurança a pedestres e ciclistas, que devem seguir políticas de “traffic calming”, como estreitamento de ruas, curvas com ângulos mais fechados, etc. Precisamos de infraestrutura que preveja espaço e segurança para ciclistas que não quiserem andar junto aos carros. Precisamos de mais fiscalização de trânsito e multas mais severas, de preferência proporcional à renda da pessoa.

Sugiro que a bicicletada seja na segunda ou terça da semana que vem. Vamos conversando aqui nos comentários e nas redes sociais.

About these ads
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

25 respostas para Três ciclistas morrem atropelados hoje – chamado pra Bicicletada Nacional

  1. pedrolunaris disse:

    conseguimos criar um sistema que naturalizou a rua para os veículos motorizados. essa naturalização é forjada. quase ninguém que dirige o faz com consciência da energia cinética que carrega. quase ninguém que dirige está disponível a frear a qualquer instante. e, por causa dessa naturalização artificial, as consequências continuam sendo tratadas como infortúnios.

    infortúnio é ter um sistema assim. ele não é natural. ele foi criado.

    agora é hora de descriá-lo.

    • pedrolunaris disse:

      Pedalada extraordinária – que tal fazer dela mais uma passeata contra a Violência do Trânsito? Ou Em Favor de um Trânsito que Cuide das Pessoas???

      Para isso, tem que ter mais gente engajada nisso, além de ciclistas. Pessoas que usam carros pessoais, motos, transportes públicos, outros meios de locomoção. Essa não é uma disputa de um nicho específico. Não deveria ser. É uma disputa de todos nós, que nos preocupamos com a vida, e que deixamos de entender que um sistema que foi criado é natural.

      É hora do trânsito deixar de ser um sistema que favoreça coisas para favorecer todos nós. Chega de mortes. Chega de cidades que desconectam. Pela proximidade das pessoas, compartilhamento dos espaços públicos, pelos elos comunitários, entre todos, por nós e pelo próximo.

  2. Olavo Ludwig disse:

    Bicicletada Nacional já!

  3. Charles disse:

    Apoiado BICICLETADA NACIONAL pelo fim das mortes de CIclistas e PEdestres….

    - Abaixo a velocidade máxima dos veículos
    - Mais placas com limites de velocidade
    - Mais controladores de velocidades
    - Mais rigor na emissão das CNH (permissão para matar)
    - Mais rigor do MP aos atropeladores

    queremos segurança, queremos tranquilidade, queremos PAZ

    Por um transito maiws humano.

    quando vai ser?

  4. julianopappalardo disse:

    apoiado e vamos nos unir para fazer valer o amor e a colaboração, terça feira por mim td bem

  5. Charles disse:

    3° ciclista morto hoje na república brasileira, atingido covardemente por tráz, no acostamento e arremessado. http://www.orm.com.br/2009/noticias/default.asp?id_noticia=580271&id_modulo=197

  6. mude o título, já são 3!!!!!! LOUCURA! INSANIDADE! INDIFERENÇA!

    CARROS MATAM, E MATAM MUITO!!

  7. Fernanda Rachid Machado disse:

    Pessoal,
    já estamos articulando a bicicletada extra em Brasília. Fechou terça feira???
    Vocês viram, mais outra notícia sangrenta: http://www.orm.com.br/2009/noticias/default.asp?id_noticia=580271&id_modulo=197 ?????

    Abraços saudosos de POA!!!

    Fernanda Rachid

  8. Pingback: Ciclistas fazem protesto Die-in e são removidos pela PM | Vá de Bici

  9. lobodopampa disse:

    Correndo sério risco de ser apedrejado, devo por honestidade fazer este contraponto:

    na minha vivência diária, não são os motoristas de ônibus os que mais desrespeitam. Muito pelo contrário.

    Alguns ciclistas conseguem se relacionar bem com os motoristas de ônibus, compartilhando o espaço de maneira cooperativa e eficiente. Se alguns conseguem, é porque é possível.

    Apenas um contraponto à frase específica. Não conheço os detalhes dessas tragédias. De qualquer maneira, apóio a iniciativa e as Bicicletadas.

    • Marcelo disse:

      Olha, Artur, eu sou freqüentemente fechado por ônibus e lotações que forçam passagem para parar nas paradas de ônibus, me fechando contra o meio-fio.

