Tarso Genro se compromete com a mobilidade em bicicleta.

Fonte: Mobicidade

DSC04238A candidata a vice-governadora, Abgail Pereira, assinou na manhã desta quinta-feira, um termo de compromisso criado pela Mobicidade onde a candidatura de Tarso Genro (PT) ao governo do Estado se compromete com diversas demandas da associação.

Tarso e Abgail se comprometeram, se eleitos, a lutar por ciclovias ao longo de rodovias, redução da carga tributária sobre a cadeia produtiva de bicicletas e integração das bicicletas com o transporte coletivo intermunicipal e metropolitano.

A Mobicidade também fez contato com a candidatura de José Ivo Sartori (PMDB), mas fomos informados de que o candidato não quer assumir compromissos.

Confira o termo na íntegra:

DSC04241

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , | 5 Comentários

Para garantir conversão rápida de veículos, EPTC proíbe pedestres de atravessarem a rua.

10703558_10152725570183563_2793988703639432616_n

Foto está sendo compartilhada nas redes sociais.

Para garantir a rápida conversão de veículos, a EPTC instalou placas proibindo os pedestres de atravessar a rua em dois cruzamentos da Avenida Independência, na região central de Porto Alegre.

Essa sinalização, é geralmente utilizada para proibir a circulação de pedestres em vias expressas e viadutos, espaços onde a velocidade dos automóveis é grande e não há passeios públicos seguros. Entretanto está sendo utilizada em uma das avenidas mais nobres da capital gaúcha.

Isso não apenas vai completamente contra a atual tendência de humanizar as cidades, mas é uma infração ao Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (PDDUA) de Porto Alegre, lei complementar 434, que trata em seu capítulo dois da Estratégia de Mobilidade Urbana:

Art. 6º A Estratégia de Mobilidade Urbana tem como objetivo geral qualificar a circulação e o transporte urbano, proporcionando os deslocamentos na cidade e atendendo às distintas necessidades da população, através de:

  1. prioridade ao transporte coletivo, aos pedestres e às bicicletas;

  2. redução das distâncias a percorrer, dos tempos de viagem, dos custos operacionais, das necessidades de deslocamento, do consumo energético e do impacto ambiental;”

Ou seja, a EPTC está violando os dois primeiros itens do artigo 6º do PDDUA:

  1. viola o primeiro item ao não garantir a prioridade dos pedestres  sobre o trânsito de veículos particulares. Se  a prioridade fosse a circulação e a segurança dos pedestres, existem diversas medidas que poderiam garantí-las, antes de proibir a travessia, tais como:
    • pintura de faixa de segurança inexistente há anos no local;
    •  redesenho do cruzamento com tachões e tinta forçando a redução de velocidade do motorista que faz a conversão;
    • instituir um terceiro tempo no semáforo para garantir um momento exclusivo para pedestres atravessarem a via;• proibir a conversão de veículos;
  2. ao aumentar as distâncias e o tempo de viagem dos pedestres na região, que não podendo atravessar ali e fazer o caminho mais curto, terão que fazer um trajeto maior atravessando mais vias, e expondo-se a mais riscos.

Em zonas de conflito e sob o pretexto de “garantir a segurança do pedestre”, a EPTC acaba  por coincidência, sempre priorizando e agilizando o fluxo de carros, nunca controlando e restringindo a circulação de automóveis, mas sim os pedestres.

 

Publicado em Sem categoria | 6 Comentários

Rua dos Carros

O que a empresa que administra a circulação de uma cidade deve fazer ao identificar um cruzamento que expõe os pedestres ao risco, em uma rua comercial?

Em Porto Alegre, a solução é proibir os pedestres.

10703558_10152725570183563_2793988703639432616_n

Esta placa fica na esquina da av Independência com a Santo Antônio, mas também pode ser encontrada na mesma avenida na esquina com a Garibaldi .

Um belo convite aos motoristas que já não respeitam as faixas de pedestres e desrespeitam o sinal vermelho.

Publicado em mobilidade, pedestre, políticas públicas, Porto Alegre | 8 Comentários

É hoje reunião para discutir ciclovia do bairro Sta. Cecília

Via Mobicidade.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) promove nesta quinta-feira, 16 de outubro, às 19h, uma segunda reunião com a comunidade do bairro Santa Cecília, para apresentar o projeto da ciclovia da região. O encontro, aberto ao público, terá a presença de técnicos da EPTC e acontecerá no salão do Colégio Santa Cecília, entrada pela rua Vicente da Fontoura, 2234.

Segundo proposta da EPTC, a ciclovia da rua Santa Cecília vai interligar as avenidas Ipiranga e Protásio Alves, sendo estendida pelas avenidas Neuza Brizola e Nilópolis até a Praça da Encol. O trecho, que terá 1,5 quilômetro de extensão, está inserido no Plano Diretor Cicloviário, lei sancionada pela Câmara Municipal. A região da Santa Cecilia já é atendida pelo sistema de bicicletas compartilhadas BikePoa, com estações nas proximidades com a Ipiranga, Nilópolis e na Praça da Encol.