      E todos os motoristas de ônibus, sem exceção, dirigem os veículos de forma incompatível com a segurança das pessoas.

      • heltonbiker disse:

        Concordo com o Marcelo. Mesmo andando a 40 por hora no trânsito, numa tentativa desesperada de não ser ultrapassado à força, lotações são contumazes em me ultrapassar desnecessariamente (pois logo em seguida acabam parando por qualquer motivo), e muitas vezes tiram fininhos inacreditáveis. E isso não é uma vez que outra, é dia sim e outro também.

      • tiago tadeu disse:

        Concordo também! São poucos motoristas de onibus que respeitam a gente e deixam uma margem para ultrapassar!

    • lobodopampa disse:

      Minha observação é sobre ônibus tão-somente. Lotação é diferente, na minha vivência/percepção.

      Vamos deixar uma coisa bem claro:

      Pessoas morreram. Isso é uma tragédia e não tem justificativa. Ponto. Precisamos fazer alguma coisa para mudar esse estado de coisas.

      Este pequeno sub-debate é sobre uma opinião expressa pelo Marcelo e compartilhada por muitos. O fato de serem muitos não torna o argumento mais válido. As maiorias já erraram muitas vezes. Ser maioria ou minoria não torna uma visão mais adequada nem mais próxima da realidade, apenas… majoritária ou minoritária.

      Se algumas pessoas, mesmo que fosse uma única pessoa, conseguem conviver super bem com motoristas de ônibus, na mesma cidade, durante anos, fazendo grande quilometragem, percorrendo regiões diferentes da cidade com freqüência, então no mínimo poderíamos considerar a hipótese –

      assim, como curiosidade científica –

      que a maneira de conduzir, a maneira de se comunicar, de se relacionar, a maneira de enxergar o outro (incluindo o motorista de ônibus) tem alguma coisa a ver com o resultado final da interação.

      • Marcelo disse:

        Artur, os motoristas de ônibus não têm o direito de colocar a vida de alguém em risco só porque essa pessoa não sabe a “maneira de conduzir, de se comunicar”.

  10. Tássia Furtado disse:

    Bah! Quero muito participar mas segunda vai ser super difícil.
    Mas eu e Olivia (minha bici) estaremos presente sempre que possível.

  11. Zé Candango disse:

    eu ando de ônibus todos os dias em Brasília, só digo que não dá para desconto aos motoristas por causa da pressão que eles supostamente sofrem, alguns deles são verdadeiros animais, não deveriam poder dirigir nem carrinho de supermercado.

  12. Pingback: Tristeza | 10porhora

  13. ilka da floresta disse:

    Já viram os ônibus da empresa Viamão na Protásio…quando vejo…sou obrigada a subir na calçada, eles sempre correm muitooooo, me dão medão…
    Atualmente tenho vivido uma experiência nova, diariamente em Guaíba…lá, por incrível que pareça, os caminhoneiros dão uma boa distância da bicicleta…posso dizer que tenho com eles um respeito mútuo e até uma certa simpatia…já o pessoal das combis e das vans, metem com tudo, mesmo com espaço …vem prá cima mesmo…; o pessoal dos carros varia bastante…
    No geral, ficamos na mesma, varia o respeito conforme a região…Mas daí vem a pergunta – como não sei dirigir carro, e nunca fiz uma auto escola, será que esse pessoal aprende a se relacionar com outros veículos de que maneira? Como eles enxergam por exemplo a bici no trânsito? Canso de ouvir – VAI PRÁ CALÇADA !!! e daí? Por isso muitas vezes quando o meu espaço é pequeno, não me coloco no meio fio, utilizo a pista como se fosse um carro….claro..que com a devida precaução…mas infelizmente TAMANHO e PODER MATAM JUNTOS…

    Por mim, acho interessante fazermos cartazes para nos comunicarmos justamente com quem abusa do tamanho tipo…ônibus…carro..etc etc, vcs já sabem…

    Acho que devíamos inclusive passar nos terminais de ônibus para manifestarmos nossa existência e fragilidade e pedir respeito com respeito, pois acho que nas empresas de ônibus pedem velocidade e horário, mas não educam para o respeito e nem para compartilhar a pista…assim não dá…
    Até terça…de vermelho sangue, pois a pressa mata e o egoísmo tb.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s