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , | 5 Comentários

Dia das crianças e o triunfo da motinho elétrica

No vídeo, a Av. Tramandaí congestionada numa tarde de domingo, como quase todos os domingos. E o dia era das crianças. Na rua paralela a essa, também congestionada, as crianças brincavam na orla com suas novas motinhos, patinetes, skates… elétricos.

Não há mais ruas para brincar. A todo momento os pais preocupados gritam “olha o carro!”. E esta cidade, que é apenas um espaço de passagem entre centros comerciais, serve apenas para isso: consumo. E daí a motinho elétrica. Porque correr com seus filhos, jogar bola, ficou desusado. E cansa. Desacostumado a se movimentar, o pobre bípede implume está debilitado. Seriamente debilitado. E transmite sua debilidade para os filhos. Compra o brinquedo que move o filho. E o filho se move cada vez menos. E a rua, que seria o espaço do filho brincar, praticamente não se move. Mas segue sendo perigosa, como num lúgubre desfile de mamutes em câmera lenta.
Por sua vez, a autoridade enfatiza os cuidados que a criança deve ter ao atravessar a rua (https://www.facebook.com/DetranRSoficial/photos/a.177572875784063.1073741828.167301056811245/290748101133206/?type=1&theater). Evidentemente, mães e pais devem ensinar estes cuidados aos filhos, mas a ênfase recai no pedestre, e não no motorista que deve ter cuidado ao transitar. As duas coisas coexistem, é claro, mas a ênfase da campanha diz muito sobre a visão de cidade de cada um.
Datas rituais servem para lembrar periodicamente valores que nos guiam. Valores que negligenciamos no dia a dia, e nos emocionamos ao sermos lembrados em alguma data periódica. Por que um dia das crianças se todos os dias as crianças fossem cuidadas, tratadas com dignidade, etc? E é exatamente aí que estamos falhando. Na questão da mobilidade em particular, construir um ambiente seguro em que as crianças possam ir à escola de bicicleta, a pé, de ônibus, em grupos. E não cada uma isolada em seu casulo familiar, entregue como uma encomenda à porta da escola.
Como diz a canção do vídeo, saudosista, o progresso não pode parar. A transformação da sociedade é constante. Mas o tipo de transformação não é pré-determinado. É construído por nós, dia a dia. São escolhas. Tolerar um ambiente que isola ou mutila ou mata uma criança é uma escolha. A escolha entre a velocidade máxima de 60km/h em vez de 30km/h. Escolha de vias rápidas, largas, hostis. Escolha por locais fechados para brincar (para quem pode pagar), ao invés da cidade como espaço de convívio.

Publicado em Sem categoria | 8 Comentários

Reunião sobre ciclovia do bairro Sta. Cecília é adiada para dia 16

Foi adiada para o dia 16 de outubro, quinta-feira da semana que vem, a reunião sobre a ciclovia do bairro Santa Cecília. Incialmente, o encontro estava agendado para esta quinta-feira, 9, mas a direção do Colégio Santa Cecília, local do evento, solicitou o adiamento. A reunião, aberta ao público e com presença de técnicos da EPTC, acontecerá às 19h, no salão da instituição de ensino, com entrada pela rua Vicente da Fontoura, 2234.

Segundo proposta da EPTC, a ciclovia da rua Santa Cecília vai interligar as avenidas Ipiranga e Protásio Alves, sendo estendida pelas avenidas Neuza Brizola e Nilópolis até a Praça da Encol. O trecho, que terá 1,5 quilômetro de extensão, está inserido no Plano Diretor Cicloviário, lei sancionada pela Câmara Municipal. A região da Santa Cecilia já é atendida pelo sistema de bicicletas compartilhadas BikePoa, com estações nas proximidades com a Ipiranga, Nilópolis e na Praça da Encol.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Reunião para discutir ciclovia do bairro Sta. Cecília será nesta quinta

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) promove nesta quinta-feira, 9, às 19h, uma segunda reunião com a comunidade do bairro Santa Cecília, para apresentar o projeto da ciclovia da região. O encontro, aberto ao público, terá a presença de técnicos da EPTC e acontecerá no salão do Colégio Santa Cecília, entrada pela rua Vicente da Fontoura, 2234.

Segundo proposta da EPTC, a ciclovia da rua Santa Cecília vai interligar as avenidas Ipiranga e Protásio Alves, sendo estendida pelas avenidas Neuza Brizola e Nilópolis até a Praça da Encol. O trecho, que terá 1,5 quilômetro de extensão, está inserido no Plano Diretor Cicloviário, lei sancionada pela Câmara Municipal. A região da Santa Cecilia já é atendida pelo sistema de bicicletas compartilhadas BikePoa, com estações nas proximidades com a Ipiranga, Nilópolis e na Praça da Encol.

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário